ARQUEOLOGIA DA CIDADE DE CESARÉIA

arqueologia-biblicaARQUEOLOGIA DA CIDADE DE CESARÉIA

Chamada hoje de Kaisarich, era a capital da Judéia na época de Jesus. Estava situada na costa do mar Mediterrâneo, a 51 quilômetros ao norte de Jope, e a uns 96 quilômetros a noroeste de Jerusalém. 


Herodes, o Grande, começou a edificar essa cidade no ano de 25 a.C., e a concluiu em 13 a.C. Na dedicação realizada em 12 a.C., ele mesmo a chamou de Cesaréia em honra de César Augusto, e a transformou em capital romana da Judéia. Em pouco tempo ela se converteu em porto marítimo de grande importância, em um grande centro comercial e em uma das cidades mais atrativas dessa época. Tinha sido tão bem edificada e tão bem planejada que frequentemente a chamavam de “pequena Roma”.

Felipe, o evangelista viveu nela, e Paulo esteve prisioneiro ali por dois anos. No porto de Cesaréia Paulo embarcou para Tarso, quando foi obrigado a fugir de Damasco (At 9.30); também nessa cidade vivia o centurião Cornélio, onde se converteu (At 10. 1-34). Em Cesaréia Paulo desembarcou de sua segunda e terceira viagens missionárias (At.18.22; 21.8) e dali partiu para Jerusalém (At 21.15). Foi residência oficial dos reis herodianos, e de Felix, e de Festo, e de outros procuradores romanos. Foi nessa cidade que Herodes Agripa I, neto de Herodes, o Grande, foi ferido de repugnante enfermidade (At 12.19).

A cidade permaneceu à mercê de muitos povos até 1256 d.C. quando o sultão Bibars do Egito a conquistou e destruiu seus muros e a maior parte de seus edifícios. Durante os séculos sbsequentes permaneceu em ruínas, com suas peças de alvenaria quebradas, pedaços de portas, castelos e fragmentos de colunas de granito e de mármore que sobressaiam da areia ou se encontravam meio submersas nas águas pouco profundas do mar próximo.

O Departamento de Antiguidades do Governo de Israel tem empreendido a escavação de Cesaréia. Seus maiores achados até agora incluem um esplêndido castelo dos cruzados, o teatro e o anfiteatro, o hipódromo e o piso de uma sinagoga judaica. No teatro encontraram uma pedra na qual estavam escritos os nomes de Pilatos e Tibério. Essa foi à primeira vez em que se encontrou o nome de Pilatos em uma inscrição sobre uma pedra. Desenterram também um grande templo dedicado ao César de Roma, no qual havia uma estátua enorme do imperador.

anfiteatro de Cesareia

 

“Um anfiteatro para 3,5 mil pessoas marca Cesaréia, cidade portuária que Herodes fundou. Perto dali um porto para grandes embarcações foi construído num pontal fustigado pelos ventos. “O rei”, escreveu no século 1 o historiador Flávio Josefo, “conquistou a própria natureza.”

 


Durante muitos séculos, a única prova da existência do governador romano que comandou a Judéia Pôncio Pilatos era a Bíblia Sagrada. Em 1986, durante uma expedição arqueológica comandada pelo renomadíssimo arqueólogo italiano Antonio Frova na Cisjordânia, fora encontrada, na porta de um anfiteatro romano, na Cidade de Cesaréia, datado do séc.1, uma insrição cujos dizeres em latim são: PONTIVS PILATVS PRAEFECTUS IVDAEA (Pôncio Pilatos, Procurador da Judéia)

Em 1960, uma arqueológica a explorou e traçou a planta do grande porto construído por Herodes. Somente a parte superior dos sofisticados quebra-mares apareciam em todas as partes acima das águas. Todavia, as explorações submarinas contribuíram para confirmar a descrição de Josefo do enorme e grandioso porto de Cesaréia.

porto de Cesaréia

 

 

 


Esse era o maior e mais imponente porto do Império Romano, quando foi inaugurado em 10 a. C. Após 2.016 anos, o antigo porto de Cesaréia — na costa mediterrânea de Israel — foi reinaugurado, dessa vez como o primeiro museu subaquático do mundo.Mergulhadores arqueólogos provaram que se tratava do porto mais importante do império romano nessa época. A entrada era guardada por enormes estátuas e nele podiam atracar mais de cem navios. Tendo em conta o facto de que a costa da Palestina, a sul de Haifa, não tem portos naturais, a construção do porto artificial de Cesaréia foi uma verdadeira proeza.


Algumas outras descobertas da cidade:

Aqui ficava o castelo de Herodes, entrando no mar. Essa área sofreu inundação em tempos mais recentes.

Detalhe do piso com mármore.

Detalhe do piso com pastilhas.

Uma construção conservada em que se nota trabalho de mármore e piso com detalhes.

Banho romano.os banhos eram todos ornamentados com ladrilhos bem pequenos, que lembram as atuais pastilhas, formando belos desenhos. Há também utilização de mármore muito bem polido.

Havia muito tempo que este lugar era conhecido pelo seu imponente teatro, que proporcionava uma vista para o mar e pelo seu notável aqueduto. Mas só quando se realizaram as escavações mais recentes é que se começou a trazer à luz do dia a vasta cidade herodiana.

 

 

 

 

 

 

aqueduto romano milenar de frente para o Mar Mediterrâneo e Akko (Acre) 

A cidade na costa mediterrânea de Israel não contava com água potável suficiente nos tempos do Império Romano – problema resolvido com a construção do aqueduto que trazia água desde o Monte Carmelo. Hoje, o monumento é um dos mais bem preservados da região.

Fonte: http://iadrn.blogspot.com.br/2011/08/arqueologia-da-cidade-de-cesareia.html

Deixe uma resposta