Arquivo da categoria: Ilustrações – T

Aqui você encontra ilustrações para seu sermão ou apenas para refletir aspectos de sua vida e caminhada com Deus.

Tudo que vicia começa com “C”

tudoTudo que vicia começa com “C”

Luis Fernando Veríssimo

Por alguma razão que ainda desconheço, minha mente foi tomada por uma ideia um tanto sinistra: vícios.

Refleti sobre todos os vícios que corrompem a humanidade. Pensei, pensei e, de repente, um insight: tudo que vicia começa com a letra C! De drogas leves a pesadas, bebidas, comidas ou diversões, percebi que todo vício curiosamente iniciava com cê. Inicialmente, lembrei do cigarro que causa mais dependência que muita droga pesada. Cigarro vicia e começa com a letra c.Depois, lembrei das drogas pesadas: cocaína, crack e maconha. Vale lembrar que maconha é apenas o apelido da cannabis sativa que também começa com cê.

Entre as bebidas super populares há a cachaça, a cerveja e o café. Os gaúchos até abrem mão do vício matinal do café mas não deixam de tomar seu chimarrão que também – adivinha – começa com a letra c. Refletindo sobre este padrão, cheguei à resposta da questão que por anos atormentou minha vida: por que a Coca-Cola vicia e a Pepsi não?

Tendo fórmulas e sabores praticamente idênticos, deveria haver alguma explicação para este fenômeno. Naquele dia, meu insight finalmente revelara a resposta. É que a Coca tem dois cês no nome enquanto a Pepsi não tem nenhum. Impressionante, hein?

E o computador e o chocolate? Estes dispensam comentários. Os vícios alimentares conhecemos aos montes, principalmente daqueles alimentos carregados com sal e açúcar. Sal é cloreto de sódio. E o açúcar que vicia é aquele extraído da cana.

Algumas músicas também causam dependência. Recentemente, testemunhei a popularização de uma droga musical chamada “créeeeeeu”. Ficou todo o mundo viciadinho, principalmente quando o ritmo atingia a velocidade… cinco. Nesta altura, você pode estar pensando: sexo vicia e não começa com a letra C.

Pois você está redondamente enganado. Sexo não tem esta qualidade porque denota simplesmente a conformação orgânica que permite distinguir o homem da mulher. O que vicia é o “ato sexual”, e este é denominado coito.

Pois é. Coincidências ou não, tudo que vicia começa com cê. Mas atenção: nem tudo que começa com cê vicia.

Se fosse assim, estaríamos salvos pois a humanidade seria viciada em Cultura…”

****

E nós acrescentamos principalmente “CRISTO”…

*****

Tempos de Refrigério

Tempo de RefrigerioTempo de Refrigério
Pr. Jorge Luiz César Figueiredo

Atos 3.19 – “Arrependei-vos e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que da presença do Senhor, Venham tempos de refrigério…”

A palavra refrigério de acordo com o dicionário significa alívio ou consolo. Vivemos em meio a uma geração má e perversa e isso traz angústia e tristeza ao coração. Vivemos uma geração de incerteza, de insegurança, de medo. É como se estivéssemos em um grande deserto espiritual. Às vezes preocupações, ansiedades, pecados guardados, nos impedem de sentir a presença de Jesus em nossas vidas. Após a morte de Jesus os discípulos estavam sem esperança e sentindo-se perdidos, estavam tão angustiados e entristecidos que não perceberam que era o mestre que estava no caminho de Emaus com eles.
Será que você não está nessa situação, Jesus está contigo, mas você não consegue vê-lo nem senti-lo. Você vai a igreja, mas não sente vontade de adorar ao Senhor, não consegue vibrar com mais nada. O senhor quer trazer tempos de refrigério para tua alma pela sua presença.

Quantos estão precisando receber do Senhor o alivio e o consolo, tempos de refrigério. É preciso uma entrega diária a Deus, uma confissão constante de pecados. É preciso parar e ouvir a voz do Senhor, e experimentar o tempo de refrigério para a alma. Quando Jesus foi a casa de Lázaro, Maria ficou aos seus pés, recebendo refrigério para sua alma, enquanto Marta estava muito ansiosa e não pode aproveitar a presença de Jesus em sua casa e em sua vida.

Os momentos são preciosos, os minutos passados não retornam, precisamos em meio a esse deserto espiritual, encontrar o oásis do refrigério com a presença de Jesus. Quando experimentamos os tempos de refrigério pela presença do Senhor, muita coisa muda em nossa vida, inclusive a nossa escala de valores.

Passaremos a dar mais importância as coisas do espírito e menor importância às coisas da carne, com isso não seremos amargos nem murmuradores. Quando Abraão leva Isaque para o sacrifício, no seu coração não havia murmuração, ou insatisfação, existia porem uma grande certeza: o Senhor proverá. Isso é refrigério pela presença do Senhor, ele sabia que Deus era com ele, conhecia o Seu Deus, Ele jamais o desampararia. Quando os quatro jovem foi lançado na fornalha de fogo ardente, não esboçaram qualquer reação, pois havia chegado os tempos de refrigério pela presença do Senhor.

Amado irmão, amada irmã, querido jovem, querida jovem, como está tua vida? O Senhor quer trazer tempos de refrigério, tempos de derramamento do Espírito Santo, tempos de alegria. Dobre agora os seus joelhos e diga: Senhor eu quero viver os tempos de refrigério pela tua presença.

***************

TENTANDO AGRADAR A HOMENS

tentando agradar a homensTENTANDO AGRADAR A HOMENS

UMA PRÁTICA CHEIA DE PERIGOS

Aqueles que estão no Ministério logo descobrem que podem conseguir grandes e amigáveis respostas as suas pregações, quando tentam agradar aos homens e mulheres de suas congregações. A. W. Tozer disse: “Nós que testemunhamos e proclamamos o Evangelho, não podemos pensar de nós mesmos como relações públicas enviados para estabelecer a boa vontade entre Cristo e o mundo”.

O número de pregadores, evangelistas, e missionários que falam prioritariamente para agradar as pessoas tem aumentado diariamente. Esta prática, no entanto, está cheia de perigos.

O perigo vem quando este esforço de agradar a homens e mulheres os leva a fazerem uma escolha errada: amando “a aprovação dos homens ao invés da aprovação de Deus” ( Jo 12:43). E quando fazem esta escolha errada, correm o risco de desagradarem a Deus.

Em meu julgamento, isto acontece porque eles acreditam que, fazendo assim, irão conseguir encher suas Igrejas mais rápido. Mas, norteando-se pelo que suas audiências desejam ouvir, eles serão obrigados a fazer mudanças que certamente hão de devastar seus ministérios.

A Bíblia sempre adverte os ministros com relação a agradar a homens, e os perigos que envolvem os que assim fazem. Você pode prevenir ou vencer estes problemas em seu ministério, identificando e evitando estes perigos.

Esteja alerta em não estabelecer objetivos errados.

1. Buscando respeito – Freqüentemente o desejo do pastor de ganhar o respeito e a amizade do povo de sua Igreja ou comunidade é o começo de um ministério que pode desagradar a Deus. Tendo estabelecido estes objetivos, ele terá que diluir a sã doutrina que sustenta a verdade bíblica em equilíbrio.

Por exemplo, para agradar aos incrédulos, ele terá que ter em consideração o que eles gostam e o que não gostam. Isto é perigoso porque a Bíblia diz que eles amam o pecado e odeiam a justiça. Eles não têm interesse em um Deus que os chamará a prestar contas do que têm feito com a vida que Ele Lhes deu.

A fim de ganhar o respeito deles e sua amizade, o pastor terá que apelar à razão humana, emoções e experiência. Isto significa que ele terá de dar um ” bypass” na autoridade da Bíblia. O pecador deseja um Deus que ele possa manipular e com o qual possa sentir-se confortável. A fim de agradá-los, o pastor não poderá pregar sobre o infinito, imutável e santo Deus da Bíblia.

Esta é a razão por que muitas Igrejas e missões cujas doutrinas são centradas no homem, têm mudado o conceito bíblico de Deus num deus limitado, mutável e imperfeito. Deus, dizem eles, está caminhando para uma maturação ou em processo de crescimento da mesma forma como os homens estão. Esta visão, logicamente, leva a condenar a doutrina do pecado original, a necessidade de expiação, justiça imputada e a credibilidade de Deus e Sua Palavra.

Em seu livro Batalha dos Deuses, Dr. Robert A. Morey transcreve Alan Gomes, instrutor de teologia histórica do Talbot Schoolof Theology, quando diz que estes falsos conceitos tem penetrado em grupos como Jovens Com uma Missão. Diz Morey, “Gomes cuidadosamente documenta que líderes da JOCUM, tais como Roy Elseth e Gordon Olson ensinam que Deus pode pecar, que não conhece o futuro, não está operando Seu plano no mundo, que Ele não guarda a Sua Palavra e nem cumpre as Suas promessas” (pp. 13-14).

É evidente, que os crentes modernos são como muitos descrentes. Não estão dispostos a ficar para ouvir sermões sobre todo o conselho de Deus. O seu estilo de vida superficial os faz sentirem-se desconfortáveis diante do ensino que expõe seus deslizes e hipocrisias, além de mostrar suas tagarelices como tão malignas como fornicação e assassinato. Eles não podem tolerar um Evangelho que ordena a crentes, salvos pela Graça, a negarem-se a si mesmos, tomarem a cruz e a seguirem a Cristo por um caminho estreito.

Para ganhar o respeito e a amizade deles, o pastor tem que adocicar a doutrina do Evangelho de Cristo. Ele tem que transformá-lo num evangelho centrado no homem de “milagres , curas e riquezas” do “poder do pensamento positivo” e da “mente que domina a matéria”.

2. Buscando decisões fáceis – Um pastor irá tentar procurar agradar homens e mulheres, quando pensa que seu poder de persuasão pode produzir um regular crescimento de novos convertidos. Isto é como usurpar a ação divina que envia o Seu Espirito para operar, por meio de um avivamento, o aumento expressivo dos crentes através de genuínas conversões a Cristo. Se um pastor não pode esperar pelo tempo de Deus em matéria de avivamento, e deseja obter muitas “decisões fáceis para Cristo”, ele terá que apresentar conversões a Cristo através de processos espúrios, que não requerem nada mais que uma mera decisão, sem contemplar as verdadeiras implicações do que significa seguir a Jesus.

Assim, se ele quer estas decisões fáceis, não poderá enfatizar todas as verdades do Evangelho bíblico. Não terá coragem de dizer que Deus chama crentes para sofrer, que fé sem verdadeiro arrependimento não é fé, que um pecador não poderá ser salvo a menos que confesse Jesus Cristo como seu Senhor, que fé sem obediência é uma fé fingida. Você não encontrará “decisionismo” entre pessoas que sabem que Deus ordena a todos os crentes a “seguirem a santificação sem a qual ninguém verá ao Senhor” (Heb. 12:l4).

O pastor que desejar conversões fáceis terá que fazer o Evangelho atrativo para o homem natural, algo que ele possa gostar neste mundo. Muitos que professam sua fé em Jesus Cristo hoje não mostram nenhuma mudança na sua maneira de viver, porque pregadores, evangelistas e missionários, querem diluir a mensagem a fim de alcançar resultados. Ávidos por registrarem uma estatística de muitas decisões por Cristo, eles têm-se afastado do que requer a Palavra de Deus.

3. Buscando grandes audiências – Um dos maiores problemas do Cristianismo hoje é o grande número de pessoas não convertidas figurando como membros de Igreja. Se um pastor busca o aumento do número de membros de sua Igreja como seu alvo principal, ele terá que utilizar algumas das técnicas de promoção que os grandes centros de entretenimentos usam, a fim de atrair pessoas. Alguns fazem disputas de Escolas Dominicais entre Igrejas. Outros oferecem prêmios para que as pessoas venham aos cultos. Eu ouvi de uma Igreja que escondia notas de dez dólares debaixo do assento do ônibus da Igreja, a fim de atrair as crianças e estimulá-las a virem à Igreja. Usam ainda jantares especiais, shows modernos, e outras formas de entretenimento. Eu não encontro esse tipo de “esperteza” no Novo Testamento. As pessoas que acorriam às reuniões da Igreja primitiva, não esperavam outra coisa exceto perseguição. Crer em Cristo, no tempo apostólico, equivalia a assinar sua própria sentença de morte.

Com a diluição da sã doutrina, e a acomodação do Evangelho ao que as pessoas querem, não é de admirar que muitas Igrejas estejam cheias de crentes não salvos.

4. Buscando fugir da controvérsia – Os ministros tentam agradar a homens, procurando fugir da controvérsia. Numa conversa que eu tive com um líder batista canadense, ele descreveu um pastor amigo como um “causador de problemas”. Quando eu pedi que me explicasse como um homem de Deus podia ser classificado como um causador de problemas, ele disse.. “ele sempre trás à tona questões de controvérsia”.

Como alguém pode pregar o Evangelho e evitar questões de controvérsia? Há um grande conflito entre Deus e os homens, entre a verdade e o erro, entre o bem e o mal. Se um pastor deseja evitar toda controvérsia, ele precisa jogar fora sua Bíblia e dar ao povo uma dieta de sermões adocicados, designados a agradar ao homem natural.

“Eu prego um evangelho positivo!” disse um pastor e “procuro ficar longe de assuntos polêmicos”.

Quando perguntado que assuntos polêmicos ele evitava, então respondeu: soberania de Deus, eleição incondicional, expiação limitada e aquelas doutrinas que fazem diferença entre as denominações.

Um ministro evangélico disse que, para evitar controvérsia, ele estava disposto a aceitar em sua Igreja pessoas batizadas e doutrinadas na Igreja Católica Romana.

Cuidado para não perder a aceitação do Senhor

Alguns pastores vêem o agradar aos homens como o aspecto mais importante de seus ministérios. Um pastor costumava ir constantemente aos membros de sua igreja, para perguntar o que eles estavam achando de sua pregação. Ele estava tão ansioso em agradar as pessoas, que ele queria saber se eles estavam gostando de seus sermões. Quando alguém, com sinceridade, mostrava falhas na sua pregação, ele não podia suportar. Então resignado, deixava o local do culto sem sequer dar uma palavra de despedida aos membros. Há muita imaturidade emocional entre aqueles que fazem do agradar a homens e mulheres a prioridade em seus ministérios.

1. Critério exclusivo – Eu duvido que essa espécie de pregador seja aceito diante de Deus. Paulo disse que tinha por muita pouca coisa o ser julgado em seu ministério pelo homens. “O único que me examina” disse ele, “é o Senhor” (l Cor. 4..4). Devemos usar como meio de avaliação do ministério e conduta dos homens somente a Palavra de Deus. De outra forma como saberemos que um pastor tem a aprovação de Deus quanto ao seu ministério? Não é da aprovação dos homens que o pastor necessita, mas sim da aprovação de Deus.

2. Trabalhando em vão – Aqueles que fazem como seu alvo principal agradar a homens enveredam pelo caminho de fazer com que seus cultos agradem a todos. As pessoas acorrem para as suas reuniões a fim de serem entretidas pelo humor dos púlpitos e estórias engraçadas. Eles vêm porque esperam ver diversão, apresentações dramáticas, ventríloquos, celebridades, heróis esportistas, personalidades da televisão e as últimas novidades da música “gospel”.

A congregação do pastor que guia seu ministério por tais métodos de entretenimento, pode vê-los como ministros poderosos e populares. Porém, tendo assumido esta posição de tentar agradar as pessoas, eles estarão inevitavelmente na condição de não aceitos por Deus.

O primeiro objetivo deles deveria ser agradar a Deus, manifestando a Sua glória. E a não ser que Deus os aceite com o servos, todo o seu trabalho terá sido em vão. Tudo que eles fazem, como orações, estudo bíblico, preparação de sermões, pregação, visitação, testemunho e aconselhamento, será vazio da presença, do poder e da bênção do Senhor.

Fico pensando quantos pastores e ministros têm sempre na mente que terão que prestar contas diante do trono de Cristo? Quantos deles estão realmente apercebidos do alto nível de responsabilidade que têm, não diante dos homens, mas diante de Deus? Quantos se sentiriam confortáveis com a declaração que o apóstolo faz: “E por isso que também nos esforçamos quer presentes, quer ausentes, para lhe ser agradáveis. Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo” (2 Cor. 5:9-10).

3. Consciência de Deus – Quando um pastor tenta agradar a homens, ele pode deixar de ter consciência de Deus. É muito fácil num ministério popular, procurando agradar as pessoas, alcançar tal sucesso quer resulte num esquecimento da onipresença de Deus. A não ser que um pastor esteja acuradamente cônscio da presença de Deus e O coloca sempre em primeiro lugar em todos os aspectos do seu ministério e vida, ele acabará adotando um estilo fútil de raciocínio e procedimento.

Por exemplo, ele poderá pensar que é mais importante obter direção da parte dos homens que ele está tentando agradar do que da parte de Deus e Sua Palavra. Eu não mencionaria isto se não tivesse visto e ouvido ministros colocarem a opinião de homens a frente da Palavra de Deus. Como é diferente esse tipo de raciocínio dos apóstolos!

Confrontados por homens que tentaram forçá-los a fazer sua vontade no ministério, os apóstolos não pensaram, “qual é a melhor coisa a fazer então?” ou “quais serão as conseqüências se nos opuser-mos à vontade deles? “Ao contrário, eles responderam e disseram-lhes: “Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus” (At. 4:19). Pouco depois, quando foram ordenados pelos mesmos homens e autoridades a pararem de pregar, eles de novo os enfrentaram: “importa antes obedecer a Deus que aos homens” (At. 5:29).

4. Os testes de Deus – Quando alguém estabelece um ministério que desagrada a Deus por tentar agradar a homens, certamente ele se esqueceu que Deus testa seus servos. Não há parte em nosso ministério ou vida onde possamos deixar de lado os interesses de Deus e escaparmos impunes. Deus testa as razões que o Seu povo dá em fazerem o que estão fazendo. Especialmente isso é verdade para aqueles que estão no ministério de Sua Igreja. Paulo, o apóstolo, disse que ele e seus companheiros apóstolos firmaram o propósito de falar ao homens e mulheres, não para lhes agradar, mas para agradar a Deus. E a razão que ele dá é que ele sabia que Deus estava constantemente checando suas motivações.

“Nós falamos” dizia ele, “não como quem agrada a homens, mas a Deus que examina nossos corações” (1 Ts. 2:4).

5. Abandonados por Deus – Curvando-se aos gostos e desprazeres dos homens; pode um pastor tornar-se um abandonado de Deus. Se ele se esforça por agradar a homens e mulheres do mundo; por exemplo; ele pode achar-se, ele mesmo, tão amigo e identificado com eles que chega a ser um com eles. O homem de Deus não pode ter esse tipo, de mistura com as pessoas do mundo, porque a separação do mundo é a marca do verdadeiro ministro de Cristo. “Não sabeis” pergunta Tiago, “que a amizade com o mundo se constitui em inimizade contra Deus?” (Tg. 4:4).

Cuidado para não esquecer que você está numa posição de confiança

Buscando popularidade com as pessoas, pode o pastor esquecer-se que Deus lhe confiou um grande tesouro, o Seu Evangelho da Graça. Em seu ministério apostólico, Paulo nunca se esqueceu de seu senso pessoal de mordomia. Ele repreendeu aqueles cristãos que procuravam seus líderes de acordo com sua popularidade. As pessoas deveriam julgar um ministro, ele disse, pela sua consciência de despenseiro, que vê como sua principal responsabilidade o ser fiel a Deus e Sua Palavra. (I Cor. 4:1-2) Ele também disse que Deus foi condescendente com os homens em permitir que fossem ministros. “Nós fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar Ele o Evangelho… ” (1 Ts. 2:4).

1. Hipocrisia e falta de sinceridade – Os ministros de Deus deveriam ser como Moisés que “permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível”(Heb. 11:27). Seus olhos da fé deveriam estar sobre o invisível, o reino espiritual de Deus, não no reino deste mundo. Quando eles rejeitam esta forma de visão espiritual e começam a olhar para o que é aprazível ao homem, eles caem no mal contra o qual Paulo os adverte na sua carta aos Efésios.

Após falar sobre obediência aos pais e mestres, ele diz que tal obediência deve ser prestada “Não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus” (Ef.6:6). Isto também se aplica ao ministro. Um pastor não deveria buscar o olhar de aprovação do povo a quem serve. Isto é tentar fazer seu trabalho “servindo a vista, como para agradar a homens”.

Sua motivação nunca deveria ser o “ser visto” ou o “agradar a homens”. Como servo de Cristo, ele deveria buscar com sinceridade fazer “de coração a vontade de Deus”.

2. Edificação e Lucro – As epístolas do Novo Testamento têm muito que ensinar sobre a construção do caráter. Os apóstolos fazem do cultivo do caráter interior do homem ou a construção do caráter cristão a coisa mais importante, e é nisso que eles gastam a maior parte de suas pregações e escritos. As únicas razões legítimas e permitidas por eles para agradar aos homens eram a salvação de pecadores, o cultivo da alma e o desenvolvimento da personalidade de Cristo neles. Quando um pastor busca agradar a homens por qualquer outro propósito, ele trai sua confiança e falha em alimentar e guardar o rebanho de Deus.

“Portanto cada um de nós agrade ao próximo no que é bom para a edificação”(Rom.15 :2).

Em seu trabalho evangelístico, os apóstolos também procuraram agradar aos homens para que os mesmos fossem beneficiados e, se possível até se convertessem a Cristo. Em outras palavras no intento de lhes fazer o bem é que se pode compreender essa atitude deles. Eles não faziam nada para alimentar os desejos mundanos dos incrédulos. Ao contrário, os apóstolos procuraram o proveito de todas as pessoas, sem prejuízo de quem quer que fosse, quer judeus, pagãos ou cristãos. Paulo explica isto desta maneira:

“Assim como também eu procurei em tudo ser agradável a todos, não buscando o meu próprio interesse mas o de muitos para que sejam salvos” (1 Cor.10:33). Mais tarde ele escreve, “Há muito pensais que nos estamos desculpando convosco. Falamos em Cristo perante Deus, e tudo, ó amados, para vossa edificação ” (2 Co: 12:19).

Cuidado para não perder o senso bíblico dos valores

Os ministros do Novo Testamento sentiam que, se eles tentassem agradar a homens, eles não poderiam mais ser considerados servos de Cristo. Um pastor não pode esperar a sustentação divina em seu ministério, se ele não estiver mais qualificado como servo do Senhor Jesus Cristo. Como Esaú, ele trocou uma grande herança por um ganho temporário. Ele vendeu o dia por causa de uma hora.

1. Cristo, o Modelo – Tão logo um pastor começa a agradar às pessoas, ele perde sua ligação com o ministério de Cristo. Ele esquece que o Filho de Deus é o modelo para o seu ministério e falha em seguir o Seu exemplo. Mateus diz que mesmo os inimigos de Cristo, embora falassem com sarcasmo, sabiam que Ele não procurava agradar a homens, mas ensinava as verdades de Deus, arcando com as conseqüências.

“E enviaram-Ihe discípulos juntamente com os herodianos para dizer-lhe: Mestre, sabemos que és verdadeiro e que ensinas o caminho de Deus, de acordo com a verdade, sem te importares com , quem quer que seja, porque não olhas a aparência dos homens ” (Mat. 22:16).

2. Perder a Visão – Quando um pastor desagrada a Deus por tentar agradar a homens, ele pode se esquecer de que não pertence a si mesmo, pois foi comprado com preço. Pregando um Evangelho voltado para resultados e centrado no homem, pode ser levado para longe de Deus e Sua Verdade Eterna, e pode ainda diminuir sua percepção do valor de sua própria redenção. Como o homem que falha em acrescentar elementos do caráter cristão à sua fé, ele irá perder tanto sua visão escatológica como histórica.

Tal homem, diz Pedro, “…é cego, vendo só o que está perto (isto é cegueira escatológica), esquecido da purificação dos seus pecados de outrora (isto é cegueira histórica) ” (2 Pedro 1:9).

3. Comparação de Valores – Agradar aos homens constantemente pode alterar a habilidade de um ministro de fazer de um modo correto uma comparação de valores. Paulo apresenta a redenção como uma grande razão para que nós a apresentemos diante dos homens.

“Por preço fostes comprados; não s vos torneis escravos dos homens ” (1 Cor.7:23).

4. Alterando a Mensagem – Satisfazendo o interesse dos homens e mulheres, muitos ministros tem mudado a mensagem que Cristo lhes ordenou que pregassem. Receosos de receberem a desaprovação dos incrédulos e cristãos mundanos, eles dizem, com efeito, “Nós não nos atrevemos a dizer nada que lhes desagrade”.

Que diferença dos apóstolos! Diante do mais alto tribunal de Jerusalém, enfrentando a ameaça de punição e mesmo a morte, eles confrontaram seus opositores com coragem e disseram, “Pois não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido ” (At.4:20).
Nota sobre o Autor: George M. Bowman é editor-diretor da Operation Balance, um projeto de literatura destinado ao avanço da sã doutrina, que sustenta a verdade bíblica em equilíbrio. Ele é autor de inúmeros folhetos e panfletos.

TESOUROS PERDIDOS

tesouros perdidos 9TESOUROS PERDIDOS

        Caro amigo, hoje temos para si duas pequenas histórias verídicas. São histórias que nos falam de dois homens. Um vive na cidade de Lima, no Peru, e o outro na Índia. Este dois homens tinham, pelo menos, uma coisa em comum. Possuíam um tesouro. Digo “possuíam” porque já não o têm. E qual o tesouro e como o perderam é o assunto desta mensagem…

Chama-se Eduardo Aparício Rodriguez, e vive na cidade de Lima. Tem, ou melhor, tinha um objeto de grande valor. E desde o primeiro dia foi o seu orgulho, o seu encanto, a sua felicidade. Com ele Eduardo aprendeu a sorrir mais e mais. Com ele sentiu-se dono de um tesouro. Com ele mostrou aos amigos que era capaz de comprar grandes coisas. Com ele sentiu-se outro homem. Era um dente de ouro puro que Eduardo Rodriguez tinha mandado fazer para substituir o seu dente natural…

tesouros perdidos 2

        Mas, um dia, Eduardo perdeu o seu tesouro. Estava numa cabine pública a fazer uma chamada telefónica e enquanto falava pelo telefone sorriu mais uma vez ao ver o seu precioso dente de ouro refletido no vidro da cabine. Foi o seu último sorriso. Uns criminosos da cidade ao ver o seu dente de ouro meteram-lhe uma bala na boca e roubaram-lhe o dente. Afinal, o que tinha sido o seu maior tesouro causou a sua morte…

Este triste caso, caro amigo, ocorrido em Lima, no Peru, desperta uma multidão de reflexões. Quantas vezes na vida, aquela coisa que tanto gostamos não é a coisa que mais nos convém. Quantas vezes depositamos toda a nossa felicidade em algo que não é mais que matéria. E, prezado amigo, quantas vezes também, a morte nos encontra no dia da nossa maior alegria. E, mesmo assim, agarramos estes efémeros tesouros ao peito. Fechamo-los em cofres e bancos, cheios de medo que alguém nos venha roubá-los. Foi assim que fez o homem da nossa segunda história…

Jinasia Lumpur, um camponês indiano, tinha um tesouro em sua casa. Possuía três quilos de ouro, um quilo de joias diversas, e nada menos que vinte e cinco quilos de ópio. Tinha medo de ser roubado e, também, não queria ser investigado pela Polícia de Narcóticos. Portanto, elaborou uma maneira de guardar o seu tesouro. Para tomar conta do seu tesouro, colocou em sua casa uma cobra. Melhor que um cão bravo, e mais barato que um guarda armado, os colmilhos dessa cobra mantinham à distância qualquer que se atrevia a roubar o seu tesouro.

tesouros perdidos 4

Jinasia Lumpur começou a gostar tanto da sua cobra, guardiã do seu tesouro, que lhe proporcionou abundante comida: as rãs mais gordas, os coelhos mais saborosos e o leite mais rico. Mas, caro amigo, isto foi a sua perdição. O homem esqueceu-se que, tal como acontece com o ser humano, a serpente, se come muito, entra num sono profundo. A cobra comeu, bebeu e dormiu. Dormiu durante uma semana inteira. E, enquanto a guardiã do tesouro de Jinasia Lumpur dormia, chegou a Polícia de Narcóticos, e descobriu o ouro, as joias e, também, os vinte e cinco quilos de ópio. A defesa de Lumpur tinha falhado, e ele perdeu tudo, incluindo a sua cobra…

tesouros perdidos 1

        Amigo, nós, os homens, sempre andamos elaborando defesas. E não são apenas defesas físicas, para proteger a casa, o automóvel ou o dinheiro. Elaboramos, também, defesas morais. Tememos o ataque, a crítica, qualquer investigação das nossas ações, do nosso procedimento. Vivemos no temor constante de perder o nosso “tesouro escondido”, essa parte da nossa vida privada que, uma vez descoberta, arruinará o nosso prestígio.

Dois homens com os seus tesouros. O primeiro nem sequer pensava em perdê-lo. E o segundo? Parece que não pensou em outra coisa, pois desconfiava de toda a gente. Ora, prezado amigo, o ser humano sempre buscou valores e tesouros. Mas, quase sempre são coisas desta vida e desta terra. E se não são pedras preciosas, ouro ou outras coisas no gênero, são poder, sabedoria ou conhecimentos. Mas poucas vezes busca as verdadeiras riquezas, as riquezas espirituais. Faz-nos lembrar da tragédia da orgulhosa cidade de Pompeia, destruída em poucas horas pelo vulcão Vesúvio, há mais de 1.500 anos…

tesouros perdidos 5        Foi só no século XVIII que os arqueólogos conseguiram escavar as ruínas da velha cidade e, entre muitas coisas interessantes descobertas, dois casos sobressaltam. O primeiro era o caso de um homem que tentava fugir da cidade quando foi soterrado debaixo de camadas de cinza e lava. O homem jazia na rua pavimentada, agarrando ainda com a mão fechada um punhado de moedas de ouro. Com o seu tesouro na mão tentou fugir, mas perdeu a vida.

tesouros perdidos 8

O outro caso era o de uma senhora rica que, obviamente, gostava muito das suas joias. Quando o terremoto começou e o vulcão principiou a vomitar fogo sobre a cidade, esta senhora decidiu fugir até o porto e escapar num barco. Mas não foi capaz de deixar em casa as suas joias. Atrasou-se em casa, apanhando uma joia aqui, um anel ali e, finalmente correu, rua abaixo, com as mãos cheias de pérolas, rubis, colares e brincos de grande valor. Mas demorara demasiado tempo, pois, enquanto corria foi apanhada pelos gases venenosos do vulcão e morreu no caminho para o porto. E assim o seu corpo foi preservado debaixo das cinzas para ser descoberto após 1.500 anos – e ainda tinha nas mãos o seu tesouro…

        Ora, caro amigo, quão importantes e verdadeiras são as palavras, uma vez proferidas pelo Senhor Jesus Cristo, e que passamos a citar: “Não juntem riquezas neste mundo, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões assaltam e roubam. Juntem antes riquezas no céu, onde não há traça nem ferrugem para as destruir, nem ladrões para assaltar e roubar. Onde tiverem a riqueza, aí terão o coração.”

tesouros perdidos 6

      São estas coisas espirituais, estes valores do céu, que realmente satisfazem e nunca se perdem. E é quando recebemos Cristo como nosso Senhor e Salvador que recebemos o maior dos tesouros e o único que pode entrar conosco para a eternidade…

*********************

Tipos inúteis de fé

tipos inúteis de féTipos inúteis de fé

   Existem dois meios pelos quais um homem pode perder sua alma. Quais são eles?

Ele pode perdê-la por viver e morrer sem nenhuma fé. Ele pode viver e morrer como um animal, ímpio, ateu, sem a graça, incrédulo. Este é um caminho seguro para o inferno. Cuidado para não andar por ele.

Ele pode perder sua alma por aceitar determinado tipo de fé. Ele pode viver e morrer contentando-se com um cristianismo falso e descansando numa esperança sem fundamento. Este é o caminho mais comum que existe para o inferno.
O que quero dizer com fé inútil?

Em  primeiro  lugar, uma fé é totalmente inútil quando Jesus Cristo não é o principal objeto e não ocupa o lugar principal. Existem  portanto,  muitas pessoas que praticamente nada sabem sobre Cristo. A fé deles consiste em algumas  noções  vagas  e  expressões  vazias.  “Mas eles crêem, não são piores que outros; eles se mantêm na igreja, tentam fazer  suas  obrigações; não prejudicam a ninguém; esperam que Deus seja misericordioso para com eles! Eles confiam que o Poderoso perdoará seus pecados e os levará para o céu quando morrerem”. Isto é quase a totalidade da sua fé.

Mas  o  que  estas  pessoas  sabem  de fato sobre Cristo? Nada! Nada mesmo! Que relação experiencial eles têm com Seus ofícios  e  obra, Seu  sangue, Sua  justiça, Sua  mediação, Seu  sacerdócio, Sua  intercessão?  Nenhuma!  Nenhuma  mesmo!

Pergunte-lhes  sobre  a  fé  salvífica; pergunte-lhes  sobre  nascer de novo do Espírito; pergunte-lhes sobre ser santificado em Cristo Jesus. Que resposta você terá? Você é um bárbaro para eles. Você lhes perguntou questões bíblicas simples, mas eles não sabem mais sobre elas, experimentalmente, do que um budista ou um muçulmano.

E mesmo assim, esta é a fé de centenas de milhares de pessoas por todo mundo que são chamadas de cristãs.

Se você é uma pessoa deste tipo, eu o advirto claramente que tal cristianismo nunca o levará para o céu. Ele pode fazer muito bem  aos  olhos  dos  homens; pode ser aprovado no conselho da igreja, no escritório, no parlamento inglês ou nas ruas, mas ele nunca o confortará; nunca satisfará sua consciência; nunca salvará sua alma.

Eu  o advirto claramente,  que  todas  as  noções  e  teorias  sobre  Deus  ser  misericordioso  sem  Cristo  são  ilusões  sem fundamento  e  imaginações  vãs. Tais  teorias  são  puramente  ídolos  da  invenção  humana,  tanto  quanto os ídolos hindus. Elas  são  todas  da terra, terrestres; nunca desceram do céu. O Deus do céu selou e nomeou Cristo como o único Salvador e caminho para a vida e todos que quiserem ser salvos devem satisfazer-se em serem salvos por Ele, do contrário, de forma alguma serão salvos.

Eu lhe dou um aviso legítimo: Uma fé sem Cristo nunca salvará sua alma.

Existem  multidões de homens e mulheres batizados que professam honrar a Cristo, mas na realidade O desonram grandemente. Eles dão a Cristo um certo lugar no seu sistema religioso, mas não o lugar que Deus tencionou que Ele ocupasse. Cristo, exclusivamente, não é “tudo em todos” para suas almas. Não!

Para esses, “É Cristo e a igreja; ou Cristo e os sacramentos; ou Cristo e Seus ministros ordenados; ou Cristo e a bondade deles; ou Cristo e suas orações; ou Cristo e a sinceridade e caridade deles”, ou  Cristo e Maria”, nas quais eles realmente “descansam” suas almas.

Se  você  é  um  cristão deste tipo, eu também o advirto claramente que sua fé é uma ofensa a Deus. Você está mudando o plano de salvação de Deus em um plano da sua própria invenção. De fato você está depondo Cristo do seu trono, dando a glória que Lhe é devida a outro.

Eu não me importo quem lhe ensina sua fé, cuja palavra você confia. Se ele é papa ou cardeal, arcebispo ou bispo, diácono ou  presbítero,  episcopal  ou  presbiteriano,  batista, independente ou metodista; quem quer que acrescente alguma coisa a Cristo, está ensinando incorretamente.

Eu não me preocupo com o que você está juntando a Cristo. Se é a necessidade de unir-se a igreja de Roma, ou de ser um episcopal, ou um sacerdote independente,  ou desistir da liturgia, ou de ser batizado por imersão ou aspersão. O que quer que seja que você  acrescente  a Cristo no que se refere a salvação, você ofende a Cristo.

Atente para o que você está fazendo. Cuidado para  não dar aos servos de Cristo a honra devida ao próprio Cristo.  Cuidado  para  não  descansar  o  fardo  de  sua  alma  em  coisa  alguma  a  não  ser  Cristo  e  Cristo exclusivamente.  Cuidado para não ter uma fé que seja inútil e que não pode salvar.

É horrível não ter nenhuma fé.  Ter  uma alma imortal confiada ao seu cuidado e negligenciá-la, é terrível. Porém, não menos terrível, é estar contente com uma fé que não lhe pode fazer nenhum bem. “Me engana que eu gosto”!.

Não permita que esse seja seu caso, em nome de Jesus!

****************************

Tirando O Cisco Do Olho

tirando o cisco no olhoTirando O Cisco Do Olho

“Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu
olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a
trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do
olho do teu irmão” (Mateus 7:4, 5).

O pastor encontrou-se com um membro que há muito não
aparecia nas reuniões e comentou que estava sentindo sua
falta. “Eu não gosto de ir à igreja”, disse o homem, “e o
motivo é que existem muitos hipócritas lá”. “Oh, não permita
que eles o mantenham afastado”, falou o pastor, “há sempre
lugar para mais um.”

O que temos ido fazer nas reuniões que frequentamos? Qual o
nosso verdadeiro propósito? Qual a nossa motivação? O que
almejamos encontrar ali, durante o tempo da reunião?

O homem de nossa ilustração justificava sua ausência
acusando os outros. Na realidade, a razão de seu afastamento
era ele mesmo. Ele era um hipócrita e teimava em dizer que
os demais o eram. Ele não havia se comprometido, não tinha
prazer em louvar a Deus, não amava o Senhor.

Quando o Senhor não habita em nossos corações, só vemos
defeitos nos outros, só percebemos as coisas negativas,
achamos que todos estão sempre errados e os únicos certos
somos nós. Quase sempre estamos mal-humorados e murmuramos
por motivos fúteis.

Quando vamos ao templo, para cultuar ao Senhor, o nosso
objetivo deve ser adorar a Deus. A atitude a ser notada é a
nossa e não as dos outros irmãos que lá estão. Quem deve
estar em santidade somos nós, quem precisa estar alegre e de
bem com a vida somos nós, quem pretende ter a vida
espiritual edificada somos nós mesmos. Nós devemos motivar o
ambiente e não sermos motivados ou desanimados por ele. Nós
somos a igreja de Cristo. Precisamos brilhar por onde
passamos, precisamos semear fé e esperança naqueles que
encontramos, precisamos iluminar o templo quando lá
entramos.

Se encontramos fracos pelo caminho, vamos encorajá-los. Se
encontramos indecisos, vamos fortalecê-los com nosso
testemunho. Se encontramos perdidos que não sabem para onde
vão, ajudemo-los a encontrar o Salvador.

Você tem buscado tirar o cisco de seu próprio olho ou
insiste em tirar o dos outros?

***********************

TODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS?

todos os caminhosTODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS?

Há um ditado que diz que todos os caminhos levam a Deus. Será?

Esta é uma mentira carnal e diabólica.

Provérbios. 14:12, nos diz: Há caminhos que ao homem parecem direito, mas o fim deles são caminhos de morte.

Muitas vezes, desorientado, você olha para todos os lados, e enxerga muitos caminhos, parecendo-lhe estes, serem caminhos bons. Porém, confuso, você não consegue discernir o caminho correto a seguir. Então, aflito, angustiado e cansado,  sem ver a menor perspectiva de qual seja a direção certa a seguir, você pensa ; Conheço e temo a Deus, e não quero que meus caminhos, sejam caminhos de morte.

Diz : Qual é o caminho certo a seguir Senhor?

Então, você permanece parado, olha  e se vê inerte, esperando algo ou alguém que lhe indique o caminho certo. Nada acontece, você se vê e se sente em uma pausa constante. Então diz: Parado nada acontece; Que caminho devo seguir Senhor?

Vira-se para trás, e vê tudo que já ficou no passado, sem poder concertar ou corrigir absolutamente nada, tudo ficou no esquecimento, o caminho certo não é para traz. Então diz: Para traz é regredir, que caminho devo seguir Senhor?

Vira-se para esquerda, e vê o sinônimo de sinistro oblíquo, torto desajeitado, parecendo-lhe não existir solução, parecendo-lhe não haver caminho certo a seguir, e então diz: À esquerda me é contra mão, que caminho devo seguir Senhor?

Então vira-se para a direita, e vê um lado correto, parecendo-lhe ser este o caminho certo a seguir; Porém, seguindo-o, não consegue ter a certeza absoluta de conseguir tudo que precisa e almeja conquistar, pois o caminho é muito longo. Então diz: O caminho à direita, é comprido demais, que caminho devo seguir Senhor?

Vira-se para frente, e vê um caminho desconhecido, vê um local de combate constante, de lutas, provações e perigos a enfrentar,  onde poderá vencer, ou fracassar, uma  verdadeira  incógnita. Então diz: Para frente há riscos,  que caminho devo seguir Senhor?

Enfim, olha para o alto, e vê a grande  extensão vertical, vê com os olhos espirituais aquele que está acima de todas as coisas, vê o grande Criador dos céus e da terra a te observar, e consegue enxergar a Luz.( João 8 : 12 ) Então diz: Achei o caminho. O caminho é este; Já sei que não é parado, ou para  traz, para a esquerda, para a direita, ou para frente. Já entendo que o caminho certo a seguir é para cima, onde vejo o Senhor a me guiar constantemente. E agora posso vê-lo e ouvi-lo a dizer:

EU SOU O CAMINHO E A VERDADE, E A VIDA, NINGUÉM VEM AO PAI SENÃO POR MIM… (João. 14: 6).

Portanto, olhe sempre para o alto, de onde nos vem o socorro, de onde o Senhor nos observa.

O Senhor olha desde os céus e  está vendo a todos os filhos dos homens. ( Salmos. 33:13)

Com certeza, não são todos os caminhos que levam aos céus e a Deus, mas sim, o caminho, o único caminho, o Senhor e Salvador Jesus Cristo, o único, que há de vir buscar os que são seus, o todo poderoso.

SIGA SEMPRE PARA CIMA!

**************************

Todos Os Dias…

todos os diasTodos Os Dias…

“Eu te exaltarei, ó Deus, rei meu, e bendirei o teu nome
pelos séculos dos séculos e para sempre. Cada dia te
bendirei, e louvarei o teu nome pelos séculos dos séculos e
para sempre” (Salmos 145:1, 2).

Um famoso instrumentista internacional costumava dizer: “Se
eu não praticar um dia, ninguém perceberá. Se eu não
praticar dois dias, eu perceberei. Se eu não praticar três
dias, o mundo inteiro perceberá.”

O que podemos dizer, sobre isso, em relação à nossa vida
espiritual? Se deixarmos de nos relacionar com o Senhor por
um dia, provavelmente ninguém notará essa nossa fraqueza. Se
deixarmos Cristo fora de nossas atitudes por dois dias, logo
sentiremos que as coisas não vão bem para nós. Se ignorarmos
as coisas de Deus por três dias ou mais, perderemos a paz
que só Cristo dá, perderemos o regozijo que só podemos
encontrar na presença do Senhor e todos ao nosso redor
testificarão de que o brilho por nós apresentado em todas as
circunstâncias, já não existe mais. A nossa genuína
felicidade depende de um contato diário e verdadeiro com o
nosso Senhor e Salvador. Somente em Sua presença achamos a
plenitude da alegria.

O segredo de uma vida de vitórias e realizações é estar,
cada dia, diante do altar de Deus. Ele é a nossa força, o
nosso estímulo, a nossa inspiração, a fonte de todas as
nossas bênçãos. Ele nos anima, nos orienta, nos dirige os
passos, nos mostra o caminho das grandes conquistas.

Quando compreendemos que as bênçãos nos acompanharão se
estivermos todos os dias diante do Senhor, então não haverá
obstáculo que não possa ser ultrapassado, não haverá lutas
que não possam ser vencidas, não haverá sonhos que não
possam ser realizados. Com Cristo em nossos corações, somos
e seremos sempre mais que vencedores.

Você tem exercitado sua fé e colocado sua confiança todos os
dias na presença do Salvador? Ou O tem buscado apenas nos
momentos de aflição?

Paulo Barbosa – Min. Para Refletir

***********************

Tomar Posse ou Pertencer?

tomar posseTomar Posse ou Pertencer?

É comum entre cristãos a interpretação de que se deve “tomar posse da bênção de Deus”. Quem quiser ser abençoado deve quase exigi-la, que se deve ser ousado, enfim, somente os ousados é que são os afortunados por Deus.

Irmãos, analisando a crucificação de Jesus,analisando a exaltado na terra. para OUVIR A PALAVRA DE DEUS. em vazias.  podemos aprender a diferença entre tomar posse e pertencer a Jesus

“Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram com os criminosos, um à sua direita e o outro à sua esquerda. Havia uma inscrição acima dele, que dizia: “Este é o Rei dos judeus”. Um dos criminosos que ali estavam dependurados lançava-lhe insultos: Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós! Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: Você não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença? Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas este homem não cometeu nenhum mal. Então ele disse: Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino. Jesus lhe respondeu: Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso” (Lucas 23:33, 38-43).
Ninguém consegue pressionar Deus a lhe dar algo, até mesmo com o que Ele concorda. A palavra de Deus diz como devemos ser ordenando: “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se, mas esvaziou-se a si mesmo…” (Filipenses 2:5-11).

Reconhecer-se pecador destituído de qualquer privilégio é temer a Deus. Suplicar por misericórdia nas crises e pela fé, ser obediente à ordem de Deus quanto a ouvir a Jesus, é ser o que Deus quer que você seja. Faça isso! Não exija, mas submeta-se a Jesus.

********************

Tratar Bem ou Pregar uma Peça?

tratar bemTratar Bem ou Pregar uma Peça?

Mais bem-aventurado é dar que receber. Atos 20:35.

Um jovem estudante estava certo dia caminhando com um de seus professores, conhecido por tratar os alunos com justiça em suas aulas. Enquanto caminhavam, encontraram um par de sapatos velhos ao longo da trilha. Vendo um trabalhador num campo próximo, entenderam que os sapatos pertenciam a ele. O homem estava acabando seu trabalho daquele dia.
Voltando-se para o professor, o estudante sugeriu:
– Vamos pregar uma peça no velho pateta. Vamos esconder os sapatos dele, ocultar-nos atrás destes arbustos e observar a sua reação quando não puder encontrá-los.
– Você acha mesmo que devemos fazer isso? – perguntou o professor. – Vou fazer uma sugestão diferente. Por que não surpreendemos o idoso cidadão colocando uma moeda em cada sapato e depois observando sua reação quando ele encontrar o dinheiro?
O estudante não ficou exatamente entusiasmado, mas acabou concordando com a idéia.
Quando o pobre homem concluiu seu trabalho e calçou os sapatos, sentiu alguma coisa dura por dentro. Surpreso, olhou as moedas e depois ajoelhou-se para agradecer a Deus por ter provido dinheiro para sua família desesperadamente necessitada.
– Você não se sente mais feliz assim, por ter ajudado um velho trabalhador em vez de ter-lhe pregado uma peça? – cochichou o professor.
O estudante teve de concordar.
Como cristãos, devemos recordar não apenas que mais bem-aventurado é dar do que receber, mas também o que nos ensina em Mat. 7:12 – Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.

*******************

TRÊS VISITANTES

tres visitantesTRÊS VISITANTES

  O QUE É MAIS IMPORTANTE :  DINHEIRO, SUCESSO ou AMOR ?

Uma mulher saiu de sua casa e viu 3 velhos homens de longas barbas brancas, que estavam sentados no jardim.
Ela foi até eles e disse:
– Penso que não os conheço, mas vocês devem estar famintos…Por favor entrem. Tenho algo que vocês podem comer.
– O homem da casa está?, eles perguntaram.
– Não, ela disse. Ele está fora.
– Então nós não podemos entrar, eles responderam…
Pela noite quando o marido voltou, ela lhe contou o que tinha acontecido.
– Diga-lhes que estou aqui e convide-os a entrar.
A mulher saiu e convidou-os… E eles responderam:
– Nós não entraremos juntos em sua casa.
– Mas por que não? Ela quis saber.
Um dos homens explicou:
– O nome dele é Riqueza, disse apontando a um dos amigos… e disse apontando ao outro:
– Ele é Sucesso e eu sou Amor… Então ele acrescentou:
– Agora entre e veja com o seu marido qual de nós você quer que entre em sua casa.
A mulher entrou e contou para o marido o acontecido…
– Que legal, ele disse! Já que esse é o caso, vamos convidar a Riqueza… Deixe-o entrar e encher nossa casa de riqueza…
Mas a esposa discordou:
– Meu querido, por que nós não convidamos o Sucesso? A prima dele estava escutando do outro canto da casa.
Ela deu um salto com a seguinte sugestão:
– Não seria melhor convidar o Amor? Nossa casa será enchida de carinho…
– Vamos atender ao conselho de minha prima, disse o marido à esposa
– Vá lá fora e convide o Amor para entrar.
A mulher saiu e perguntou para os 3 velhos homens:
– Qual de vocês é o Amor? Por favor entre e seja nosso convidado.
Amor se levantou e seguiu-a até a casa. Os outros dois se levantaram e o seguiram. Surpresa, a senhora perguntou:
– Riqueza e Sucesso, eu só convidei Amor, por que vocês estão entrando?
Os velhos homens responderam juntos:
– Se você tivesse convidado Riqueza ou Sucesso os outros dois teriam ficado lá fora, mas desde que você convidou Amor, onde quer que ele vá nós vamos com ele…Pois, onde há Amor também há Riqueza e Sucesso!!!

*************************

Tempero Espiritual

Tempero EspiritualTempero Espiritual

“Bom é o sal; mas, se o sal degenerar, com que se há de salgar?” (Lucas 5:34).

Dr. E.S. Hutchison disse: “O trabalho do Senhor é como sal e
pimenta na comida. uma pequena pitada pode torná-la
saborosa.” (Paul W. Powell)
Que prazer temos tido na presença de nosso Senhor Jesus Cristo? O que tem representado para nós a ida aos cultos,os cânticos e os sermões pregados na igreja? Temos achado tudo muito repetitivo, desinteressante e enfadonho?

Se não nos alistarmos nos exércitos de Deus e não
participarmos das batalhas, não desfrutaremos das alegrias  obtidas nas vitórias. Se não nos envolvermos nos diversos ministérios que a obra de Deus nos oferece, não cresceremos espiritualmente, não sentiremos o mover do Espírito de Deus e não nos regozijaremos com as Suas bênçãos.

Quando achamos que as coisas do Senhor estão muito chatas é sinal de que está faltando uma pitada de tempero espiritual — nosso trabalho, nosso envolvimento, nossa dedicação, nosso amor à obra de Deus.

Você tem sentido que está faltando o sal espiritual para sua vida melhorar? Seus dias têm sido monótonos e não encontra neles qualquer ânimo? Já pensou em deixar o Senhor para trás e procurar outros caminhos? Tenha certeza de que nada poderá alegrar sua vida a não ser que a tempere com as coisas celestiais. Faça isso e verá que seus dias cinzentos se tornarão coloridos e cheios de satisfação.

O Senhor nos chamou não apenas para irmos aos cultos, ouvirmos os hinos e a mensagem e depois voltar para casa.
Ele nos chamou para trabalhar. E essa é a pitada de sal e pimenta que tornará nossas vidas cristãs plenas de gozo e alegria. Encontraremos sabor nas coisas do Senhor e seremos sabor para o mundo que está ao nosso redor.

TRABALHO

trabalhoTRABALHO

João 6:27 – “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo”.

Um dia a filhinha perguntou à mãe:

– Mamãe, a senhora vai para o céu quando Jesus vier?

– Assim espero, minha filha.

– Bem, mamãe, espero ir também, senão a senhora vai se sentir só.

– Sim, respondeu a mãe, e eu espero também, que o papai vá conosco.

– Oh! não, o papai não pode ir. Ele não pode deixar o trabalho!

Quantos de nós não podemos deixar o trabalho! Estamos tão absorvidos e envolvidos com as  coisas que perecem, que não temos tempo nem oportunidades de dedicarmo-nos as serviço do Senhor!

“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque, na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma” (Eclesiastes 9:10)

TEMPO

tempoTEMPO

Imagine que você tenha uma conta corrente e a cada manhã você acorde com um saldo de r$ 86.400,00, só que não é permitido transferir o saldo para o dia seguinte. Todas as noites o saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastá-lo durante o dia.
O que você faz?
Você  irá gastar  cada centavo, é claro !
Pois saiba que todos nós somos clientes deste banco que estamos falando: ele se chama tempo. Todas as manhãs é creditado para cada um de nós 84.600 segundos. Todas as noites o saldo é debitado como perda, não é permitido acumular este saldo para o dia seguinte. Todas as manhãs  a sua conta é reiniciada e todas as noites as sobras do dia se evaporam, não há volta.   Você precisa gastar vivendo no presente o seu depósito diário. Invista , então, no que for melhor. Invista seu tempo no Reino de  Deus. Mateus 6.26-33 nos diz: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?26  Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?27  Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?

28  E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam.29  Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.30  Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?31  Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?32  Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas;33  buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.34  Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal”.

O relógio está correndo. Por isso, não desperdice o seu dia. Não desperdice o seu tempo. Mateus 25:13 nos orienta:  “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora”.

Para você perceber o valor de um ano, pergunte a um estudante que  repetiu o ano.
Para você perceber o valor de um mês, pergunte para uma mãe que teve o seu bebê prematuro.
Para você perceber o valor de uma semana, pergunte a  um editor de um  jornal semanal.
Para você perceber o valor de um minuto, pergunte a uma pessoa que perdeu o trem.
Para você perceber o valor de um segundo, pergunte a uma pessoa que conseguiu evitar um acidente.
Para você perceber o valor de um milésimo de segundo, pergunte a alguém que ganhou uma medalha de prata em uma olimpíada.
O ontem é história.
O amanhã pertence a Deus.
O hoje é uma dádiva. Por isso, é chamado de presente!