Arquivo da categoria: Lar Cristão – E-J

Gravado pelo Pr. Edson Poujeaux, no quadro “O Lar Cristão”, durante o Programa Momentos com Jesus. Os aconselhamentos conjugais são oriundos do Pr. Ismael Roselei, do blog Casados em Cristo, palestrante para casais, de Bernardino de Campos-SP, parceiro do Momentos com Jesus.
Permitida a utilização em programas radiofônicos, disponibilização para Downloads em outros sites (sem restrições), apenas vedada a comercialização de nossos arquivos.
1 Coríntios 9:18 “Nesse caso, qual é o meu galardão? É que, evangelizando, proponha, de graça, o evangelho, para não me valer do direito que ele me dá”.

Herança dos Pais aos Filhos

Herança dos Pais aos Filhos

Herança dos Pais aos FilhosHerança dos Pais aos Filhos

Certa vez, um menino de quatro anos chegou-se para o pai e fez a seguinte afirmação: “Papai, quando eu crescer, quero ser como o senhor”.

Qual pai nunca passou por uma situação semelhante? Alguns não ligam. Outros se importam. E devem.

   Foi o caso daquele pai. Naquele momento, ele estremeceu e se pôs a meditar sobre o tipo de pai que estava sendo e o exemplo que estava passando aos próprios filhos. Ele então comentou: “Desde que ouvi esta frase fiquei mais atento, para não dar exemplos de mera aparência, mas sinceros e consistentes, para que possam ser seguidos pelos meus filhos”.

   Uma boa referência para ajudar nessa avaliação é lembrar-se de seu próprio pai, do exemplo que foi na vida, da influência que deixou.

Bem ou mal, cada um de nós traz as marcas do pai e, não poucas vezes, as reflete no decorrer da vida. Isso é tão importante que a própria relação entre uma pessoa e Deus, o Pai celestial, pode ser afetada, positiva ou negativamente, a partir da realidade benéfica ou maléfica que é recebida como herança dos pais terrenos.

   No Dia dos Pais, portanto, é bom que cada pai indague-se a si próprio: Que modelo eu sou para os meus filhos?

   A resposta pode ajudar a determinar o legado que deixaremos aos nossos filhos, além de antecipar os tipos de filhos que legaremos ao mundo. O bom exemplo – falar a verdade, viver com fidelidade, andar em integridade – é um dos maiores legados que um pai pode deixar aos filhos.

   Infelizmente, não poucos pais têm transferido exclusivamente a outros (ao estado ou à escola, por exemplo) a formação moral e ética de seus filhos. Mas isto é um engano de custo altíssimo e de resultado duvidoso.

   A Bíblia oferece a seguinte orientação: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (Pv 22.6).

   Não basta apontar o caminho, é preciso andar com o filho “no caminho”, ou seja, dando o exemplo e vivendo e ensinando os valores morais e espirituais.

   Lembro-me da história de um menino de doze anos que foi uma testemunha chave num processo judicial. Um dos advogados, depois de interrogá-lo longamente, perguntou: “Seu pai lhe disse o que responder, não foi?”. O garoto respondeu: “Sim!”

   “Então nos diga, por favor, quais foram essas instruções?” – insistiu o advogado. O menino replicou: “Bem, papai me disse que os advogados iriam tentar me embaraçar; mas se eu fosse cuidadoso e falasse apenas a verdade, não iria cair em contradição”.

*****

   Além do moral dessa história – uma pessoa que fala a verdade não tem nada a esconder, mas a mentirosa paga um preço alto por sua desonestidade – há o indefectível exemplo de um pai que optou por ensinar o seu filho a andar no caminho da verdade. Não só porque uma mentira exige outra para encobri-la, e no final o mentiroso é apanhado em sua própria teia de engano, mas porque é a coisa certa a ser feita.

   Meus pais me ensinaram a falar sempre a verdade, e nunca mentir, a despeito de quão doloroso ou difícil pudesse ser. Esse é o mesmo modelo que ensinei a meus filhos.

   Infelizmente, alguns pais teimam em oferecer exemplos danosos aos filhos, cuja herança fatalmente cobrará um alto preço.
Pense no atual cenário político nacional, com o Governo repetidamente envolto em graves denúncias de corrupção, com o Congresso desmoralizado por causa dos maus políticos. Não é preocupante o dano que isso causa aos jovens filhos dessa Pátria?

O que dizer dos descendentes das pessoas envolvidas nos escândalos? Quando a conta dessa herança será apresentada à sociedade por aqueles que só aprenderam o desvalor de levar vantagem em tudo e a qualquer preço?

   O pai tem que pensar no preço de um bom ou de um mau exemplo, pois são seus filhos que conviverão com as consequências; são eles os principais candidatos à reprodução dos comportamentos de seus pais.

  Cada pai deveria pedir a ajuda de Deus, o Pai, para ser o melhor exemplo para seus filhos. Assim, a oração de cada pai deveria ter este cerne:
“Ajuda-me, meu Pai, a ser aquele homem que eu desejo que o meu filho um dia se transforme”.

  Autor Desconhecido

E o seu marido, será que ele tem necessidade de

E o seu marido, será que ele tem necessidade de se “sentir amado”?

E o seu marido, será que ele tem necessidade deE o seu marido, será que ele tem necessidade de se “sentir amado”?

Pr. Ismael Roselei, Min. Casados em Cristo*

Aqui no blog nós temos batido bastante na tecla para que os maridos demonstrem amor pela sua esposa, afirmando que elas têm necessidade de afeto, de carinho, e que a sensibilidade delas é algo importante para que haja alegria no relacionamento. Mas e com relação aos homens, será que eles também têm necessidade de se sentirem amados ou isso é “coisa de mulher”?

Os homens também precisam ter a convicção de que são amados. Para eles o amor está mais voltado ao respeito que sua mulher tem para com ele. Mas, o que é o respeito? Vamos considerar algumas coisas que denotam respeito para com ele: 

CONFIANÇA: O homem precisa que aqueles que estão debaixo de seus cuidados tenham confiança nele, que saibam e acreditem que ele está fazendo o melhor para o bem da família. Isso não quer dizer que não vai errar nunca ou acertar sempre, pois mesmo com o maior amor que possa amar, ele continuará sendo um ser falível, não terá a onipotência consigo.Quando a esposa não confia e ele se dá conta disso, é uma declaração de sua incompetência.

Isso pode se dar nas pequenas coisas do cotidiano, até mesmo um palpite vindo dela, um conselho, pode parecer-lhe que ela está dizendo que ele é um incapaz e não merece a confiança dela.

As mulheres por natureza são bem falantes, e às vezes falam até para provocar uma aproximação, melhorar a intimidade conjugal, mas é preciso dosar isso para que não provoque um efeito contrário.

É comum um marido pensar horas a fio em como resolver um problema e quando vai por a mão na massa, a esposa vem com duas ou mais soluções e alternativas para o problema, que na verdade ela mal teve tempo para pensar sobre ele. O marido pode ver isso como uma falta de confiança no “taco” dele.Algumas coisas são próprias para o marido resolver, e se ele pedir uma ajuda, não há problema algum nisso, aliás é muito bom resolver em conselho pois se houver um erro, não haverá acusação.

É sempre interessante ter um comportamento que favoreça a auto afirmação dele, isso é papel de ajudadora. Mas e se ele errar? Ora, será uma oportunidade para aprender e crescer.

A mulher quando for intervir, faça com tato e jeitinho próprio das mulheres para que ele não fique melindrado na sua masculinidade.

ACEITAÇÃO: Ser aceito como é, sem que se queira mudá-lo é um grande sinal de respeito e de amor para com ele.Se quiser mudá-lo, que seja sem palavras e cobranças, mas com gestos que o façam repensar a vida e suas atitudes. Ele precisa do aplauso dela nas coisas que faz.É uma validação, e isso tem a ver com o que ele é, pois é assim que um homem se vê e se julga, pelas suas realizações bem sucedidas.

Quer acabar com um homem ? Menospreze o seu trabalho, as suas habilidades, a sua competência e capacidade.Desconsidere-o por isso e não precisará mais nada para destruí-lo.

APRECIAÇÃO: Ele precisa se sentir importante na vida da esposa, sentir-se estimado como algo precioso,alguém imprescindível.Outro dia vi uma mulher fazer uma brincadeira com o marido dizendo que tinha ido almoçar com um ex-namorado, a intenção era provocá-lo,uma brincadeira de gosto duvidoso e eu fiquei pensando: “e se fosse comigo?”, qual seria o meu sentimento, e olha, não foi nada bom o que pensei.

Acredito que você ter a sensação de que é descartável, menos qualificado, pessoa menor, é algo terrível. Apreciação tem a ver com um julgamento positivo que se faz sobre a pessoa, é a valorização do outro.

ADMIRAÇÃO: é um sentimento de prazer por aquilo que é belo ou bom. Qual homem não gosta de ser admirado pelo que seu caráter, sua dignidade, competência e, porque não, pelos seus dotes físicos. Você mulher, pegue papel e caneta e comece a anotar as coisas boas que encontra no seu marido, você poderá se surpreender, verá que existem coisas não muito boas, mas também encontrará coisas interessantes nele.Ele é trabalhador, bom pai, bom filho, honesto nos contratos, bom pagador, temente a Deus ? Veja quantas coisas boas pode haver nele, a você cabe admirá-lo pelo que é e pelo que faz.

ENCORAJAMENTO: A esposa que encoraja, é aquela que diz ” você é bom nisso, vá em frente”, “Vai que vai dar certo!!”, é aquela que elogia. Ela é uma mola que impulsiona o homem para as suas conquistas, é alguém que vibra com os seus resultados.Se é um momento difícil da vida ela diz: “Vai que estou com você, conte comigo, você vai conseguir!”.

Isso é respeito, é a forma como os homens se sentem amados pelas suas esposas.

Sobre o autor: 

Ismael3

*Ismael Roselei de Carvalho, casado com Cleire Moura de Carvalho, ambos pastores da Igreja do Evangelho Quadrangular, há 19 anos como Pastor Titular, formado na carreira militar, serviu na Polícia Militar do Estado de São Paulo, de onde foi para a reserva no posto de Capitão PM. Tem 05 filhos, Diego, Letícia, Gizele, Leandro e Vitória.

É editor dos blogs: http://casadosemcristo.blogspot.com/ e http://aconselhamentoparacasal.wordpress.com/

 E-mail: i.rcarvalho@ig.com.br

Pedidos: através de email ou fone 14-33461588.

Educação dos filhos Responsabilidade dos pais

Educação dos filhos: Responsabilidade dos pais

Educação dos filhos Responsabilidade dos paisEducação dos filhos: Responsabilidade dos pais

I Crônicas 22:5 –  “Salomão, meu filho, ainda é moço e tenro; e a casa que se há de edificar ao Senhor deve sobremodo magnificente, para nome e glória em todas as terras; providenciarei, pois, para ela o necessário; assim preparou Davi em abundância antes de sua morte”  

     Há pais que confiam tanto na capacidade dos professores da Escola Bíblica Dominical em educar as crianças nos caminhos do Senhor que nem se preocupam com este “detalhe”: a educação dos filhos é de responsabilidade dos pais.

   Para eles é muito cômodo levar as crianças, dominicalmente, à Igreja; deixá-las numa sala de aula, aos cuidados de quem “tem-se preparado para este ministério”, e só! Creem que estão cumprindo fielmente o dever de pais crentes. “Meus filhos estão sendo criados na Igreja”. Mas, será isto suficiente? Educar crianças é dever da Igreja?

   O que nos ensina a Bíblia com relação à educação dos filhos?

   “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos,e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te.”(Deuteronômio 6:4-7).

   Aquilo que queremos que nossos filhos saibam deve ser transmitido por nós, pais, a eles.

   No 1º livro das Crônicas, no capítulo 17, podemos observar que:

   Davi era um homem preocupado com as coisas de Deus.

   Davi manifestou o desejo de construir uma casa ao Senhor, visto que ele tinha o seu próprio palácio, e a arca da aliança do Senhor se achava numa tenda.

   Quando o profeta Natã lhe transmitiu a palavra do Senhor, dizendo que, não a ele, mas ao seu filho, o que o sucederia no trono, seria dado o direito de realizar este intento, Davi orou ao Senhor, engrandecendo-O e agradecendo este favor de Deus à sua descendência (vers.16-27).

   Davi queria o melhor para o Senhor! (I Crônicas 22)   Uma vez que seria Salomão, e não ele, quem construiria a casa do Senhor, Davi poderia deixar toda a responsabilidade deste grande empreendimento nas mãos de seu filho.

“Como rei, Salomão terá conselheiros que poderão ajudá-lo!” – poderia pensar Davi.

   Mas… como ter certeza de que tudo sairia como o desejo do seu coração? Davi preocupava-se com seu filho!“Salomão, meu filho, ainda é moço e tenro; e a casa que se há de edificar ao Senhor deve sobremodo magnificente, para nome e glória em todas as terras; providenciarei, pois, para ela o necessário; assim preparou Davi em abundância antes de sua morte” (vers.5).

   Ele mesmo, o pai, providenciou material em abundância e da melhor qualidade (vers.4,5 e 14), além de artífices de toda a ordem (vers.2, 5 e 16a) – os melhores – para realizarem a obra, pois seu filho, ainda jovem, talvez não tivesse esta iniciativa; talvez, até nem construísse o templo; mas Davi tinha a certeza de que Salomão não o decepcionaria. Foi ele mesmo, o pai, quem passou todas as instruções ao filho!

   “Tu, meu filho Salomão, conhece o Deus de teu pai e serve-O de coração íntegro e alma voluntária, porque o Senhor esquadrinha todos os corações, e penetra todos os desígnios do pensamento. Se O buscares, Ele deixará achar-Se por ti; se O deixares, ele te rejeitará para sempre” (1º Crônicas 28:9).

O templo espiritual

   Assim como Davi se preocupou com os mínimos detalhes para a construção da casa do Senhor, devemos nós, pais, também, nos preocupar em preparar nossos filhos para serem templo do Espírito Santo.

   Podemos nos dirigir a nossos filhos e indagar-lhes, como o apóstolo Paulo, na 1ª carta aos Coríntios 3:16-17?

   “Não sabeis que sois santuários de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá, porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.”

Para pensar:

- A autoridade que exerço (ou deveria exercer!) sobre meus filhos me dá o direito de argüi-los e admoestá-los como Paulo fez aos coríntios?

- Qual tem sido minha atitude em relação à educação espiritual de ,meus filhos? Tenho tido o cuidado de providenciar o material necessário à construção do templo para a habitação do Espírito Santo ou tenho deixado tudo a cargo da Igreja?
· Tenho permitido que “conselheiros” ocupem o meu lugar na orientação de meus filhos?

· Quem são seus amigos? Eu os conheço?
· Quem tem influenciado a formação do caráter de meus filhos?

   Davi providenciou material da melhor qualidade e em quantidade suficiente para a construção do templo e contratou os melhores artífices para trabalharem na obra.

   É importante ter os filhos na Igreja, incentivando-os a participarem de todas as atividades propostas nas Divisões da EBD a que pertencem; nos grupos corais; Uniões de Treinamento… porém a edificação do templo começa e se realiza no lar. Os melhores artífices são (ou devem ser!) os pais; e o melhor material é o exemplo pessoal dos pais. Que o Senhor nosso Deus nos ajude nesta árdua mas gloriosa tarefa!

(autor desconhecido)

 

Fui traída no passado e hoje sou prisioneira dos meus sentimentos e do meu marido

fui traidaFui traída no passado e hoje sou prisioneira dos meus sentimentos e do meu marido

Aconselhamentos do Pr. Ismael Roselei, do Ministério

Casados em Cristo, na voz do Pr. Edson Poujeaux

download