Doutrinas X Costumes

doutrinas costumesDoutrinas X Costumes

“Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe”. (1 Timóteo 6:3)

Todo tipo de ensinamento deve estar de acordo com a Bíblia. O que não estiver nas Sagradas Escrituras, não pode ser considerado como “Doutrina”. O apóstolo Paulo afirmou: “Mas ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema”. (Gálatas 1:8) Sendo assim, o que está na Bíblia deve ser observado e respeitado. E o que não está na Bíblia, ou seja, outro evangelho, deve ser anátema (traduzindo: expulso do nosso meio). É o que nos ensina a Bíblia.

Porém, infelizmente há pessoas que confundem doutrina com costumes. Doutrina é o que está na Bíblia. Costumes são dogmas, tradições de uma cultura local, de um povo ou nação, e não se encontram nas Escrituras. Por exemplo: há uns quarenta anos atrás, algumas igrejas proibiam: ouvir rádio; beber refrigerantes; mascar chiclete; usar perfume; mulher não podia andar de bicicleta; mulher não podia ser vista conversando com homem algum; o casal de namorado não podia andar nem de mãos dadas! Calça jeans era sinal de fraqueza espiritual e a pessoa estava prestes a sair da igreja. E além do paletó e a gravata, tinha que usar um chapéu! Pergunta: Onde foram parar estas “doutrinas”? Não eram de Deus? E se eram, porque acabaram?? Se não eram de Deus, porque permaneceram por tanto tempo, suspendendo e excluindo irmãos da igreja?? Acabaram, porque não passavam de doutrinas de homens!

   “Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; as quais tem, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne”. Colossenses 2: 20-23

Nesse versículo, o apóstolo Paulo adverte aos Colossenses que todas essas doutrinas dos homens perecem! “Fostes comprados por bom preço. Não vos façais escravos dos homens”.(1 Coríntios 7:23).

Um exemplo bíblico dos que viviam na doutrina dos homens está em Marcos 7:1-8. Veja o que Jesus disse nesta passagem: “Foram ter com Jesus os fariseus, e alguns dos escribas vindos de Jerusalém, e repararam que alguns dos seus discípulos comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar. Pois os fariseus, e todos os judeus, guardando a tradição dos anciãos, não comem sem lavar as mãos cuidadosamente; e quando voltam do mercado, se não se purificarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como a lavagem de copos, de jarros e de vasos de bronze.(Note que eles observavam vários dogmas – as tradições dos anciãos). Perguntaram-lhe, pois, os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos anciãos, mas comem o pão com as mãos por lavar? Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim; mas em vão me adoram, ensinando
doutrinas que são preceitos de homens”.

Jesus chama de hipócritas, como já havia profetizado Isaías, aqueles que, ao invés de seguirem o mandamento de Deus, que está na Bíblia, seguem tradições, costumes impostos pelos homens. Aliás, se você é um leitor assíduo das Escrituras, vai notar nos evangelhos, que os escribas, fariseus, hipócritas eram conhecidos pela roupa! Isso mesmo! Queriam sempre mostrar boa aparência exterior: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia”.(Mateus 23:27)

Jesus nunca se vestiu de maneira especial para mostrar que era o Filho de Deus. Para Judas o identificar dentre os outros, teve que lhe dar um beijo, senão os homens não saberiam qual era. Se Jesus usasse alguma roupa especial, diferente, Judas apenas diria: “-Aquele que está com a roupa tal, da cor tal, etc…” Mas não. Judas teve que dizer: “Aquele que eu beijar, esse é: prendei-o”. (Mateus 26:48)

A santidade de Jesus não estava em roupas, mas em amor e sinceridade! E o pior de quem segue todos estes costumes de homens, é que além de seguirem estas “doutrinas”, ainda julgam e condenam todos os outros que não acompanham suas tradições. Jesus advertiu contra isso em Marcos 7. E o apóstolo Paulo aconselhou em Romanos 14:4,5: “Quem és tu, que julgas o servo alheio? Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz. E quem come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus;e quem não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus”.

Esta maravilhosa passagem de Romanos nos mostra que jamais devemos julgar nosso próximo por motivo algum. Seja por dogmas da igreja, costumes de roupas, e demais coisas de homens, que não se encontram nas Escrituras.

As roupas, desde o tempo de Jesus aos dias atuais, mudaram muito. Se houvesse alguma doutrina bíblica específica sobre roupas, teríamos que usar túnicas, mantos, aqueles vestidos enormes. Roupas sociais foram inventadas muito tempo depois de Jesus. Muitas igrejas que pregam sobre roupas usam como apoio, interpretando erroneamente Efésios 4:17:“Portanto digo isto, e testifico no Senhor, para que não mais andeis como andam os gentios, na vaidade do seu sentido”.

Mas será que este “andar” desse versículo trata de roupas? Essa VAIDADE trata das vestes apenas? Observe que Paulo fala da “…vaidade do seu sentido…”, e não da vaidade das vestes! Senão, vejamos o que nos diz os versículos restantes, do 25 ao 32: “Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo…Irai-vos, e não pequeis…não deis lugar ao diabo…Aquele que furtava, não furte mais…Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe…E não entristeçais o Espírito Santo de Deus…Toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia.”

Você percebeu que o “andar” de que fala a Bíblia, trata do caráter, e não do exterior do homem. Que a “vaidade” não se trata apenas das roupas, mas da integridade do cristão. É verdade que há mesmo vaidade nas roupas indecentes. Mas não estou defendendo isso. Porque como fica quem não usa o que é indecente? Estará em pecado porque não adota uma regra?  Nota-se entre muitos dos homens que pregam doutrinas de roupas, as malícias, contendas, invejas, fofocas, confusões, fruto dos julgamentos a que vivem acusando o próximo, ao invés do amor. A Bíblia nos ensina a amar e orar pelo irmão, ao invés de julgar.

Este estudo não tem o propósito de dizer que você não possa ter uma boa ética, de se vestir decentemente, para fazer a obra de Deus. Mas mostrar como é errado julgar segundo a aparência. (João 7:24)“Não julgueis segundo a aparência, mas sim pela reta justiça”.

Quando Deus mandou Samuel ungir a Davi como rei de Israel, Samuel viu Eliabe, e disse: “Certamente está perante o Senhor o seu ungido. Mas o Senhor disse a Samuel:Não atentes para a sua APARÊNCIA, nem para a grandeza da sua estatura,porque eu o rejeitei. Porque o Senhor não vê como vê o homem,pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração”. (1 Samuel 16:6,7)

Como é errado julgar as pessoas segundo a aparência! Muitas igrejas jogam mais pessoas no mundo do que ganham para o Reino de Deus. Toda doutrina de homem, imposta pelo homem, não surte outro efeito senão a apostasia, ou seja, o abandono da fé. Quem faz a obra é o Espírito Santo, e não o homem, com cobranças.

Saul tentou impor a Davi as roupas com as quais ele deveria lutar contra Golias. Veja o que diz 1 Samuel 17:38 e 39: “Então disse Saul a Davi: Vai, e o Senhor seja contigo. E vestiu a Davi da sua própria armadura, pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze, e o vestiu de uma couraça”.

A intenção de Saul era até boa, pois ele pensava que Davi iria precisar das armaduras (roupas) para pelejar contra Golias. Mas não foi assim: “Davi cingiu a espada sobre a armadura e procurou em vão andar, pois não estava acostumado àquilo. Então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois não estou acostumado. E Davi tirou aquilo de sobre si”.

O homem, até bem intencionado, pensa que venceremos o inimigo, com armaduras exteriores. Mas Efésios 6:10 nos ensina a vestir a Armadura de Deus, ou seja, Armadura Espiritual:

 No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.11  Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.12  Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.13  Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

14  Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;15  E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;16  Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.17  Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”.

Quanto a você ter uma posição diferente, isso é entre você e Deus. Se Deus está falando ao seu coração, se você realmente se sente bem adotando as vestimentas que adota, não se inquiete com o que eu acabei de dizer.  Porém, não julgue que seu irmão tenha que ser igual a você. Lembre-se, apenas, de que a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus, nos ensina, em Jo.13.35,  a identificar o verdadeiro servo de Deus, aquele que realmente é discípulo do Senhor Jesus. “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos,
se tiverdes amor uns aos outros”.

Deixe uma resposta