catolicismo

O CATOLICISMO ROMANO

catolicismoO CATOLICISMO ROMANO

O Catolicismo Romano é cristão?

Este estudo não está sendo escrito para julgar ou condenar. Seu único propósito é ajudá-lo a entender melhor a doutrina Católica, a fim de que estejamos preparados para comparecer diante do Julgamento de Deus, como todos nós teremos de fazê-lo, depois da morte:

Hebreus 9:27 E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o Juízo.

Nossos corações sofrem ao pensarmos que alguém ouvirá Jesus dizendo as seguintes palavras, naquele dia:

Mateus 7:23 Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.

Mesmo porque a Bíblia revela que o Senhor vai dizer estas palavras a muitas pessoas religiosas. Sabendo isso, é de vital importância que você não siga qualquer um cegamente.

Estude as doutrinas Católicas Romanas por você mesmo, a fim de encarar a Deus com confiança!

Advertência – Esta é uma obra séria. Não se pode esperar que o   Catolicismo, em suas publicações, testemunhe contra si mesmo ou concorde com os historiadores a quem damos preferências por serem mais confiáveis.

Referências e consultas:

Ficher’s The Reformation. 

Lindsay’s History of The Reformation. Sanford’s Cyclopaedecia Religious

Knouledge. Peloubet’s Bible Dictionary. Creighton’s History Papaci.

Hurst’s History of Christian Zeno’s Compendium of Church History.

Grande Enciclopedie Française. O Papa e o Concílio de Janus e Rui Barbosa em dois volumes. Pochet Bible Handbook de Halley. Ceia e Missa do ex-padre Gióia Martins. Cinqüenta Anos na Igreja Católica, ex-padre Chiniqui, Canadá. Roma, a Igreja e o Anticristo, Dr. Ernesto L. de Oliveira.

Noticiários de periódicos e textos da Bíblia Sagrada.

Conteúdo

Origem do papado e do Estado Do Vaticano

Rendas do Vaticano e das igrejas

Influencia do Vaticano

Decisões conciliares

Petra, Petros e Kephas

A Transubstanciação

O Vaticano e o pedestal de Maria

Origem dos Jesuítas

Referências da Bíblia ao papado

A igreja antes e depois do século IV

O declínio do papado

156 citações e 32 destaques

1- Prefácio

De modo geral, no Brasil há duas igrejas em evidência, a Católica Romana (religião oficial do país) e as demais. Enquanto o Catolicismo estrutura-se em “Ordens religiosas” sob um chefe visível – o Papa, as demais igrejas cristãs apresentam-se em “Denominações” todas com uma só base – a Bíblia.

As distâncias entre as Ordens Católicas assemelham-se às distancias entre as denominações evangélicas e com algumas exceções.

Nota-se ainda que Católicos e Evangélicos creem na Santíssima Trindade, Deus o Pai, o Filho e o Espírito Santo; compartilham da doutrina de que Cristo é o Salvador pela sua morte substitutiva; ambas as igrejas ensinam a existência de céu e inferno e aceitam a mesma Bíblia como a Palavra de Deus .

Mas se há tanta identidade, porquê caminham separadas?

Nos primeiros séculos houve uma única comunidade Cristã, Jesus havia dito:  “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome … Eis que estarei convosco até a consumação dos séculos!” (Mat. 18:20 e 28:20).

O Cristianismo teve continuidade com bispos, pastores, presbíteros e evangelistas; foram homens veneráveis como Policarpo, discípulo do apóstolo João, Inácio, Papias, Justino, Irineo, Origenes, João Crisóstomo e tantos outros.

Entre eles não havia maiores, embora o bispo Calixto tenha sido acusado por Tertuliano, advogado cristão de querer ser o ” O bispo dos bispos “(ano 208).

A igreja cristã recebeu o nome de Católica no Concilio de Constantinopla, presidido pelo imperador Romano Teodósio com o decreto “Cunctos Populos” no ano de 381. – Apostólica ela não é; Também não sabemos como ela pode ser Universal e Romana ao mesmo tempo. (ver Rivaux, História Eclesiástica, tomo I- Pág. 347).

Ainda não havia “Papa”, mas, nos fins do século IV as igrejas viram-se dominadas por cinco “patriarcas”, que foram os bispos de Antioquia, Jerusalém, Constantinopla, Alexandria, e Roma sobre a liderança do Cristianismo, mas o concilio de Calcedônia, no ano de 451, interveio concedendo igualdade com o bispo de Constantinopla com o de Roma.

O Papado como conhecemos, desenvolveu-se gradativamente, sustentado a princípio pelo Império Romano; não teve data de nascimento, não foi instituído por Cristo nem pelas igrejas, é intruso no Cristianismo e não se enquadra na Bíblia – conseguiu com sutileza manter-se na posição que ocupa. É identificado na Bíblia como ” Ponta Pequena ” (Daniel 7:8).

2 – Origem do papado e do Estado do Vaticano

O Catolicismo começou a tomar forma quando no ano 325 o Imperador Romano Constantino, convertido ao Cristianismo, convocou o 1º Concílio das igrejas que foi dirigido por Hósia Córdova com 318 bispos presentes. Constantino construiu a igreja do Salvador e os Papas passaram a ocupar um palácio oferecido por Fausta. – No século XV demoliram a igreja do Salvador para dar lugar à Basílica de São Pedro.

As igrejas que eram livres começaram a perder autonomia com o Papa Inocêncio I, ano 401 que dizendo-se “Governante das igrejas de Deus exigia que todas as controvérsias fossem levadas a ele.”

O Papa Leão I, ano 440, impôs mais respeito prescrevendo “Resistir a sua autoridade seria ir para o inferno” — Este papa aumentou sua influência bajulando o imperador Valentiniano III no ano 445, que cedeu a pretensão dele de exercer autoridade sobre as igrejas até então nas mãos do Estado.

Os historiadores viram nele “O papado emergindo das ruínas do império romano que desintegrava herdando dele o autoritarismo e o latim como língua.”

A palavra “Papa” significa pai; até o século V todos os bispos ocidentais foram chamados assim. Aos poucos restringiram esse tratamento aos bispos de Roma, útero que gerou o Papado.

Naquele tempo ninguém supunha que ” São Pedro fora Papa ” – Ele era casado e não teve ambições temporais.

O Papa Nicolau I anos 858-67 foi o primeiro a usar coroa; serviu-se com muito efeito de documentos espúrios surgidos no ano 857 conhecidos como “Pseudas Decretas De Isidoro” – Essas falsas ” decretais ” eram pretendidas serem de bispos do II e III séculos que “exaltavam o poder dos papas “.

Foram invenções corruptas e premeditadas cuja a falsidade foi descoberta depois da morte desse Papa – Nicolau havia mentido que esses documentos haviam estado por “séculos na igreja”.

As “Pseudas Decretais de Isidoro” selaram a pretensão do Clero Medieval com o sinete da Antiguidade e o Papado que era recente tornou-se coisa antiga .

Foi o maior embuste da história, os historiadores registraram que esses falsos documentos fortaleceram o Papado. ANTECIPOU EM 5 SÉCULOS o poder temporal deles e serviu de base para as leis canônicas da Igreja Católica Romana!

(citado por Halley, Pochet Bible Handbook pág. 685)

O ESTADO DO VATICANO desenvolveu-se com o papa Estevão II nos anos 741-52, que instigou Pepino o Breve e seu exército a conquistar territórios na Itália e doá-los à Igreja – Carlos Magno, seu pai, confirmou essa doação no ano 774, elevando o Catolicismo à posição de poder mundial surgindo o SANTO IMPÉRIO ROMANO sob a autoridade do Papa-Rei que durou 1.100 anos.

Carlos Magno próximo da morte arrependeu-se por doar territórios aos Papas, agonizando sofreu horríveis pesadelos lastimando-se assim: “Como me justificarei diante de Deus pelas guerras que irão devastar a Itália, pois os Papas são ambiciosos, eis porque se me apresentam imagens horríveis e monstruosas que me apavoram, devem merecer de Deus um severo castigo! ” (Pillati, Ed. Thomp.Tomo III, pag.. 64, 1876, Londres).

O papado que esteve 70 anos em Avinhão na França, voltou a ocupar o Vaticano no ano 1377, trazidos por Gregorio XI; derramaram muito sangue em guerras políticas e religiosas até 1806 quando Napoleão aprisionou o Papa Pio VII , 1740-1823. Mais tarde tentaram reagir, mas, Vítor Emanuelli no ano 1870 derrotou “as tropas do papa” tornando-se o primeiro Rei da Itália, pondo fim no Santo Império Romano, que de santo não nada tinha! (Isso se sucedeu no dia 20 de Setembro de 1870 ).

Os papas ficaram confinados no Vaticano até 1929 quando Mussolini e Pio XI no tratado de Latrão legalizaram esse estado religioso que é “controlado pela Cúria Romana e governada por 18 velhos Cardiais que controlam a carreira de bispo e monsenhores; o papa fica fora dessa pirâmide “(Estado 20-3-82 )

- No Brasil os católicos são orientados por 240 bispos mais conhecidos pela posição política do que pela religiosidade, estão divididos entre Conservadores, Progressistas e Não Alinhados… (Revista Veja 30-1-80).

3- Rendas do Vaticano e das Igrejas

Sem um sustento legítimo por estarem desacreditados os papas e a igreja sancionaram o blefe, canalizando para seus cofres quantias fabulosas, negociando cargos fabulosos e Cardinalatos, posições que valiam fortunas!

Além de vender relíquias e “pedaços da cruz”, negociavam o perdão de pecados mediante indulgências e amedrontam seus fiéis com o fogo do purgatório que criaram, prometendo no entanto, aliviar essa situação com missas pagas!

Desconhecendo a Bíblia Sagrada e o Amor de Deus milhões acabam aceitando esses expedientes matreiros do Catolicismo Romano.

O papa João XXIII, ano 1410, cobrava impostos dos prostíbulos contabilizando-os no orçamento do Vaticano. ( não confundir com o João XXIII mais recente).

O dominicano João Tétzel tornou-se famoso vendendo um documento oficial que “dava o direito antecipado de pecar!” Negociava outra indulgência incrível que garantia: “Ainda que tenhas violado Maria mãe de Deus, descerás para casa perdoado e certo do paraíso!”

O papa Leão X ano 1518 continuou o blefe, necessitando restaurar a igreja de São Pedro que rachava usou cofres com dizeres absurdos tais como: ” Ao som de cada moeda que cai neste cofre uma alma desprega do purgatório e voa para o paraíso!” (Tayne, Hist. da Literatura Ing. Coroado pela Acad. Francesa e Vol. II, pág. 35,de O Papa e o Concílio).

O Purgatório é o nervo exposto da igreja, não querem que toque! Mas esse dogma no dizer do historiador Cesare Cantú é a “Galinha dos ovos de ouro da Igreja” e o ex-padre Dr. Humberto Rodhen confirma, que com esse expediente a Igreja Católica recolhe por dia em todo o mundo 500 milhões de dólares!

Nos primeiros séculos da era Cristã ninguém ia para o purgatório porque não existia; foi criado por um decreto papal! – Nos países protestantes e nas outras igrejas cristãs não há esse perigo, criaram-no só para almas católicas!

Com esse dogma a Igreja peca duas vezes e cria um problema de consciência para os padres: Primeiro por oficializar uma inverdade, segundo por receber dinheiro em nome dessa inverdade!

O purgatório tornou-se “comércio espiritual” a partir de 1476 com o Papa Sixto IV, a Igreja é a única instituição no mundo que “negocia com as almas dos homens” (Apocalipse 18:13)

Nunca informam quando elas deixam o tormento, celebram missas por uma mesma pessoa falecida, sempre que haja um simplório para pagar! – Não há textos bíblicos de apoio a esse dogma, a não ser uma referência no livro apócrifo de Macabeus, sem valor.

OS CONFESSIONÁRIOS que “devassam os lares” servem para vários fins. Na Espanha e Portugal usavam-nos com eficiência para descobrirem e informar as autoridades o pensamento político dos generais “confessando” suas esposas!

Conseguem legados e doações de beatos e viúvas chorosas que buscando “absolvição ” podem ser aliciados entregando terras, fazendas e propriedades, “A Igreja no Brasil tem um vultoso patrimônio Imobiliário” (Est. S. Paulo 25-2-80)

São Bernardo, doutor da Igreja exprimia-se com amargura: “O Clero se diz pastores mas o que são é roubadores, não satisfeito com a lã das ovelhas bebem seu sangue!” (Roma, a Igreja e o Anticristo, Ernesto L. Oliveira, pág.178).

O Vaticano é a corte mais suntuosa da Europa, já não se preocupa com migalhas; aplicam os proventos desse comércio espiritual de tal forma que possuem Bancos próprios, edifícios e fazendas. – Presentemente católicos americanos reunidos em Chicago estão exigindo do Vaticano relatórios e balanços financeiros! (Est. S. Paulo 28-6-85).

Bem situados fizeram ” OPÇÃO PELOS POBRES” , lutando para distribuir as riquezas dos outros sem tocar nas suas.

4 – Influência do Vaticano e “Maioria Católica”

A influência religiosa do Vaticano e dos papas vem diminuindo sensivelmente, surgiu como poder mundial no século VI atingindo o ápice no século XIII, passando a declinar até nossos dias.

Com um passado pouco honroso, com seus dogmas questionados pela Cristandade, instituidores de celibato e com fortes pretensões políticas, a Igreja vem perdendo influência como instituição cristã. – Suas bulas e encíclicas já não são levadas a sério e quando mencionadas, não surtem efeito.

Essa perda de influência sucede por fora e por dentro. O Geral dos Minoristas João del Parma, canonizado, registrou que “A Cúria Romana está entregue a charlatania, ao embuste e ao engano sem dar atenção às almas que se perdem!”(Slimbene, Vita del Parma, pág. 169).

Vazios espiritualmente, recorreram ao artificialismo para conservar o povo ao seu redor. – Se o papa celebrasse as cerimônias, como fazem os pastores de outras igrejas cristãs, reduziria em 70% os curiosos, por essa razão sua indumentária é de espantar! Conforme o cerimonial o papa se apresenta com o Báculo, a Mitra, a Casula, a Meseta, a Estola, a Batina, o Manto, o Pálio, a Sobrepeliz, a Roquêta, a Faixa, o Solidéo, o Escapulário, a Coroa, a Tiara, as luvas de seda e os sapatos vermelhos de pelica, tudo muito colorido e atraente!

O Papa João Paulo II acrescentou mais uma peça na sua indumentária: Colete à prova de bala! – Comprou dois deles na firma Armoured Body nos Estados Unidos (Jornal de Milão, IL GIORNIO)

“A maioria Católica “, mencionada para humilhar outras Igrejas Cristãs , encontra-se nos países mal alfabetizados e menos desenvolvidos! – Por séculos a Igreja Católica não alfabetizou para explorar as massas com crendices; impediram os povos de examinar a Bíblia, fonte de progresso e liberdade!

Quando o clero menciona “religiões minoritárias” esquece milhões de cristãos, não católicos, exterminados pelo papado, retardando sua multiplicação.

Há duas civilizações bem definidas. – Esse assunto dispensa defesa por estar bem claro. – Temos a civilização chamada protestante de Bíblia aberta, governos estáveis, alfabetizada e desenvolvida, representada pela Alemanha, Escandinávia, Inglaterra, Escócia, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Suíça, e outras, todas de maioria ou grande densidade protestante.

A outra civilização, a católica romana, semi-analfabeta, com governos instáveis, orientadas pelo Vaticano, formada pela Espanha, Portugal,

México, América Latina, com todos os problemas que conhecemos e a Itália onde floresce o maior partido Comunista fora da Rússia! – Nenhuma nação protestante até hoje foi tragada pelo comunismo enquanto as nações católicas são vulneráveis aos Totalitarismos. (F. NITTI, o Estado, 2-3-30).

Grandes homens, entre eles Roosevelt, Rui Barbosa, Guerra Junqueiro, Getúlio Vargas, verberam o Catolicismo! – Destacamos, grande tributo que pronunciou-se contra a “romanização do Cristianismo” e citou D. Pedro II, , que acusou o Vaticano (Pio IX) de provocar discórdias entre nosso povo; esta acusação resultou na prisão do bispo D. Vital em 21-2-1874.

Getúlio Vargas lamentava: “As massas enganadas pelas imagens milagreiras enquanto a alta sociedade adota um catolicismo céptico e elegante” (H. Faria, Hist. de D. Pedro II, Vol. III, pag. 344, e O pais, de 29-8-1925,Rio).

O jornal texano “Fort worth star-telegram” numa reportagem intitulada “Católico no Brasil é também espirita” afirmou que o Brasil não é o maior país católico do mundo, mas sim o maior país espírita do mundo! Diz que a Umbanda trazida da África para o Brasil e o Catolicismo trazido pelos colonos portugueses formaram um sincretismo religioso, negociando estatuetas católicas e ídolos dos “terreiros”, junto com ervas milagrosas, poções de amor; dentes de jacarés, asas de morcegos e pós de baratas!”(Edição do acima de 15-2-83).

5 – Divergências e Contradições

Se a igreja Católica não se gloriasse de “ser a única” e os papas não ambicionassem a infalibilidade, não haveria razão para citar suas divergências e contradições: – O papa Gregório I, por exemplo, pronunciava-se contra um “Sacerdócio universal nas mãos de um só homem”, mas foi o que fizeram!

No ano 896 o Papa Estevão VI desenterrou o cadáver do Papa Formoso, tirou-lhe a veste, cortou sua cabeça e o jogou no Rio Tibre, em Roma!

Entre os anos 1305-77 a igreja foi governada por dois papas ao mesmo tempo, ambos infalíveis. Um em Avinhão na França e outro em Roma, proferindo anátemas e maldições um contra o outro; não temos espaço para citar a famosa “Epístola de Lúcifer” contra o papa de Avinhão no ano 1351!

A INFABILIDADE PAPAL – Essa pretensão começou com as “Pseudas Decretais de Isidoro”(ver pág. 2 deste folheto), mas os Concílios de Posa, o de Constança em 1414, o de Basiléa em 1431 e outros resistiram prescrevendo que “Os Papas estão sujeitos aos Concílios”.

Mais tarde, Pio IX ambicioso de poder e glória, impôs o dogma no Concílio Vaticano em 1869-70 tornando-se por decreto “Infalível!” Eis a ficha desse papa: Verberou as liberdades de consciência, de palavra, de culto e de imprensa; fomentou as superstições das relíquias e por conta própria, sem consultar nenhum Concílio, decretou o dogma da Imaculada Conceição em 1854!

A Igreja Ortodoxa chamou a “Infalibilidade” de blasfêmia que coroou o papado!

Quando ainda não eram “infalíveis” por volta do ano 1640 erraram no julgamento de Galileu! – Doente e com 70 anos o sábio foi trazido de maca diante do papa Urbano VII para retratar-se de seus conhecimentos de astronomia.

Galileu, temendo a inquisição, retratou-se assinando que a terra “não gira em torno do sol”. Ao sair de diante do papa perguntaram-lhe se havia assinado a retratação, Galileu disse: “Assinei, mas que gira, gira!” (Diálogos T.X. pág. 281)

Nunca se ajeitaram com liberdade e democracia, reclamam esses direitos somente onde não dominam; Pio IX dizia que “A liberdade de consciência foi o mais pestilento de todos os erros!” – A revista NEWSWEEK escreveu que “A Igreja Católica reclama Direitos Humanos no exterior, mas nega concedê-los aos seus próprios povos.” (Encíclica de 15-8-1954. Estado, 2-8-83)

Presentemente estão bloqueando o pedido insistente de 6 mil padres que desejam deixar a batina, mesmo assim 1274 deles “escaparam” em 1982. O Vaticano informou que durante a década 1973-83 em todo mundo 81.713 padres deserdaram! (Estado 13-2-80, 11-9-84 e 7-9-1985).

O sincretismo religioso atesta as contradições da Igreja: as doutrinas básicas da Bíblia não são importantes e as estatuetas religiosas do Catolicismo e as dos “Terreiros” se misturam nas procissões e nos lares.

Divorciado dos Evangelhos, o Catolicismo não consegue gerar seus próprios sacerdotes. “A metade dos padres no Brasil são estrangeiros!” (Ver. Veja 30-1-80)

Muitos bispos e maiores na hierarquia, divergem de vários dogmas que fossem abolidos aplaudiriam! – Está surgindo entre os Redentoristas e os Paulinos, padres que questionam o culto à Maria e às suas “enganosas aparições” – É um sopro Divino!

A mariolatria tende a decrescer e quem sabe, os Católicos se voltarão para Cristo “Nossa única esperança!”(Ver reportagem no Estado, 7-9-85)

O Vaticano manifesta-se contra o divórcio ficando “angustiado” quando é votado nos países católicos, mas mantém o Tribunal de Rota que anula casamentos de casais ilustres por grandes somas! – Querem o monopólio.

Induzem consciências sensíveis, especialmente do sexo feminino, escravizando-as:

Há milhares de mulheres e moças sem identidade, enclausuradas em lúgubres conventos devido a fé falsa que abraçaram! – Ninguém sabe que tipo de tratamento recebem; o Vaticano deveria ordenar a recuperação de suas mentes distorcidas, abrir os portões, devolvendo-as à sociedades! “O Convento, no dizer do escritor Jules Michelet, é o inferno onde a lei não entra!”(O Padre, a Mulher e a Família, pág 144)

6 – O Estado do Vaticano não pode Gloriar-se do seu Passado. As nações orgulham-se do seu passado e festejam seus benfeitores, mas o Vaticano evita mencionar sua história ou reproduzir a biografia de muitos papas por não harmonizar com o que diziam representar.

O papado no princípio sobreviveu apoiado pelo Império Romano e mais tarde fazendo alianças astutas com os francos, posteriormente ganhou prestígio com as “FALSAS DECRETAIS DE ISIDORO”, no começo da idade média usou a força dos países subservientes e mais tarde impôs autoridade derramando muito sangue na Inquisição, instituída pelo papa Inocêncio III.

Quase todos os papas foram autoritários, como Nicolau V, anos 1447-55, que autorizou o rei de Portugal “a guerrear com povos africanos, confiscar suas terras e fazer escravos.”

Esse papa dizia: “Sou tudo em todos, minha vontade prevalecerá; Cristo mandou Pedro embainhar a espada, mas eu mando desembainhar.”

Santo Afonso Leguori também surpreendeu quando prescreveu que a Igreja sanciona o roubo! Esse “Santo”, canonizado disse que “Se alguém roubar pouco, principalmente se for pobre não comete pecado!” (Dabium Leguori, citado por CHINIQUI, pág, 122)

IDENTIFICA-SE A IGREJA no Apocalipse como “Embriagada com o sangue dos Santos e das Testemunhas de Jesus”(Cap. 17:6) – VEJA SUAS PRINCIPAIS MATANÇAS:

1- Em 1208 exterminaram os cristãos Albaneses.

2- O FRADE TORQUEMADA, anos 1420-98, comandou por 8 anos a morte de 10.200 protestantes e intelectuais queimados vivos, foi horrível! – o bispo Hooper foi queimado com fogo insuficientemente e gritava: “Mais lenha, aumente o fogo!” Ao seu lado numa caixa estava o papel de perdão, bastava retratar-se, mas não o fez!

3- Só na Espanha 31.912 cristãos não católicos foram mortos. 291.450 martirizados e dois milhões banidos; a Espanha que era nação poderosa tornou-se país sem expressão!

4- Carlos V anos 1500-58, eliminou por ordem do papa 50 mil cristãos alemães!

5- O Papa Pio V anos 1566-72, exterminou 100.000 Anabatistas.

6- O Papa Gregório XIII anos 1572-85, organizou com os jesuítas o extermínio dos protestantes franceses e na noite de 24 de agosto de 1572 mataram 70 mil deles! – Esse papa comemorou mandando que as Igrejas cantassem o TE DEUN, trocassem presentes e cunhou moedas comemorativas as massacre.

7- Em 1590 o catolicismo eliminou uns 200 mil cristãos Huguenotes.

8- O Monarca alemão Fernando II anos 1578-1637 instigado pelos jesuítas começou uma guerra de extermínio aos protestantes; essa guerra religiosa terminou em guerra política e tirou a vida de 15 milhões de pessoas! (1618-48)

TUTA SCELERA ESSE POSSUNT, SECURA NON POSSUNT!

Em 1534 surgiu no cenário do Catolicismo Romano uma ORDEM SINISTRA! – Escreveu a página mais negra e horrenda da história da igreja. Foi criada pelo espanhol Inígo Lopes de Recalde, ex-pajem da corte e depois militar. – Ferido duas vezes na batalha de Pamplona, Inígo perdeu a aparência física, não podendo mais fazer parte na corte, adotou o pseudônimo de Inácio de Loyola, fundou a Ordem dos Jesuítas e foi canonizado pelo papa Gregório XV no ano de 1621.

O JURAMENTO DOS JESUÍTAS encontra-se no livro “Congressional de Relatórios”, pág. 3262 e em resumo diz: “Prometo ensinar a guerra lenta e secreta contra os protestantes e maçons… queimar vivo esses hereges, usar o veneno, o punhal ou a corda de estrangulamento… farei arrancar o estômago e o ventre de suas mulheres e esmagarei a cabeça de seus filhos contra a parede, a fim de aniquilar a raça!”

“Se eu for perjuro, as milícias do papa poderão cortar meus braços e minhas pernas, degolar-me, cortando minha garganta de orelha a orelha, abrir minha barriga e queimá-la com enxofre, etc.! – Assino meu nome com a ponta deste punhal molhado no meu próprio sangue.”

O papa Clemente VII os repudiou chamando-os de “intrigantes”. Mais tarde Clemente XVI em 21-7-1773, aboliu a Ordem, mas Pio VII no ano de 1914, restaurou os jesuítas que se dizem “Defensores do papa e braço direito da Igreja!”

Foram expulsos de Portugal e da França em 1759, da Boêmia em 1762, banidos da Espanha em 1766, Malta livrou-se deles em 1768 e a Dinamarca em 1772, etc.

Os Jesuítas consideram-se acima dos bispos por terem bulas que os isenta de sua jurisdição, os bons dicionários os identificam como astuciosos e hipócritas.”

São orientados por uma iminência quase papal conhecido como  Papa-Negro, cujas relações com o Vaticano não são claras (Ver História dos Jesuítas, Melo Morais).

7 – A IGREJA ANTES E DEPOIS DO SÉCULO IV

O Vaticano não é igreja, mas sim um organismo político-religioso que arrogando certas prerrogativas se interpõe entre Deus e os Católicos, conservando-os sob sujeição; certos teólogos veem no Vaticano “O espírito do império romano com roupagens do cristianismo.”

Em sucessivos concílios depois do século IV, os papas sancionaram muitos dogmas desconhecidos pelos Cristãos dos primeiros 500 anos e estranhos ao Novo Testamento. – A Igreja primitiva desconhecia até então a Transubstanciação, o Purgatório, o Celibato, a Infalibilidade papal, o Culto à Maria, a Veneração de imagens, o uso da água benta, velas, etc.

Viveram nos 4 primeiros séculos milhões de Cristãos, entre eles homens veneráveis conhecidos como “pais da igreja”.

ANOTE AS DATAS EM QUE VIVERAM ALGUNS DELES, todos antes do século IV.

Lino viveu no ano 65, Cleto no ano 69, Clemente no ano 95, Justino no ano 100, Santo Inácio no ano 110, Higino no ano 139, Papías no ano 140, Policarpo no ano 155, Santo Irineo viveu no ano 180, Orígenes no ano 220, Urbano no ano223, São Cipriano no ano 247, São Vicente viveu por volta do ano 310, São Silvestre no ano 314, São João Crisóstimo no ano 250, Santo Antão ano 356,São Jerônimo, tradutor da Bíblia viveu no ano 340, São Genaro e São Sebastião ano 384, Ambrósio no ano 397 e Santo Agostinho, bispo de Hipona, viveu no ano 420, etc.

AGORA NOTE AS DATAS NAS QUAIS ALGUNS DOGMAS QUE FORAM INTRODUZIDOS NA IGREJA, todos depois do século IV:

Ano 431, a igreja começa a cultuar Maria, mãe de Jesus.

Ano 503, decretam a existência do purgatório – começaram a cobrar “Missas de intenção” no ano 1476 – Esse dinheiro que recebem cria problemas de consciência, pois tem um fim específico.

Ano 783, iniciam a veneração de imagens (idolatria).

Ano 933, a igreja institui a “Canonização” – Nem todos os canonizados foram homens e mulheres santos. Essa distinção do Catolicismo tem sido concedida por bravura, por exterminarem protestantes, maçons e livres pensadores. Loyola por exemplo, foi canonizado e Anchieta ajudou a assassinar o holandês Jacques Le Balleur na Baía de Guanabara em 9 de fevereiro de 1558.

Ano 1074, instituído o Celibato. Segundo o escritor Leo Huberman, o celibato é exigido porque a igreja temia perder propriedades dos clérigos, caso casassem, devido às leis de herança. Há outro problema, muitos deles possuem dois nomes, o Frei Antão da igreja também pode ser no civil o João da Silva…

Ano 1190, começam a conceder perdão e favores espirituais por dinheiro! A igreja inicia os negócios com as indulgências.

Em 1208 começaram na missa, a “levantar” a hóstia para ser adorada; mas o vinho na Ceia do Senhor começou a ser negado aos fiéis a partir do Concílio de Constança, ano 1414. Essa decisão foi sancionada pelo papa João XXIII. Foi esse mesmo para que mandou queimar vivo João Huss, Reitor da Universidade de Praga, Boêmia.

Ano 1215, o papa Inocêncio III, por decreto instituiu a Transubstanciação, “valorizando” sobremaneira a Missa. (Definida no Concílio de Trento no ano 1551).

Ano 1870 declaram o papa infalível.

Anos 1854 e 1950, conseguiram depois de 18 séculos de resistência, impor os dogmas sobre Maria, o da Imaculada e o da Assunção, respectivamente.

Essas inovações foram introduzidas, como se observa, depois do século IV quando aquelas pessoas, pais da igreja, que souberam guardar a fé já não existiam.

Verifica-se que a igreja Católica não é legítima quando relacionada com o Novo Testamento e com a fé dos primeiros Cristãos.

O Vaticano e a igreja para serem honestos deveriam informar, inclusive nos calendários, que os cristãos primitivos que festejam, não foram Católicos romanos, pois nada souberam do festival de dogmas que foram criados. – Se vivessem hoje fariam outra opção religiosa, jamais o Catolicismo Romano!

8 –O VATICANO EM SEUS CONCÍLIOS ALTERA A DOUTRINA CRISTÃ

As datas abaixo sofrem pequenas variações nos tratados, mas são reais e confiáveis. Essas alterações criaram dogmas que são doutrinas indiscutíveis para a Igreja Católica, impedindo o clero de raciocinar, examinar e decidir entre o certo e o errado!

Verifica-se que o Catolicismo é uma maquinação ardilosa contra a inteligência e a liberdade, nas palavras de Aberdeem Gladestone.

Muito dogmas são baseados em lendas e suposições, outros estão impregnados de crendices que rebaixam o nível do Cristianismo original.

A maioria dos dogmas foram criados com fins lucrativos, outros conferem ao clero certa autoridade e influência social.

EIS ALGUMAS ALTERAÇÕES ESTRANHAS ÀS SAGRADAS ESCRITURAS:

Sempre houve, mesmo antes da Reforma, líderes e igrejas não-católicas perseguidas pelos papas. Entre eles os:

Albigênses, Valdenses, Anabatistas, etc.

O CATOLICISMO DESVIA A IGREJA DOS EVANGELHOS

Ano da instituição:

310, começam as rezas pelos mortos

320, começam a usar velas nas igrejas

325, o Imperador Constantino celebra o primeiro Concílio

394, o culto cristão é substituído pela missa

416, começaram a batizar crianças recém-nascidas

431, instituído o culto `Maria, mãe de Jesus

503, o Purgatório começa a existir… Missas pagas começaram no ano 1476

787, começam com os cultos à imagens

830, começam a usar ramos e água benta

933, instituída a canonização de “santos”

1184, Inquisição. Efetivada anos depois.

1190, instituem a venda de indulgências

1200, a hóstia substitui a Ceia

1216, instituída a confissão

1215, decretam a Transubstanciação

1546, livros apócrifos na Bíblia

1854, dogma da Imaculada Conceição

1870, infabilidade papal

1950, Assunção de Maria

Devido a essas alterações, a Igreja deixou de ser legítima e causou várias brechas  no Cristianismo; a cada alteração nas doutrinas bíblicas, levas de Cristãos organizavam igrejas independentes que se reuniam nas catacumbas de Roma.

Em 869 a Igreja Oriental separou-se de Roma recusando submissão ao papa, originando a Igreja Católica Ortodoxa.

Em 1517 o Monje Martin Lutero encontrou a Bíblia, inspirou-se nas   palavras do apóstolo Paulo em Romanos 1:17, onde diz: “O justo viverá da fé.” Raciocinou que a Salvação nos é dada pela fé em Cristo e não pelos ritos, sacramentos e penitências receitadas pelo catolicismo.

A palavra “protestante” apareceu quando Clemente VII 1529, tentou impedir que o Evangelho fosse pregado em alguns estados da Alemanha!

Os Cristãos não católicos fizeram um PROTESTO contra essa pretensão do papa e receberam o nome de PROTESTANTES, aplicado hoje a todos os evangélicos.

O mundo seria outro se a Igreja dos papas fosse desraigada de maneira mais profunda. O Cristianismo seria mais bíblico e menos idólatra.

 9 – O CONFRONTO BÍBLIA – CATOLICISMO ROMANO

Nos primeiros séculos, a Igreja manteve as doutrinas originais lutando contra os Concílios dos Papas. São Cipriano, bispo de Cártago, anos 249-58, alertava: “Não recebo opinião diferente das Escrituras Sagradas, seja de quem for!

“São Jerônimo anos 340-420 dizia o mesmo: “Se estiver escrito recebemo-lo, se não estiver escrito não receberemos, o que eles apresentam como Tradição a palavra de Deus o vesgasta!”

Foi contrariando homens como esses que a Igreja Católica perdeu a legitimidade (Adv. Creseon, pág.40, In. Agg. Proph., Cap. 1, no. 2)

Papa Pio IX anos 1846-74 definia a aversão da Igreja contra a Bíblia com estas palavras: “A leitura da Bíblia é um veneno!” – Em 1864 confirmou   sua posição dizendo: “A propagação da Bíblia é uma peste!”(Sillabus, 8-12-1864)

Eis alguns pontos do confronto Bíblia-Catolicismo:

1- ADORAÇÃO – O primeiro mandamento prescreve: “Eu sou o Senhor teu Deus! Não farás para ti imagens de escultura nem semelhança do que há em cima no céu… não te encurvarás a elas nem a servirás”, e o apóstolo João disse que “os ídolos devem ser evitados”(Êxodo 20 e I João 5:21)

No Catolicismo as imagens têm prioridade por serem os esteios da Igreja!

No rosário há paganismo e as estatuetas católicas são formas de idolatria que contrariam os 10 mandamentos.

Cristo ensinou a verdadeira adoração com estas palavras: “DEUS É ESPÍRITO, OS VERDADEIROS ADORADORES ADORARÃO O PAI EM ESPÍRITO E VERDADE, PORQUE O PAI PROCURA TAI QUE ASSIM O ADOREM.”(João 4:23)

Adorar em espírito é usar a mente e o coração em direção a Deus, sem fitar imagens de escultura que anulam a devoção!

2- MEDIAÇÃO – O apóstolo São Paulo lembrou que “SÓ HÁ UM MEDIADOR ENTRE DEUS E OS HOMENS, JESUS CRISTO e o apóstolo Pedro disse: DEBAIXO DO CÉU NÃO HÁ OUTRO NOME PELO QUAL DEVAMOS SER SALVOS” (II Tim 2:5 e Atos 4:12).

A igreja no entanto fez de Maria “Medianeira” até bispos e padres se fazem de mediadores e perdoadores de pecados como se fosse possível substituir Cristo em suas atribuições!

3- ETERNIDADE E SALVAÇÃO – O Novo Testamento em vários textos refere-se a certeza da Salvação dizendo: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo tu e tua casa; quem crer no Filho de Deus tem a vida eterna; quem crer e for batizado será salvo, etc.”

Dom HELDER CÂMARA no entanto, falando à Revista Veja nr. 867, surpreendeu dizendo que “Não tinha certeza da Salvação de sua alma!” –Como harmonizar o testemunho desse bispo com as afirmativas do Novo Testamento?

Se um bispo está nessa situação espiritual, que dizer do católico comum?

Alguns bispos e padres quando faleceu Dr. Tancredo Neves, proclamaram que “Os anjos levaram a alma de Tancredo para os braços de Deus!”, o que foi confortador, mas sete dias depois a Igreja deu marcha ré, ordenando missas por Tancredo nas chamas do Purgatório! – Afinal Tancredo está nos “braços de Deus ou em tormento?”

O Catolicismo atravanca o maravilhoso Caminho da Salvação com ritos, cerimônias, penitências, cultos à imagens e finalmente joga as almas no purgatório!

– Dificultam a salvação para tirar proveito!

4- LIMBO E PURGATÓRIO são lugares intermediários para onde “vão as almas dos católicos quando morrem” – As demais igrejas cristãs desaprovam esses dogmas. – Esses lugares não existem, mas são lucrativos e a igreja não os dispensa.

Ao criar o purgatório foram hábeis, pois prescrevem que “Os mortos nesse lugar, se comunicam com os vivos através das Missas de intenção e das indulgências!”- É aí que a igreja entra com seu “serviço!”

LIMBO é mais indecifrável, pois sendo instituído para receber as almas das crianças que morrem sem batismo, abriga também, os que por razões especiais não estão no purgatório! – Esses lugares intermediários são estranhos na Bíblia!

 10 – O Vaticano e o Pedestal de Maria (I)

No escudo do Papa João Paulo II, com referência à Maria – mãe de Jesus, está gravado: “TOTUS TUUS”, ou seja TODO TEU! O Papa refere-se a ela como corredentora.

Gradativamente papas, bispos e padres vêm destronando Deus e Cristo do coração dos católicos, substituindo-os pela devoção às imagens e pelo culto à Maria. – Confirmam as palavras do apóstolo Paulo que disse: “Honraram e serviram mais a criatura que o Criador”, ignorando outro texto bíblico que diz “Deus não reparte Sua glória com as imagens de escultura!”(Romanos 1:25 e Isaías 42:8 – ver Estado de São Paulo 25-3-83)

Na eternidade “Não se casa nem se dá em casamento” disse Cristo, não haverá sexo, ninguém nasce porque ninguém morre! “Todos serão como anjos de Deus, a carne e o sangue não herdarão o Reino dos Céus.”

Sendo assim com que propósito o Catolicismo alimenta a idéias de Maria como mulher está no céu com prerrogativas especiais? (Mat.22:30 e I Cor 11:50).

MUITOS DOGMAS DO CATOLICISMO por serem anti-bíblicos levaram séculos para serem “assimilados” – Veja como são introduzidos gradativamente:

1- No Concílio de Éfeso, ano 431 declararam Maria como Mãe de Deus.  Na verdade ela foi mãe do corpo físico de Jesus. Deus não tem mãe!

2- No Concílio de Latrão, ano 469, determinaram que Maria não teve outros filhos. – O Novo Testamento, no entanto, registrou que “José não coabitou com Maria SOMENTE ATÉ nascer Jesus”. A Bíblia diz que “Maria deu a luz a seu Filho PRIMOGÊNITO”. Se foi primogênito é porque vieram outros!…

Com 12 anos Ele ausentou-se e o casal aflito o procurou. Maria disse ao menino Jesus “Eu e TEU PAI te procuramos!”- Se procuraram o filho juntos é porque conviviam! (Mat. 1:25, Lucas 2:7 e 2:42-48)

Iminentes cristãos inclusive do II Século registraram que Maria teve outros filhos com José; afinal casar-se e Ter filhos não desonra, o que desmerece e muito é a condição de celibatário!

3- No Concílio de Nicéa, ano 787, instituíram o Culto à Maria (hiperdulia)

A igreja foi hábil pedindo a uma mulher, a Imperatriz Irene, que presidisse o Concílio! Com esse estratagema conseguiram sensibilizar os bispos que aprovaram a nova devoção sancionada pelo papa Adriano I.

Essa devolução é ilusória. Maria não toma conhecimento, porque inclusive os Santos não tem onipresença, nem onisciência, atributos exclusivos de Deus!

4- O Dogma da “Imaculada Conceição” foi proclamada em 1854 pelo papa, Pio IX, por conta própria e sem consultar nenhum Concílio! – Esse papa verberou as liberdades de Consciência, de Culto, da Palavra e da Imprensa!

5- Cem anos depois, em 1950 a velha Igreja Católica escorrega de novo, deixando a cristandade perplexa! – Baseando numa lenda infantil, de 15 séculos atrás, o papa Pio XII proclama a “Assunção de Maria!”

Cogitam aumentar o peso de sua coroa proclamando- a “Rainha dos Céus, mãe de todas as graças” e outros exageros que se estivesse aqui, recusaria!

A caducidade da Igreja pode aumentar, já há entre eles quem deseje uma posição de Maria na Santíssima Trindade! – Abyssus, abyssum invocat!

A mãe de Jesus é invocada no Catolicismo como Nossa Senhora do Parto, das Dores, da Agonia, etc. Mas, a menção mais insensata e irreverente à Maria encontramos nas palavras do Padre Antônio Vieira (Vol. 10, pág 198), onde compara o “VENTRE VIRGINAL DE MARIA COM A LETRA Ó”. Essa expressão deu origem à Nossa Senhora do Ó, adorada em todo o Brasil!

Muito mais estranho é a doutrina dos jesuítas no “ÉLUCIDARIUM DE POSA”, onde descrevem Maria, concorrendo como homem e mulher para produzir o corpo de Cristo! (Secundan generalem naturae tenorem ex parte maris et ex parte feminae). – As igrejas evangélicas não são irreverentes assim com o nome da mãe do Salvador! (Ver Os Jesuítas, Ano IV, nr. 1, pág 5 , Rio de Janeiro).

 11 – O Vaticano e o Pedestal de Maria (II)

Quando a imagem de Maria foi introduzida pela primeira vez nas igrejas no ano 450, o clero acalmava os cristãos explicando que a imagem servia para “CONTRABALANÇAR” com as formosas deusas pagãs que desfilavam nas procissões de Roma, inferiorizando o Cristianismo!…

Mais tarde, verificou-se que o Catolicismo incentiva a devoção à Maria para sensibilizar e atrair o sexo feminino que mobiliza famílias e pessoas para as missas e “festas dos santos e padroeiros…”

“Os Jesuítas dizem que a mulher é um grande instrumento! É a chave com a qual se entra nas famílias, com elas se consegue grandes séquitos, as festas se tornam pomposas e ajudam a igreja manejar as plebes!” (Borba Crainha, Liceu de Braga, Portugal)

Para incentivar essa devoção os Dominicanos criaram a “Salve Rainha” no ano 1221 e o jesuíta João Leunis instituiu a “Congregação Mariana” em 1563.

Em 5 de março de 1967 na Capela Sixtina, o pontífice, ignorando as Sagradas Escrituras, reafirmou a blasfêmia que desloca Jesus proclamando: “Vamos a Maria, através dela chegaremos a Jesus!” Embora sem êxito a igreja teima na posição de Maria como mediadora.

O nome da mãe de Jesus é usado na Igreja Católica para vários fins. Na cidade de Aparecida, Estado de S. Paulo, usam-no para atrair romeiros, em geral pessoas crédulas, das quais a igreja recolhe proventos, usando vários artifícios.

O  Clero não crê nos milagres e lendas em torno da imagem da Aparecida e previne que “A igreja de modo nenhum pretende fazer de tais relatos matéria de fé.”(Pergunte e Responderemos 71/1963).

A única razão prática daquele enorme templo em Aparecida é recolher dinheiro, enquanto o povo curte a crendice; não traz nenhum benefício espiritual, pelo contrário, rouba a adoração que os romeiros devem a Deus!

A história dessa basílica vem de 1717 quando João Alves, Domingos Garcia e Felipe Pedroso, recolheram numa rede, no Rio Paraíba, uma imagem de uns 30 centímetros e fizeram-lhe uma capela.

Por várias noites a “imagem fugia e era encontrada no morro dos coqueiros” o padre José Alves Vilela, um espertalhão que planejava tudo, dizia na missa que a “santinha desejava uma igreja em cima do morro!” mas o bispo desobedeceu a “imagem fujona” e fez o templo onde se encontra.

A “Fundação Aparecida” faz na cidade um grande negócio! Possui Hotel, 4 restaurantes, 80 lojas, uma fábrica de velas, estação de rádio, etc. Esse complexo rendia em 1980, 600 milhões de cruzeiros, ou seja, 4 vezes o orçamento do município!

Os entendidos em Catolicismo Romano dizem que “Se eles não ensinarem essa devoção ao povo simples, a Igreja vem abaixo, o clero perde o prestigio entre as mulheres e grande parte dos lucros que usufruem.

A REZA “AVE MARIA” vem do ano 1317, foi escrita e difundida pelo papa João XXII anos 1316-34. – A palavra AVE era saudação dos romanos ao seu imperador nas arenas; quando o anjo saudou Maria disse-lhe: SALVE! Lucas 1:28.

Nessa reza João XXII misturou doutrina espírita com textos bíblicos para confundir, pois a expressão “Rogai por nós agora e na hora da nossa morte” é estranha ao Cristianismo e na Bíblia. Os cristãos jamais apelaram para os mortos, mesmo que tenham sido santos!

Essa frase foi introduzida na reza, maliciosamente, pois sugere Maria como Mediadora, contrariando as Escrituras Sagradas que dizem: ‘Só há um MEDIADOR entre Deus e os homens, Jesus Cristo!”(I Tim. 2:5)

Cristo não ensinou rezas, ensinou orações. Rezar é repetir textos decorados, usando o rosário como instrumento de repetição. Ele disse: “Ao orar não useis de vãs repetições, pois não é por muito falar que se é ouvido.”(Mat.6:7)

 12 – A Ceia do Senhor e a Missa (I)

A “MISSA” substituiu o Culto Cristão no ano 394, e tornou-se sacramento a partir do ano 604, com S. Gregório. – A CEIA DO SENHOR, que era simples como se vê no quadro da “Última Ceia” de Leonardo da Vinci, foi celebrada dessa forma por doze séculos, mas no ano de 1200 a Igreja Católica substituiu o pão pela hóstia.

A Ceia Cristã sofreu nova agressão quando do Concílio de Roma, anos 1215-16, isolou as palavras figuradas de Cristo “Isto é meu corpo e isto é meu sangue”,fizeram uma péssima exegese criando o dogma da Transubstanciação.

No ano 1414, o papa João XXIII, retirou o vinho da cerimônia e as Igrejas passaram a servir aos fiéis somente a hóstia. – O Catolicismo diz que esse papa foi “antipapa” mas acolhem essa sua decisão até hoje.

O CONCÍLIO DE TRENTO, ano 1551, deu o golpe final contra a Ceia do Senhor, definindo e aprovando o dogma da Transubstanciação! – A partir desse Concílio, qualquer sacerdote católico, com um passe, transforma o trigo, vinho e água em carne, ossos, sangue, nervos e cabelos de Cristo, tudo dentro de uma hóstia!

A palavra “eucaristia” significa ação de graças, até hoje os teólogos católicos desentendem entre si sobre a aplicação desse termo no “santíssimo sacramento”(Ver a Missa, pág. 14, do ex padre Dr. Aníbal Reis).

O papa Pio IX gloriava-se com o dogma exclamando: “Não somos simples mortais, somos superiores à Maria, ela deu a luz só a um Cristo, mas nós podemos fazer quantos cristos quisermos!”(Gazzeta da Alemanha nr. 21, 1870)

Até o século XII, nenhum cristão aceitava que a farinha se transformasse em Cristo, até que surgiu um papa autoritário e truculento que sancionou o dogma! Esse papa foi Inocêncio III, anos 1198-1216 – CONHEÇA SEU PERFIL:

Dizia que “O céu e a terra se submetem ao vigário de Cristo.”

Condenou a “Carta Magna” e ordenou o massacre no ano 1208 dos Albigenses na França. – Organizou duas cruzadas guerreiras.

Instituiu o confessionário e introduziu a hóstia nas igrejas.

Proibiu a leitura da Bíblia.

Decretou a Inquisição, efetivada pelo para Gregório IX, milhares morreram.

Sancionou a Transubstanciação por decreto, uma temeridade!

A igreja resistiu ao dogma por 335 anos, mas foi vencida. Alguns decidiram por milhões e a inverdade prevaleceu.

A igreja exige respeito pelo dogma, pedem que não mastiguem a hóstia e o Missal Romano, pág. 58, prescreve que “Se um padre sentir-se mal durante a celebração da missa e vomitar a hóstia, deve engolir o que pôs para fora.

Quando a transubstanciação foi introduzida nas Igrejas Católicas houve discussões escolásticas! O professor Alexandre Halles ensinava que “Se um morcego engolir uma hóstia terá engolido o próprio Cristo!”- O bispo Boaventura achou repugnante, mas S. Tomaz deu razão para Alexandre. (Roma, a Igreja e o Anticristo, pág 280).

No Canadá, o jovem padre Daule descuidou de umas hóstias, horrorizado viu ratos devorando-as! – Correu em direção ao bispo exclamando: “Os ratos comeram nosso bom Deus!”(citado pelo padre CHINIQUI, sua biografia, pág. 334).

O Ex padre e Dr. Hipólito de Oliveira Campos, quando exercia o sacerdócio em Cuiabá, esqueceu hóstias que emboloraram criando larvas! – Resta perguntar, que tipo de cristo possui o Catolicismo Romano?

RUBANO MAURO, anos 788-857, Abade de Fulda, depois Arcebispo de Moguncia, considerava “Heresia grave supor que na eucaristia estava presente a carne nascida de Maria.”(Epístola ad Heribaldum)

SANTO AGOSTINHO, bispo de Hipona, anos 354-430, gracejava jocosamente da transubstanciação, cuja idéia já existia no seu tempo. – Pregando nas Igrejas dizia: “Por que preparas os dentes e o estômago? Confiar em Cristo é comer o Pão da Vida, não se pode engolir Aquele que subiu vivo para o céu!” (Ver tratado sobre João nr. VXV e Sermões nr. 131, nr.1).

A “LA GRANDE ENCICLOPEDIE FRANÇAISE” comentando a eucaristia escreveu que “Os teólogos católicos imaginaram os povos mais feiticistas e os cultos mais idólatras! – Tomam a farinha cozida e o vinho e dizem: Eis nosso Deus, comei-o!”

Proibidos de raciocinar, os clérigos esqueceram de ler Santo Agostinho e a IGNORÂNCIA TORNOU-SE MOLÉSTIA GERAL!

 13 – A Ceia do Senhor e a Missa (II)

Nosso Senhor usava parábolas e metáforas dizendo: “Quem beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede; Eu Sou o pão que desceu do céu; minha carne é verdadeiramente comida e meu sangue bebida.”, etc.

Os discípulos perguntaram-lhe: “Por que falas por parábolas?” – No contexto Jesus explicou: “As palavras que Eu vos digo são espírito e vida!”(João 6:63)

Com esses esclarecimentos do Mestre não é difícil entender que o pão e o  vinho na Ceia do Senhor APENAS RECORDAM o corpo e o sangue dele, mas não há “Presença real” como quer a Igreja Católica Romana.

Foi tomando essas palavras ao pé da letra e tropeçando em metáforas que o Catolicismo transformou a simples hóstia em coisa complicada! O papa Gelásio I, ano 492-6, ensinava que “A natureza dos elementos da Ceia não deixavam de existir depois da benção”.

O papa Gelásio II, anos 1118-19, não aceitava a transubstanciação dizendo: “Na eucaristia a natureza do pão e do vinho não cessam de existir e ordenava as igrejas que servissem aos fiéis o vinho e não somente o pão.”

O papa romano S. Clemente pensava igual, expressou-se assim: “O pão e o vinho na Ceia são símbolos. Não se transformam em coisa alguma!

Albertinus cita Pio II como discordante também.

Como também não é possível acarear os papas, os católicos deveriam estudar o espírito das palavras de Cristo quando se referiu à Ceia (Fontes de referência: Da Duabos in Cristo adv. Eutychem et Nestorium, São TOMAZ Sum Theo., Vol. 7,pág.134, e, Clemente Livro VII, cáp. V, pág.23)

Albertinus cita ainda quatro Cardiais de então: Bonaventura, Alícuo, Cujan e Cajetano, dois Arcebispos, cino Bispos e 19 doutores da igreja que

interpretavam o Evangelho de João, cáp. 6:53-63, no sentido espiritual e simbólico.

S. Cirilo de Jerusalém e S. Gregório de Nissa fizeram referências à “união mística” na eucaristia, mas nada falaram sobre “presença real” (Sacra Coena Adv.Lanfrancum e Cath XXI, 13 respectivamente).

A doutrina da transformação dos elementos na Eucaristia, apresenta sérios problemas para o raciocínio! Se Cristo disse para celebrar a Ceia “Até que Eu venha” não pode estar presente! – Se vem não está!

Ele foi o primeiro a servir-se da Ceia. Teia Cristo engolido a Si mesmo?

Concílio de Trento complicou ainda mais o assunto prescrevendo que “Se uma hóstia for partida em muitos pedaços, Cristo estará presente em cada  fração; se uma parte cair no altar, o lugar deverá ser lambido com a língua!”(Concílio de Trento, Seção XIII, cáp. 3, D.876)

Verifica-se que esse dogma não resiste a nenhuma análise: seu mais “perigosoadversário não são os teólogos protestantes, mas sim os cientistas como Einstein, Oppenhelmer e outros corifeus da ciência atômica!…”

A CELEBRAÇÃO DA MISSA é mais uma encenação do que um Culto cristão. –Veja como Marinho Cochem descreve a cerimônia na “Explicação da Missa”,pag.40)

O sacerdote durante uma só missa benze-se 16 vezes, volta-se para o povo outras 16 vezes; beija o altar 8 vezes, levanta os olhos 11 vezes, 10 vezes bate no peito e ajoelha-se 10 vezes e junta a mão 54 vezes!

Faz 21 inclinações com a cabeça e 7 com os ombros, inclina-se 8 vezes e beija a oferta 36 vezes; põe as mãos sobre o peito 11 vezes e 8 vezes olha para o céu. Faz 11 orações em voz baixa e 13 em voz alta, descobre o cálice e o cobre de novo 5 vezes e muda de lugar 20 vezes!

Talvez foi por isso que Jesus disse: “Vinde a Mim e Eu vos darei descanso!” A transubstanciação romanista é pura ilusão e não pode ser aceita por nenhuma inteligência esclarecida e alimentada pela leitura das Sagradas Escrituras.

 14 – Petros, Petha, Kephas e as chaves do céu

NA SUPOSIÇÃO de que Cristo edificou Sua Igreja sobre Pedro, os Papas trataram de estabelecer uma linha de sucessão com esse apóstolo.

Para isso embaralharam as palavrinhas gregas “petros e petras” encontradas em Mateus 16:18,  fizeram uma exegese tendenciosa e confundiram a cristandade, uma  vez que “petros” quer dizer seixo ou pedrinha e “petra” significa rocha, que no texto e nos contextos é Cristo sobre quem a Igreja foi edificada. Equivocaram-se com essa “sucessão”, pois Cristo é a base da igreja.

O Novo Testamento foi escrito em grego. – Jesus disse ao apóstolo: “Tu és PETROS e sobre esta PEDRA edificarei minha Igreja.”

Santo Agostinho, bispo de Hipona, também afirmava que a Pedra em Mateus 16:18 é Cristo. “Nenhum autor grego jamais empregou a palavra petros no sentido de petra”, e Pedro era conhecido como Simão Petros e não Simão Petra! (H. Lidell. Greg. English. Lexicon in loco).

Jesus falava o ARAMAICO, língua popular e certamente o grego usado nas grandes cidades, por essa razão o Catolicismo quando se vê em dificuldades “escapa” dizendo que Mateus 16:18 foi proferido em aramaico! Mas esse salto não os favorece.

Imaginemos que o Mestre, no hipotético texto em aramaico tivesse dito: “Tu és KEPHAS e sobre esta KEPHAS edificarei minha igreja”, então teríamos problemas em João 1:42 onde a primeira expressão KEPHAS significa Pedro e não petra!

Torna-se difícil, como quer a Igreja, colocar Pedro na cadeira de Cristo.

Se houvesse realmente dúvidas, que exigisse definição sobre em quem a Igreja foi edificada, todos os cristãos escolheriam o nome de Cristo! É mais coerente, mais razoável e mais seguro: Pedro não comportaria tanta magnitude.

Paulo escreveu à igreja de Corinto que Cristo é o alicerce da Igreja, e  advertiu que “NINGUÉM PODE LANÇAR OUTRO FUNDAMENTO”(I Cor 3:11)

Fundamento se coloca uma vez só, se Pedro fosse o alicerce da Igreja, como explicar a sucessão, pois não se põe fundamento em cima de fundamento!

Esse apóstolo corrige o Catolicismo em sua carta, indicando Cristo como a pedra principal “eleita e preciosa” sobre quem a igreja foi edificada. (I Pe 2:4-9).Consta que Pedro foi pastor das ovelhas e não pastor de pastores!

Se a Igreja Católica deseja encontrar o Sucessor de Cristo, basta folhear o Novo Testamento no Evangelho de João onde diz: – Eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador, o Espírito Santo, que ficará convosco para todo sempre!  Qualquer outro “sucessor” é suspeito.

AS CHAVES DO REINO DOS CÉUS (Mateus 16:19)

A Igreja sempre tropeçou nas palavras figuradas do Novo Testamento! Desta vez tomou ao pé da letra e gravou duas grandes chaves no Escudo do Vaticano!

Qualquer estudante da Bíblia deduz que as chaves que Cristo deu a Pedro, aos  demais apóstolos e a Igreja é a MENSAGEM DOS EVANGELHOS que abre as portas da graça de Deus concedendo Salvação aos que creem.

Jesus dizia: Eu sou a Porta! – As chaves por Ele referidas são símbolos da capacidade de abrir e explicar as verdades do Evangelho. Pedro usou essas chaves pregando primeiro aos judeus e depois aos gentios (Atos 2 e 15:7-14) – A igreja e os demais apóstolos receberam igualmente essa chave que é a MENSAGEM! – (I João 20:23, Mat. 18:16-18)

Se a Igreja Católica supõe uma chave material pode esquecê-la porque “As portas do céu não se fecham nem de dia, nem de noite!”(Isaías 60:11)

Se em alguma circunstância for necessário movimentar essas portas as chaves estão com Cristo que Abre e ninguém fecha e ninguém abre” (Apoc. 3:7)

Como a maioria dos Católicos não leva a sério os dogmas da Igreja, fazem chacota de tudo! Apresentam Pedro com duas grandes chaves, é o porteiro do Céu, e controla as chuvas… Santo Antonio ajuda a conseguir noivados e casamentos enquanto Santo Onofre é reverenciado pelos alcoólatras e assim por diante…

Todas essas baboseiras romanistas rebaixam o Cristianismo.

15 – O Declínio do Papado

O PAPADO FOI PODER MUNDIAL, dominou vastos territórios, submeteu reis, recolheu impostos, teve exércitos armados e destruiu seus opositores! – Declaravam que “Tinham poderes para revogar leis, mudar os tempos e

MUDAR OS PRECEITOS DE CRISTO!”- Podemos, diziam, fazer com que o errado seja certo! (Ver Decretal da Transl. Episc.)

Mas depois do século XIII o papado começou a declinar tanto que nos fins do século XVIII só lhes restava o Vaticano!

VEJA OS LANCES DESSA QUEDA:

1- No ano 869 a Igreja Ortodoxa emancipou-se de Roma, anos depois criticou a “Infalibilidade como blasfêmia que coroou o Papado!”

2- O Papa Bonifácio VIII, ano 1924, redigiu a bula “Unam Sanctam” que prescrevia: “Toda a criatura para se salvar deve submeter-se ao Pontífice Romano”- Como a Igreja havia os massacrado os Cristãos não Católicos na França em 1229 e continuavam com perseguições religiosas, o Rei Felipe o Belo, em parte por vingança, humilhou o papado até o pó! – Removidos para Avinhão, tornaram-se meros instrumentos da corte francesa por 70 anos!

3- Os papas foram verberados por cristãos iminentes:

Adriano IV, anos 1154-59, mandou enforcar Arnaldo de Brécia por “tornar público os latifúndios da Igreja!”

João Huss, anos 1369-1415 foi queimado vivo por pregar contra o culto às imagens e mostrar que na Bíblia não havia purgatório!

O papa Alexandre VI anos 1492-1503, mandou enforcar o grande orador sacro Savonaróla, por denunciar suas imoralidades e vícios.

Outros tomaram coragem como Petrarca, anos 1304-1374, que chamou o Vaticano de “Cloaca do Inferno!”

4- Outra força que contribuiu para o declínio do papado foi a Renascença (Reavivamento cultural do século XIII). – Surgiu a imprensa, a Bíblia foi editada, o povo instruiu-se e a “mente humana emancipou-se da influência clerical.”

5- A Reforma vem no ano de 1517, ao troar a trombeta de Martin Lutero, vários países ergueram-se como gigantes que despertam! – Lutero relacionou a Bíblia com a Igreja dos papas e ficou perplexo! – Dizia ao papa: “Raciocinemos sobre isto!” e o papa respondia: “Submete-te senão morrerás queimado!” Depois de Lutero vieram Zwinglio, Calvino, Knox e outros que fortaleceram os cristãos perseguidos!

6- A difusão da Bíblia, o aumento da cultura e as outras igrejas Cristãs, também contribuíram para o declínio do papado. Essas forças ensinaram o catolicismo a conviver com certas conquistas sociais como liberdade de consciência, democracia, direitos humanos, etc.

7- Em 1870 Victor Emanuelli fez um plebiscito para anexar Roma à Itália. A votação foi de 133.648 votos a favor e 1.507 contra. – Perdendo para a Itália, o papado sofreu tremenda humilhação, além de tornarem-se súditos do governo italiano! – Essa derrota foi nos dias de Pio IX.

8- O SENADO DA ITÁLIA acaba de aprovar uma lei na qual o Catolicismo deixa de ser religião nacional, estabelece igualdade de Culto, separação entre a Igreja e o Estado, Roma não é mais “Cidade Sagrada”, e obriga o Vaticano a pagar impostos das propriedades que possuem em Roma! É o declínio que se acentua! (Estado de S. Paulo, 25.01.84)

Com seus dogmas opostos ao Novo Testamento, impregnado de superstições e crendices, como consegue o Catolicismo sobreviver como instituição cristã?

Para isso fomentaram Casas de ensino, Casas de Caridade, tornaram-se políticos, partiram para a cultura e adotaram o sincretismo religioso! – Com esses expedientes fundiram-se na sociedade, conseguindo disfarçar sua falência como Igreja Cristã.

 16 – Referências da Bíblia ao Papado e ao Vaticano

O SISTEMA POLÍTICO-RELIGIOSO CATÓLICO ROMANO por ser de grande envergadura mereceu “menção especial” na Bíblia Sagrada! O profeta Daniel, ano 600 A.C., e João, autor do Apocalipse, ano 90 D.C. foram os que mais fizeram referências a Roma e sua Igreja. Teólogos e exegetas em todo mundo examinaram os textos proféticos comparando-os com as características de Papado e encontram identidade!

O Império Romano surge nas profecias como a primeira besta por perseguir a destruir os Cristãos durante os anos 63-313. – Nesse período todo não haviam igrejas além da IGREJA CRISTÃ. Quando o Império desintegrou-se no ano 476, o Papado já havia tomado forma e continuou destruindo os Cristãos não católicos! – Incluindo a inquisição, na idade média, a Igreja e o papado exterminaram mais Cristãos que todos os imperadores romanos tornando-se nas profecias a Segunda besta ou a imagem da primeira besta. (Apoc. 13:14-15 e 18:24)

O profeta Daniel e João no Apocalipse aprisionam o Catolicismo com suas profecias, não há nenhum outro organismo que corresponda a esses vaticínios!

Tome sua Bíblia e veja como se enquadram nas profecias:

1- OS PROFETAS PREVIRAM UM PEQUENO REINO (PONTA PEQUENA) BROTANDO DE UM REINO FERIDO E TERIA CARÁTER RELIGIOSO, “POIS SE ASSENTARIA NO TRONO DE DEUS”(Daniel 7:7-8, II Tes. 2:4 e Apoc. 13:2)

Esse pequeno Reino é o papado, surgiu do extinto Império Romano e é religioso.

2- ESSE PEQUENO REINO SERIA CRUEL. “DESTRUIRIA OS SANTOS DO ALTÍSSIMO.”(Daniel 7:25)

A história registrou que só na Idade Média, anos 500 a 1700, os papas e a Igreja eliminaram uns 50 milhões de Cristãos não católicos, uma média de 40 mil por ano! (Rastro de Sangue, Carról, pág. 26, veja pág. 6 deste opúsculo).

3- ESSE PEQUENO ESTADO RELIGIOSO TERIA SEDE UM,A CIDADE EDIFICADA SOBRE 7 MONTES (Apoc. 17:9)

De fato Roma a sede do catolicismo está edificada sobre 7 montes bem conhecidos na Itália: O Quirinal, o Viminal, o Esquilino, o Caélio, o Aventino, o Palatino e o Capitolino. – O profeta acertou na mosca! – O Arcebispo São Malaquias d’Armagh, ano 1095, previu que “A Cidade das 7 Colinas” será destruída e o Grande Juiz julgará o povo.

4- A BÍBLIA DÁ UMA DICA AOS TEÓLOGOS SOBRE QUEM É A PRIMEIRA E A SEGUNDA BESTA ADIANTANDO SEU NÚMERO QUE É 666! (Apocalipse 13:18)

Santo Irineu, ano 130, discípulo de Policarpo que foi discípulo de João, autor do Apocalipse apontou para Roma, como a Cidade da primeira e da Segunda besta! Santo Irineo encontrou o número 666 na palavra latino (Lateinos no original grego) – Como o papado leva na crista o nome LATINO por ser chefe de uma religião latina corresponde-lhe o algarismo fatídico!

Santo Irineo tomou a palavra “lateinos” letra por letra em valores gregos (OmApocalipse foi escrito em grego) e obteve o seguinte resultado: L vale 30. A vale 1. T vale 300. E vale 5. I vale 10. N vale 50.O vale 70. S vale 200, somando temos 666, o número da primeira e da Segunda besta, que Deus “Aniquilará com o sopro de sua boca!”- Citado por Pochet, Bible Handbook.

5- O PROFETA DISSE QUE ESSE PEQUENO REINO RELIGIOSO “ENGANARIA AS NAÇÕES COM SUAS FEITIÇARIAS”(Apoc. 18:23)

Enganar com feitiçaria significa atrair e seduzir pessoas com ritos e cerimônias artificiais, simulando poderes para dominar.

O Catolicismo não faz outra coisa! – Atribuem poderes às imagens, aos amuletos, aos bentinhos, ao escapulário, à água benta e ramos bentos, ao rosário, às velas acesas nas missas, às cinzas na testa; criaram o purgatório, o limbo, tudo muito estranho na Bíblia Sagrada! – Farto material de feitiçaria, com os quais a igreja vem “enganando as nações.”

Esse pequeno Estado religioso que destruiu milhões de Cristãos, situado sobre 7 colinas, enquadrado no número 666 do Apocalipse e enganando as nações com feitiçarias é o Vaticano!

Santo Irineo estava certo ao apontar para Roma! – “Sai dela povo meu para que não sejas participante de seus pecados e para que não incorras nas suas pragas.”- Apelou João (Apoc. 18:4)

17 – Títulos e Fábulas

O Catolicismo por ser latino adotou títulos espanhóis e italianos, que resultaram numa hierarquia. – Esses títulos nada tem a ver com o Cristianismo ou com o Novo Testamento, é criação do sistema deles.

VEJA ALGUNS:

PAPA significa pai, termo de ternura que perdeu o sentido desde que os papas organizaram exércitos, demarraram sangue e tornaram-se políticos. – NÚNCIO é embaixador do Vaticano. CARDEAL são os que elegem o papa. – MONSENHOR é título para as altas figuras do clero. ARCEBISPO é o superior do Bispo. BISPO é o que governa uma diocese. CÔNEGO é o elemento de uma Catedral. MONGE é o religioso de Mosteiro. VIGÁRIO é o que toma o lugar do outro. FREI e FRADE é de Ordem religiosa e militar. SACERDOTE é o termo do paganismo e do judaísmo. CURA é o pároco da aldeia. ABADE é prelado que dirige o mosteiro. DOM foi título dos reis da Espanha, muito apreciado pelo clero. PURPURADO e PRELADO SÃO DISTINÇÕES que todos eles cobiçam. PADRE, o mesmo que pai, é o que deveriam ser tendo esposa, filhos e um lar.

Os papas são obcecados por títulos! – Se intitulam de Salvatore, Filius Dei, Sacratíssimus Dominus Noster, Pontífice Maximus, Augustos (digno de ser adorado) e outros superlativos que os distancia de Cristo!

As ordens religiosas somam dezenas; nem todas convivem em harmonia, diferem entre si. Os Dominicanos por exemplo, buscam mais a cultura, os Jesuítas são belicosos, enquanto que a Ordem do Carmo é feiticista, diz que “basta usar o escapulário para ficar livre das chamas do purgatório!” (O Escapulário, pág. 1, com Nihil Obstrat).

Rui Barbosa dizia que “A Igreja Católica é uma religião de FÁBULAS” e o apóstolo Paulo mandava rejeitá-las. (I Tim. 4:7)

EIS ALGUMAS:

1 – Os anjos conduziram pelas nuvens a casa de Nossa Senhora de Loreto desde a Palestina até a Itália. Devido a esse “milagre” ela é padroeira dos aviadores!

2 – O padre Anchieta navegava de barco, sendo molestado pelo sol, surgiram pássaros que voaram em formação, fazendo sombras sobre sua cabeça! Esse “Milagre” consta no processo de sua canonização!

3 – Em Portugal uma jovem roubava ouro e joias de uma Mansão para dar aos pobres. Quando surpreendida, revistaram sua cesta, então houve o “milagre”, as joias roubadas transformaram-se em flores! Essa jovem foi canonizada!

4 – Numa gruta na Bahia há sinais de pés de uma criança, bem forjados! “Naquela gruta o menino Jesus refugiou-se quando perseguido por Herodes!”

Anualmente chegam naquela gruta centenas de romeiros; a igreja diz que o povo é “simples e ignorante”, mas os padres estão presentes, tirando proveito dessa situação espiritual miserável em que se encontra nossa gente!

5 – Como a Igreja não sabe quando as almas saem do purgatório e cobram “Missas de intenção” sucessivamente, criaram uma lenda para desencargo de consciência que diz: “Nossa Senhora do Carmo, no primeiro Sábado de cada mês, deixa o céu e vai até o purgatório tirar algumas almas privilegiadas!”- A Igreja põe fé nessa lenda!

6 – Esta é vero! … Seis padres belgas e um holandês da Ordem dos Bolandistas investigam oficialmente a história dos Santos (Hagiografia) em Bruxelas; já examinaram 2.800 alfarrábios e transcreveram as ACTAS SANCTORUM. – O porta voz deles Van OMMESLAEGHE anunciou que “Santa Catarina nunca existiu”, foi uma fábula da Igreja! – Em que base nossos compatriotas de Santa Catarina podem manter sua tradição?

7 – Os Carmelitas supunham que sua Ordem teve origem com o profeta Elias no Monte Carmelo a 900 anos antes de Cristo! Agora estão revoltados com os Bolandistas, porque eles descobriram que a Ordem dos Carmelitas é recente, datando do ano 1.160 Depois de Cristo! (Do nosso arquivo).

 18 – As Imoralidades dos Papas

O testemunho da história não favorece a Igreja e muitos papas. – Devido à adoção do celibato, os escândalos sempre acompanharam o sistema religioso que criaram.

– O período mais tenebroso do Papado, amos 904-963 ficou conhecido como”PORNOCRACIA OU DOMÍNIO DAS MERETRIZES.”- Ainda hoje é um constante na imprensa secular os escândalos e deslizes morais entre eles.

O papa João XI era filho ilegítimo de Marózia, amante do papa Sergio III, ano 941. – O papa João XII, ano 955, violava virgens, viúvas e conviveu com a amante de seu pai: fez do palácio papal um bordel, e, foi morto num ato de adultério, pelo marido da mulher que violava.

O Papa João XXIII ano 1410, (não confundir com o João XXIII mais recente), foi o pior deles! Mulheres casadas foram alvo de seus galanteios; mais de 200 freiras e donzelas foram violadas por esse papa!

Pio II, ano 1458, além de sedutor foi corrupto, ensinava os jovens a praticar atos obscenos. Logo depois surgiu o papa Inocêncio VIII, ano 1484-92, que teve 16 filhos com mulheres casadas!

O papa mais devasso foi Alexandre VI 1492-1503, teve filhos legítimos e foi amante da sua própria filha Lucrécia Bórgia; também foi amante da irmã de um Cardeal, que se tornou o papa seguinte, Pio III, ano 1503.

Quem for visitar o Vaticano hoje em dia, poderá dar uma olhada nos aposentos do Papa Alexandre VI em exposição, uma raridade! – Horresco reférens!…

O papa Leão X, anos 1518-21 era rico. Comprou sua posição na igreja! Com apenas 8 anos de idade já era Arcebispo e 13, Cardeal. Manteve uma corte licenciosa e com seus Cardeais praticava “Passatempos voluptuosos” em deslumbrantes palácios! – Foi esse papa que Lutero enfrentou!

O bispo de Orleans, referindo-se aos papas João II, Leão VIII e Bonifácio VII, chamou-os de “Monstros cheirando imundícias.”

O papa Marcelo II, ano 1555, registrou em sua biografia: “Não sei como um  papa poderá escapar do inferno!”(Vita del Marcelo, página 132)

Santo Ulrico, bispo de Augsburgo, contou que o papa Gregório VII, anos 1703-85, ordenara que se esvaziasse um aquário num convento de Monjas em Roma e encontraram 6.000 esqueletos de bebês! Diante desse horror, esse papa aboliu o Celibato, mas seus sucessores restabeleceram-no. – Noutro convento em Niuberg, Áustria, desenterraram 20 potes de barro com esqueletos de recém-nascidos!

Pio IV redigiu uma bula pedindo que todas “as mulheres violadas pelos padres apresentassem acusação; os casos foram tantos ‘só em Sevilla, Espanha, que suspenderam os processos! (Conv. De Mesa nr. DCCLXII e CHINIQUI, ex-padre).

Presentemente o Vaticano reembolsa despesas com pílulas anticoncepcionais de seus funcionários! (Estado de São Paulo, 23.03.83)

Nenhuma Igreja Evangélica qualificou a corrupção no Catolicismo em linguagem tão dura como fizeram ilustres e iminentes Católicos:

SÃO BERNARDO, doutor da igreja e canonizado, escreveu que em seus dias “O contágio pútrido havia se estendido pelo corpo da igreja; o mal era interno e não podia ser curado!”(Roma, a Igreja e o Anticristo, pág. 179)

PETRARCA, poeta da renascença, anos 1340-74, escreveu coisa semelhante na sua Epístola nr. XII: Igreja de Roma, Babilônia infernal que impestia o mundo inteiro; cárcere indecente…onde nada é sagrado, nenhum temor de Deus, habitação de gente que tem peitos de ferro, ânimo de pedra e vísceras de fogo!!!

“DANTE na “Divina Comédia”, supôs uma voz do céu lamentando a situação da Igreja Católica que dizia: “Oh! Nave minha, que carga ruim tu levas!”

19 – A Benção Papal

AS BENÇÃOS DIVINAS trazem êxito, solução de problemas, vitórias e proteção, mas as bençãos dos papas são suspeitas!

VEJA ALGUNS REGISTROS:

Papa abençoou Carlota de Bourbon quando voltou à Roma; antes dela sair do Vaticano enlouqueceu sem causa aparente.

O Imperador Maximiliano, do México, foi abençoado pelo Papa e em Queretário foi fuzilado; e a Imperatriz do Brasil quebrou a perna, logo depois de uma benção Papal.

O Exército Francês, recebeu em 1870 a benção do Papa, para ganhar uma grande batalha, mas foi completamente derrotado.

Príncipe Napoleão IV ao viajar para Zululândia também recebeu a benção Papal; de lá só voltou seu cadáver…

O Papa Bento XV deu solenemente sua benção ao Duque Francisco Fernando, daÁustria, então começaram seus problemas; não houve na Europa, soberano mais infeliz! – Foi um dos causadores da grande guerra e perdeu o trono!

O arcebispo do Peru morreu 43 dias depois da benção do papa, com um cálice envenenado em Vierns Sanctos.

Os navios Santa Maria e América receberam a benção do papa; no primeiro viajava 11 freiras, ambos naufragaram com perda total (24-12-71).

Foi depois da famosa benção “Urbi et Orbi” que o Papado perdeu o domínio sobre Roma, foi a maior perda que o Catolicismo já sofreu!

No nosso 4º Centenário, o Brasil foi abençoado pelo papa; os bancos do Rio faliram, houve desempregos e até suicídios!

Em 1905 volta o Papa a nos dar sua benção, então tivemos pragas de gafanhotos e catástrofe do Aquidabã.

Campos Salles e sua família receberam uma benção do Papa que “valia para três gerações!”. Em poucos dias seu irmão foi assassinado.

Afonso Penna também andou buscando a benção do Papa, o pobrezinho morreu logo depois…

Dr. Tancredo Neves, eleito presidente, foi a Roma e recebeu a benção do Papa;

depois saindo de uma igreja em Minas Gerais disse: “Recebi a benção da Nossa Senhora, agora posso governar o Brasil.”- A benção do Papa não ajudou, a imagem falhou e Tancredo não subiu a rampa do Palácio! – É preciso que as autoridades do nosso país dirijam suas preces ao Deus vivo, esquecendo a idolatria do Catolicismo Romano!

As bênçãos dependem dos céus e só devem ser ministradas quando há autenticidade espiritual e isso não se consegue por governar uma grande religião ou por direitos canônicos!

O Papa João Paulo esteve no Brasil, afável e simpático, beijou nosso solo, conseguiu um feriado para a “Padroeira” e nos deu sua benção!

Antes não tivesse feito; começaram nossas desgraças!

A benção do papa de nada valeu, a imagem da padroeira cega, surda e muda não ajudou, o Fundo Monetário Internacional caiu sobre nós, a inflação galopou, a política entrou em descompasso e no alto escalão do governo enfermidades e enfartos atingiram vários ministros, inclusive o Presidente da República!

No Ceará a terra tremeu, no Amazonas houve naufrágios com mais de mil mortos, no nordeste secas nunca vistas e no sul as enchentes cobriram as cidades!

O Brasil não deve fomentar a idolatria, ela rouba a devoção que devemos a Deus, pois segundo as Escrituras Sagradas, “Deus não reparte Sua glória com as imagens de escultura” (Isaías 42:8)

Não se pode atribuir todos esses acontecimentos às bençãos dos papas, mas verifica-se que são inócuas; pensando bem, até que seria bom evitá-las, porque “Certas bençãos transformam-se em maldições!”(Malaquias 2:2)

20 – A Dedicatória e Sua Apreciação

Alguém lhe dedicou esse estudo por preocupar-se com sua vida Cristã. Não desejou ofender ao cientificá-lo das origens do Cristianismo e das palavras de Cristo: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vai a Deus senão por mim!” João 14:6

Jesus deixou nas páginas da Bíblia um PLANO DE SALVAÇÃO que não vem de religiões ou Igrejas. Esse plano divino pede-nos duas coisas:

1- ARREPENDIMENTO

Arrependimento não é penitência, nem praticar ritos, mas sim mudança de atitude, evitando o que Deus desaprova. Esse desejo de nova Vida o unirá a Cristãos sinceros que o orientarão.

2- FÉ

A Fé para a Salvação é confiar em Cristo como único e suficiente Salvador. Essa confiança o livrará das preocupações com respeito à eternidade!

Esqueça as estatuetas religiosas, os santos e Maria: foram humanos, são nossos irmãos e estão no céu, mas sem condição de nos ajudar. – Só Cristo salva!

A Igreja foi instituída para evangelizar, orientar e manter o povo de Deus unido, mas não para salvar! A Salvação vem de Deus e não desta ou daquela Igreja ou religião.

PLANO DE ARREPEDIMENTO E FÉ é bíblico, não pode ser alterado nem receber agregados, mas foi o que aconteceu em sucessivos Concílios dos Papas a partir do século IV. – A Igreja tem sido manipulada, a Bíblia continua divina; devemos aferir o Catolicismo com as Escrituras Sagradas.

A RAZÃO DESTE OPÚSCULO

Você tem uma alma, Cristo é a única esperança, se entregue a Ele e ficará maravilhado com Sua acolhida!

Consiga uma Bíblia com seu padre ou pastor, comece a ler pelo Novo Testamento, isso alimentará sua fé de maneira surpreendente!

Se desejar orientação, procure uma igreja Evangélica. – Lembre-se de que bispos e padres estão confusos e apertados entre a Bíblia e o Catolicismo romano.

Eles sabem do problema, mas são profissionais e nada podem prover para sua alma senão um suposto purgatório, criado com fins lucrativos, de onde as almas dificilmente são levadas para o Céu!

Procure na Bíblia as palavras do nosso Salvador que disse: “Quem crer em Mim tem a vida eterna!” e as palavras do apóstolo Paulo que diz: “Crê no Senhor Jesus e será salvo tu e tua casa.”(João 3:36 e Atos 16:31) – Ponha fé nessas promessas!

Confesse a Deus em oração que você aceita Jesus Cristo como seu Salvador; você terá milhões de irmãos na fé, procure-os e forme-se numa Igreja!

21 – A Veracidade da Bíblia

Harmonia, sincronização, cumprimento de profecias, difusão e tradução já em mais de 1.800 línguas e dialetos, tudo isso faz crer na Inspiração das Sagradas Escrituras que têm Cristo como a pessoa central. “Elas testificam de mim” disse Ele, e diante de Deus expressou-se “Tua palavra é a verdade!” e sobre o mundo disse “Minhas palavras o julgarão!” (João 5:39, 17:17 e 12:48)

A Bíblia originou-se assim: O Velho Testamento conservado por Israel foi vertido do Hebraico para o Grego no ano 285 A.C. (Veja Rom. 3:2). – Está tão entrelaçado com o Novo Testamento que há neste 1.040 citações daquele.

Depois dos Apóstolos, as Igrejas e homens como Policarpo, bispo deEsmirna, anos 69-156, colecionaram suas cartas e Tertuliano, advogado cristão anos 160-220, chamou os escritos apostólicos de NOVO TESTAMENTO (Testamento em grego = Concerto). Essa coleção foi  anexada ao Velho Testamento e tivemos a Bíblia.

Eusébio, bispo de Cesarea, anos 264-340, recebeu do Imperador Constantino a encomenda de 50 Bíblias, o qual ofereceu: “três carruagens para trazê-las desde Cesarea.”- São Jerônimo, ano 383, aprimorou a versão para o Latim e o Concílio de Cartago, ano 397, ratificou formalmente os 27 livros do Novo Testamento.

A Bíblia foi traduzida para os Saxões no ano 676 e vertida para o inglês em 1382. – Coube ao pregador João Ferreira de Almeida e ao padre Antonio P. de Figueiredo, nos darem a Bíblia completa em 1750 e 1790, respectivamente.

A divisão da Bíblia em capítulos e versículos devemos a Robert Stephens, ano 1551 que melhorou o trabalho do Cardeal Caro em 1236.

Em todos os tempos o catolicismo foi contrário à leitura e ao exame da Bíblia. Em 6 de outubro de 1536 o clero queimou vivo o cidadão inglês Tyndale por traduzir e distribuir Bíblias!

A Igreja Católica estava furiosa!

Foi o Papa Paulo III, anos 1534-39 (imoral, pois tinha vários filhos ilegítimos) que sancionou a inclusão na Bíblia de vários livros apócrifos, foram eles Tobias, Judithe, Sabedoria, I e II Macabeus, Ecleciástico e Baruque.(Apócrifo é espúrio, secreto, não inspirado e de procedência duvidosa).

Hoje acossado pelas Igrejas Cristãs, o Catolicismo está imprimindo Bíblias, excelente obra se não incluíssem os apócrifos e evitassem certas observações nas páginas, que as vezes torcem tendenciosamente o sentido dos textos.

Cristo disse: “Examinai as Escrituras!” — A leitura da Bíblia é alimento espiritual completo, dispensa breviários, terços, rosários, devoção às imagens, etc.

Opiniões de Homens Célebres sobre a Bíblia

J.J.ROUSSEAU, filósofo francês: Eu confesso que a majestade da

Bíblia me abisma e fala ao meu coração!

NAPOLEÃO BONAPARTE, ex-imperador: O Evangelho não é

simplesmente um livro, é uma força viva!

GABRIELA MISTRAL, poetisa Chilena: Não sei como alguém pode

viver sem a leitura das Escrituras Sagradas!

VICTOR HUGO, escritor francês: Há um livro que, desde a primeira letra até a última, é uma emanação divina, a Bíblia!

GIUSSEPE GARIBALDI, patriota italiano: Com a Bíblia alcançamos a liberdade, ela é o melhor aliado.

SARMIENTO, ex-presidente da Argentina: A leitura da Bíblia lançou os fundamentos da educação popular que mudou a face dos países que a possuem.

GOETHE, dramaturgo alemão: É a fé na Bíblia que me serve de guia.

ABRAÃO LINCOLN, estadista americano: Estou ultimamente ocupado em ler a Bíblia! Tirai tudo o que puderes deste livro pelo raciocínio e pela fé, vivereis e morrereis um homem melhor!

MOOD, orador sacro: Este livro me fará evitar o pecado ou o pecado me fará evitar este livro!

 ***************

http://www.virtualand.net/cpr/catolico.htm

Atenção:
O conteúdo desta página tem objetivo formativo e educacional.OS ARTIGOS AQUI PUBLICADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES, CITADOS NO FINAL DE CADA ARTIGO. NÃO NECESSARIAMENTE ESTA PRODUÇÃO CONCORDA INTEIRAMENTE COM O ENTENDIMENTO TEOLÓGICO DE CADA AUTOR. TODAVIA, OS PUBLICAMOS COMO FONTE DE CONHECIMENTO E COMO FORMA DE CONTRIBUIR PARA O ALARGAMENTO DO ENTENDIMENTO E A POSSIBILIDADE DE CONHECERMOS VÁRIAS FORMAS DE PENSAR. CABE A CADA LEITOR REFLETIR, À LUZ DA BÍBLIA, SE CONCORDA OU NÃO COM OS POSICIONAMENTOS AQUI EXPRESSADOS. 

 

Deixe uma resposta