COMO VIVER BEM COM OS FILHOS

COMO VIVER BEM COM OS FILHOS

COMO VIVER BEM COM OS FILHOSCOMO VIVER BEM COM OS FILHOS

 

Muito se tem falado sobre a importância do relacionamento entre pais e filhos, para tê-los bem equilibrados e ajustados, úteis à sociedade e tementes a Deus.

   Vamos refletir sobre alguns aspectos que contribuem para melhorar esse relacionamento.

1. O CUIDADO COM A VIDA ESPIRITUAL DOS FILHOS

   No relacionamento entre pais e filhos, sejam crianças, adolescentes ou jovens, é da maior importância cuidar da vida espiritual.

1.1. Os filhos são herança do Senhor – Sl. 127. 3  Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão.

1.2. O ensino da palavra de Deus no lar

- O ensino da Palavra de Deus é a base para a formação espiritual, moral, emocional e social dos filhos. – Os filhos precisam saber o valor da Palavra de Deus, compreendendo que a autoridade de Deus, a autoridade da Igreja, a autoridade dos pais, e a autoridade humana, provêm de Deus, quando legitimamente executadas. Isso é importante para que não se revoltem contra a autoridade.

1.3. O valor da oração.

- É importante não só os pais orarem pelos filhos, MAS ORAREM COM ELES. –  Mt 26. 41  Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.

1.4. A realização do culto doméstico.

- É um trabalho simples, mas de GRANDE EFEITO sobre os filhos e sobre a família em geral. É como acender o altar da adoração no lar. É melhor do que deixar os filhos ficarem presos diante do altar da televisão. O culto doméstico fortalece os laços espirituais e afetivos entre pais e filhos crentes: Em 15 minutos apenas! Cânticos, leitura bíblica, pedidos de oração, oração.

2. RELACIONAMENTO NA VIDA FAMILIAR

2.1. Dar noções de autoridade, desobediência e pecado.

a) A criança, de 4 a 5 anos: noção de certo e errado;

b) Aos 7 anos, já tem noção de justiça: idade da razão;

c) Na adolescência: crises existenciais: noção de liberdade.

2.2. Atitudes que promovem a auto-estima dos filhos:

a) Dar e cobrar na medida certa;

b) Saber apreciar os filhos e o que eles fazem: normalmente, os pais não elogiam quando os filhos acertam, mas passam longo tempo reclamando quando eles fazem algo errado (isto prejudica a auto-estima);

c) Dar liberdade aos seus filhos, mostrando-lhes os LIMITES a que estão sujeitos, exigindo-lhes responsabilidades de acordo com a idade de cada um;

d) Cultivar o respeito aos filhos: falar a verdade; cumprir as promessas; respeitar a individualidade;

e) Demonstrar amor, através do afeto e carinho aos filhos, sem mimá-los muito, para que não fiquem inseguros;

f) Procurem entender as falhas de seus filhos; afinal de contas, quem não falha?

g) Procurem ser amigos íntimos de seus filhos, tornando-se seus confidentes. Eles apreciarão isso, sabendo que podem confiar em seus pais;

h) Aceitem seus filhos como eles são, com alegria, vendo-os como bênçãos de Deus;

2.3. A Comunicação com os filhos.

1) Procurem entender seus filhos, buscando entender as razões de suas ações e reações;

2) Dediquem tempo para seus filhos. Tempo para conversar, para falar com eles e para ouvi-los; para estar com eles, para passear, para jantar juntos;

3) Evitem gritar com seus filhos. Isso pode ser um mau exemplo para eles.

4) Orem por seus filhos e com eles;

5) Digam que os amam: “Eu amo você” . São três palavras que produzem grande efeito na comunicação com os filhos.

6) Peçam perdão aos seus filhos, quando verificaram que erraram para com eles. É exemplo de grandeza de alma.

3. A DISCIPLINA – Ef 6.4  E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.

3.l. Meios para conseguir a disciplina

a) O ensino – Dt 11. 18  Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por frontais entre os vossos olhos.

19  E ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te;

20  E escreve-as nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas;

21  Para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o SENHOR jurou a vossos pais dar-lhes, como os dias dos céus sobre a terra.

b) O exemplo – Jo 13.; 15  Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.

c) A correção – Pv 29. 15  A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.

17  Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma.

3.2. Base da disciplina:

a) O amor: Ap 3. 19  Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.

 Pv 3. 12  Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem.

- Segredo da disciplina: firmeza com amor; amor x controle: filhos saudáveis e respeitosos;

3.3. Finalidade da disciplina

a) Obediência – Cl 3. 20  Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor.

b) Honra: Ex 20. 12  Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá.

c) Responsabilidade: Lm. 3. 27  Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.

d) Sabedoria: Pv 29. 15  A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.

4. ALERTA AOS PAIS.

   A Delegacia de Houston, Estado do Texas, nos Estados Unidos, elaborou as  seguintes 12 regras para formar um filho delinqüente. São um alerta aos pais:

1) Desde pequeno, dê tudo o que o filho pedir. Desta forma, ele crescerá pensando que sempre terá tudo o que quiser. (O certo é não dá tudo o que o filho pedir).

2) Quando ele disser palavras imorais, ria com ele. Isto fará pensar que é engraçadinho e o encorajará a aprender frases mais “engraçadinhas” ainda, que, mais tarde, vão lhe deixar completamente sem jeito. (O certo é repreender o filho quando disser palavras imorais, e não achar engraçado).

3) Nunca lhe dê treinamento espiritual algum. Espere até que ele complete 21 anos, e deixe-o decidir por si mesmo; (O certo é dar o ensino espiritual, desde cedo, como manda a Bíblia).

4) Evite o uso da palavra “errado”. Pode desenvolver nele um complexo de culpa. Isto condicionará seu filho a acreditar , mais tarde, quando for preso por roubar um carro, que a sociedade está contra ele e que está sendo perseguido; (O certo: se precisar, deve-se mostrar o erro ao filho).

5) Apanhe tudo o que seu filho deixar espalhado: livros, sapatos e roupas. Faça tudo por ele e, assim, ele se acostumará a jogar todas as responsabilidades em cima dos outros. (O certo: não fazer tudo pelo filho; ensiná-lo a ter responsabilidade, cuidando de suas coisas, desde criança; estabelecer regras, atribuir a ele responsabilidades sobre pequenas tarefas no lar).).

6) Deixe-o ler tudo que lhe caia nas mãos. Cuide sempre que as vasilhas, pratos, talheres e copos sejam esterilizados, mas deixe que sua mente se alimente de lixo, através da televisão, de revistas imorais, de conversas duvidosas com amiguinhos duvidosos; (O certo: examinar o que o filho ler, não permitindo literatura imoral no lar, cuidado com a Internet, com a televisão, com “quem são seus amiguinhos e o que conversam”).

7) Brigue com sua esposa (ou com seu marido) freqüentemente na presença dos filhos; deste modo, eles não ficarão chocados mais tarde, quando o lar se desfizer; (O certo: jamais brigar com a esposa, muito menos em frente dos filhos).

8) Dê-lhe todo o dinheiro que quiser. Não permita que ele trabalhe para ganhar dinheiro. Porque ele teria que adquirir as coisas com as mesmas dificuldades que você? (O certo: se puder, dar a mesada aos filhos, orientando-lhes para o valor do dinheiro, sem gastar além do que recebe).

9) Satisfaça qualquer desejo de comida, bebida e conforto que ele queira. Veja que todos os seus desejos sensuais sejam gratificados. A inibição de desejo pode dar origem a uma perniciosa frustração; (O certo: só satisfazer aquilo que é lícito e conveniente para os filhos)

10) Tome partido dele contra vizinhos, professores e policiais. Todos eles estão de prevenção contra seu filho. (O certo: se ele errar, nunca ficar de seu lado; ajudá-lo a corrigir as falhas, com amor e compreensão)

11) E, quando ele estiver seriamente envolvido em dificuldades, desculpe-se a si mesmo, dizendo: “Nunca consegui fazer nada com ele”.(O certo: Procurar ajudar nas dificuldades, visando a correção e resolução dos problemas).

12) Se você, porventura, estiver agindo assim com seu filho ou filha, prepare-se para uma vida de tristezas e sofrimentos. Você está fazendo tudo para tê-la.

   Amados irmãos: Procurem usar a Palavra de Deus em seu lar, preparando assim sua família para uma vida de amor, obediência e dedicação a Deus.

(autor desconhecido)

Deixe uma resposta