Masturbação no casamento

Masturbação no casamento – Pode ou não pode?

Masturbação no casamentoMasturbação no casamento 

Pode ou não pode?

O dicionário online Priberam da Língua Portuguesa traz duas definições para o significado do verbo masturbar:

1. Estimular os próprios órgãos genitais para obter prazer sexual; e

2. Manipular os órgãos genitais de outrem para lhe dar prazer sexual.
 
A primeira definição refere-se à forma mais conhecida de masturbação, a individual, na qual o indivíduo proporciona prazer apenas a si mesmo, e a segunda diz respeito à masturbação a dois, ou compartilhada, na qual os indivíduos estimulam um ao outro sexualmente.
 
Prazer egoísta

Quando falamos em masturbação, logo pensamos em garotos adolescentes com os ‘ânimos’ à flor da pele, mas o ato de masturbar-se não está apenas relacionado a eles. Pessoas adultas e até casadas estimulam-se sexualmente de forma individual.

 

Líder da igreja Mars Hill, em Seattle (EUA), o pastor Mark Driscoll fala sobre o tema em um sermão disponível na internet.

 

No começo do vídeo o pastor declara que masturbação não é pecado, mas diz que a luxúria e a pornografia são, e que o objetivo delas é a masturbação.

 

“Eu diria: pornografia é pecado, luxúria é pecado e se você puder encontrar uma maneira de masturbar que não inclua luxúria, suponho que não esteja pecando, mas você é estranho! Tipo pensando em tratores ou algo assim”, brinca Mark.

 

O pastor fala claramente sobre o pecado da luxúria e da pornografia no uso de estímulos para a prática da masturbação como revistas e vídeos eróticos e até o pensamento em alguém tido como objeto de desejo sexual.
 
A “masturbação individual é entendida como pecado” quando praticada por adolescentes e jovens solteiros, mas e quando ela também é prática de pessoas casadas? Muda alguma coisa? Não, essa é a resposta do pastor, terapeuta de casais e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo, Fernando César Alves.

 

“Enquanto solteiro, um jovem cristão poderia alegar a falta de uma companheira, do casamento e a carência sexual para a prática da masturbação, o que não convenceria, pois estaria despertando a lascívia e a concupiscência carnal.
Casada, a pessoa já está autorizada por Deus para manter relação sexual com o seu cônjuge, ou seja, o corpo do outro está liberado para a obtenção do prazer sexual. Quem se masturba solitariamente, sendo casado, peca porque se abstém do prazer sexual com o seu parceiro, buscando esse prazer de forma egoísta… O prazer sexual no casamento deve ser sempre resultado do envolvimento físico dos dois”.


Preliminar ao amor?

Podendo também ser considerada como uma preliminar do ato sexual, a masturbação a dois, na qual o marido estimula a esposa e a esposa estimula o marido, é ‘totalmente aceitável’ de acordo com o pastor Fernando. “A prática, efetuada dessa maneira, anula o sentido do egoísmo (…) é uma maneira que o casal encontrou de proporcionar prazer a si próprio”.

 

Douglas Santana, casado há quase três anos, também concorda que a masturbação a dois é válida na intimidade do casal, mas prefere chamá-la de ‘preliminar ao amor’. “O casal não pode substituir o sexo pela masturbação, agora, se essa ‘preliminar ao amor’ é apenas uma forma de carinho para estimular ambos para o ato do sexo, acho muito válido, afinal, um casal tem que se conhecer e usufruir desse conhecimento para que os dois tenham prazer”, diz o jovem.

 

“Se um masturba o outro, chamamos ‘estimulação manual mútua’. Se estão fazendo amor juntos eu não desencorajo porque a Bíblia diz em Gênesis 2 que o objetivo da sexualidade é unidade, ‘o homem e a mulher tornam-se uma carne’ (Gênesis 2.24). Então, o que um marido e uma esposa fizerem que promova a unidade, eu diria que é aceitável”, explica o pastor Mark Driscoll.


Desculpas inválidas

O esposo está cansado ou a esposa está com dor de cabeça. O que dizer a quem se masturba para satisfazer o desejo quando o cônjuge, por algum motivo, não pode ter relação sexual naquele momento?

 

O pastor Fernando César diz que esse indivíduo apresenta um ‘absoluto descontrole sobre seus desejos’. “O desespero em querer se masturbar para chegar a um orgasmo a qualquer custo demonstra falta de sensibilidade ao estado em que o cônjuge se encontra. A verdadeira e boa relação sexual compreende basicamente ao respeito à situação mental, física e emocional de ambos”.

 

Para Douglas Santana, que também é líder de jovens da sua igreja, esse exemplo explica um dos problemas comuns da vida conjugal, que é quando alguns casais casam-se apenas pelo sexo.

 
“O sexo tem que ser o diferencial, mas o amor, a cumplicidade, o diálogo e principalmente o respeito têm que reinar sempre na vida de um casal. Quando se casam somente pelo sexo e um ou outro não estiverem ‘no clima’ em algum momento, eles vão procurar se satisfizer na melhor das hipóteses com a masturbação”, pondera Douglas.

 

Em suas observações, Douglas também disse que a masturbação é um vício adquirido na juventude, levado ao casamento e que pode acabar virando a única forma de satisfação sexual de algumas pessoas.

 

Em suas frases conclusivas sobre a masturbação, Mark Driscoll relata o que diz a Bíblia sobre a intimidade conjugal. “A Bíblia diz que você deve desejar o casamento e intimidade marital, e o objetivo da intimidade marital é unidade”.

 

Fonte: amigodecristo
Atenção:
O conteúdo desta página tem objetivo formativo e educacional. As fontes só não são citadas quando desconhecidas.  OS ARTIGOS AQUI PUBLICADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES, CITADOS NO FINAL DE CADA ARTIGO. NÃO NECESSARIAMENTE ESTA PRODUÇÃO CONCORDA INTEIRAMENTE COM O ENTENDIMENTO TEOLÓGICO DE CADA AUTOR. TODAVIA, OS PUBLICAMOS COMO FONTE DE CONHECIMENTO E COMO FORMA DE CONTRIBUIR PARA O ALARGAMENTO DO ENTENDIMENTO E A POSSIBILIDADE DE CONHECERMOS VÁRIAS FORMAS DE PENSAR. CABE A CADA LEITOR REFLETIR, À LUZ DA BÍBLIA, SE CONCORDA OU NÃO COM OS POSICIONAMENTOS AQUI EXPRESSADOS. 

 

Deixe uma resposta