Arquivo de etiquetas: Corinto

O Espírito de Corinto

O Espírito de Corinto

O Espírito de CorintoO Espírito de Corinto

 

 Conheça, nesta mensagem, o Espírito de Corinto.

Ele está mais perto de você do que você pensa…download sermoes

Arqueologia e história de Corinto

arqueologia-biblica1_baArqueologia e história de Corinto

Escavações em Corinto – Grécia

Esta é a visão do centro da cidade antiga na direção da Acrópole de Corinto. À esquerda são visíveis as colunas do Templo de Apolo. No lado direito da rua Lechaion pode ser visto. Entre os dois podemos ver (um pouco para baixo) a antiga Àgora.

2acorinto

Acrocorinto

 O Acrocorinto (em grego antigo Ακροκόρινθος) situa-se uma elevação rochosa situada junto à antiga cuidada de Corinto (Grécia). A acrópole foi o principal espaço de encontro na antiguidade e também na Idade Média. Era de fácil defessa graças à geomorfologia, foi fortificada durante o Império Bizantino  e converteu-se na sede do estratega da Hellas.

2_ba

As escavações e o templo de Apolo em Corinto.

A parte da cidade baixa foi o local do Templo de Apolo, enquanto a Acrópole de Corinto era dominado pelo Templo de Afrodite. Escritores gregos no 5º e 4º século aC caracterizaram como uma cidade do comercio e do amor falava-se  “da jovem coríntia” com o significado de prostituta. A igreja de Corinto dos dias de Paulo lutou com o mundanismo e o pecado sexual, sendo que ambos eram típicas desta cidade cosmopolita. O templo originalmente tinha 38 colunas da ordem dórica; 7 estão de pé ainda hoje.

A Acrópole de Corinto

Paulo passou 18 meses na cidade antes dos judeus da cidade o acusaram de violar a lei e trouxeram-no diante de Gálio em lugar para ali ser julgado.  A menção de Gálio fornece uma segura cronologia para Novo o Testamento, como sabemos a partir de fontes romanas que Gálio foi pro-cônsul da Acaia a partir de Junho de 51 a Maio de 52. Estando com este estatuto, o pro-cônsul rejeitou as acusações contra Paulo salientando que se tratava de uma disputa da lei judaica e não de natureza criminal.1_ba (1)

Àgora de Corinto e as lojas do lado ocidental do Fórum

Em Corinto Paulo encontrou Áquila e Priscila, judeus recentemente expulsos pelo imperador Cláudio de Roma. Os três eram fabricantes de tendas (ou trabalhadores de couro) e pode ter tido o seu local de negócios no mercado comercial da cidade (àgora). Isso teria proporcionado a Paulo numerosas ocasiões para falar com os clientes e transeuntes da ressurreição de Cristo. O livro de Atos salienta que Paulo passava os sábados tentando convencer gregos e judeus (Atos 18:4).1_ba (2)

A estrada norte de Lechion a Corinto.

Esta estrada principal da cidade correu para a porta norte da Lechaion, daí o seu nome. A estrada era de cerca de 40 metros de largura e incluia calçadas e canais de drenagem. Passos ao longo da estrada indicam que a passagem não foi projetado para veículos de rodas.

2_ba (1)
A Inscrição em Corinto

Em 1929, foi encontrada uma inscrição a mencionar Erasto como aquele que pagou pela pavimentação da rua em troca da sua nomeação como oficial da cidade. É provável que este é o mesmo Erasto mencionado por Paulo a enviar saudações à igreja de Roma (Rom 16:23). Se assim for, a influência de Paul aparentemente estendido para ricos e influentes cidadãos romanos de Corinto.

Em 1929, foi encontrada uma inscrição a mencionar Erasto como aquele que pagou pela pavimentação da rua em troca da sua nomeação como oficial da cidade. É provável que este é o mesmo Erasto mencionado por Paulo a enviar saudações à igreja de Roma (Rom 16:23). Se assim for, a influência de Paul aparentemente estendido para ricos e influentes cidadãos romanos de Corinto.3_ba

O Templo de Afrodite na Acrópole de Corinto

A acrópole de Corinto é conhecida como Acrópole de Corinto, e ela está cerca de 1800 metros acima da planície circundante. No cume mais alto era o Templo de Afrodite. Têm sido feitas interpretações que este era o local das prostitutas do templo que eram também consideradas sacerdotisas, estas eram 1000.

Fonte: http://galeriabiblica.blogspot.com.br/2014/06/arqueologia-e-historia-de-corinto.html#more