Arquivo de etiquetas: descoberta

0_siló_2

Descoberta arqueológica na cidade de Siló

arqueologia-biblicaSilo-206x155Descoberta arqueológica na cidade de Siló

 siló2

Sitio arqueológico perto da antiga cidade de Siló traz revelações.

Descoberta arqueológica pode solucionar “enigma” bíblico.
Achados arqueológicos recentes podem comprovar que a cidade de Siló, antiga capital de Israel, foi destruída por um grande incêndio. Essas descobertas na região central de Israel desvendariam o mistério envolvendo a ruína dessa cidade mencionada no Antigo Testamento.

Fragmentos de um jarro de barro foram descobertos em meio a uma camada de cinzas avermelhadas. Esse é um forte indício para resolver definitivamente o enigma milenar sobre como a cidade foi destruída. Em Siló, o Tabernáculo foi colocado durante o período conhecido como “dos juízes”. O local serviu como capital de Israel e centro espiritual por 369 anos, até a sua destruição.

Após ser saqueada pelos filisteus deixou de ser a capital. A área continuou sendo habitada até 722 a.C., quando a Assíria invadiu o Reino de Israel. Atualmente, na região fica a cidade de Rosh Ha’ayin.

As Escrituras não relatam como foi o fim de Siló, mas essas descobertas comprovam que um incêndio arrasou o local. A datação do jarro aponta para o ano 1.050 A.C., que coincide com a data dos eventos descritos no livro de Samuel.

Avital Selah, diretor do sitio arqueológico de Tel Siló, disse à Agência de Notícias Tazpit que as teorias levantadas durante a escavação são semelhantes ao que se cogitou 30 anos atrás, quando restos de comida descobertos no local também apontavam para o ano 1.050 aC.

O livro bíblico de 1 Samuel narra a batalha entre filisteus e israelitas, quando a Arca da Aliança foi capturada. O livro de Jeremias e alguns Salmos confirmam que Siló foi destruída pouco depois pelos filisteus. Os estudos dos arqueólogos devem ser publicados em breve comprovando como aconteceu e pondo fim ao mistério milenar. Com informações Huffington Post e Israel National News.

SILÓ A PRIMEIRA CAPITAL DE ERETZ ISRAEL

0_siló_2

Siló foi a primeira capital do Israel regressado à Terra prometida. Foi em Siló que Josué configura pelos limites a “mishkan” (os limites da terra) e é aqui que o representante e grande servo de Deus dá a ordem (ordem no sentido real) de separar a terra santa da terra dos “sh’fatim” (Js 18:1,8)

Este lugar Siló, vai tornar-se o centro do culto de todo o povo. “De ano em ano o povo “ da sua cidade para adorar e sacrificar ao Senhor dos exércitos em Siló.” Foi aqui que Ana orou ao Senhor para que lhe concedesse um filho, foi aqui que ela o prometeu e entregou ao senhor. Foi aqui que Samuel ouviu a voz do senhor durante a noite. Foi neste lugar enfim que Samuel se tornou o “timoneiro” do povo de Deus. 1ª Samuel 1:30_siló_1

Siló continuou a ser a capital de Eretz Yisrael durante 369 anos, até que a morte do grande Cohain Godol, Eli. (Zevachim 118). Até que por desrespeito ao lugar santo o Senhor permitiu que esta cidade fosse arrasada pelos filisteus (Jer. 26:6,9).

0_siló_3

A partir de evidências arqueológicas e ao fato de que o nome da cidade raramente aparece na Medresh, nos é dado a impressão de que a cidade não foi reconstruída e habitada depois da sua destruição. O nome moderno da área é Khirbet Seilun. Há uma colina em Khirbet Seilun com uma plataforma de pedra no cume. Muitas pessoas acreditam que este é o lugar onde o Tabernáculo foi construído na Siló antiga.

Fonte: http://iadrn.blogspot.com.br/2013/01/descoberta-arqueologica-na-cidade-de.html

cafarnaum

O Endereço do Mestre – Cafarnaum

arqueologia-biblica cafarnaumO Endereço do Mestre – Cafarnaum

 

 Para muitas pessoas, a narrativa evangélica da vida de Jesus não passa de ficção. Contudo, uma rápida pesquisa sobre os achados arqueológicos relacionados com o Novo Testamento revelará o contrário: cremos em uma história real! A partir de agora, vamos examinar algumas informações bíblicas à luz das descobertas em Cafarnaum, o “endereço” do Mestre. 

O nome Cafarnaum pode significar tanto “vila da consolação” como “vila de Naum”, um antigo profeta hebreu cujo livro faz parte do Antigo Testamento. Essa última opção é apoiada por uma tradição judaica que afirma que o túmulo do profeta está enterrado ali. A cidade foi descoberta por um arqueólogo norte-americano chamado Edward Robinson, em 1852, mas somente foi escavada por uma equipe liderada por Charles Wilson em 1865 e 1866. Foi ali que Jesus dedicou a maior parte do Seu ministério, realizando milagres (Mt 9:18-26; Mc 5:21-43; Lc 8:40-56), bem como ensinando na sinagoga local (Mc 1:21; 3:1-5; Lc 4:31; Jo 6:59).
Cafarnaum_sinagoga

Ruínas da sinagoga de Cafarnaum

Um dos achados mais fascinantes de Cafarnaum é a da possível casa de Pedro. Foi por volta de 1968 que dois outros arqueólogos, G. Orfali e A. Gassi, encontraram a estrutura de uma igreja que datava do 5º século. O surpreendente foi que logo abaixo dessa construção eles também encontraram os alicerces de uma casa repleta de objetos de pesca que datava da época de Jesus e Seus discípulos. Para completar a informação, um documento chamado Itinerarium, escrito por Egéria, no 4º século, afirma que a “casa do príncipe dos apóstolos foi transformada em igreja; contudo, as paredes da casa ainda estão de pé como eram originalmente”.

cafarnaum1
Outra descoberta marcante em Cafarnaum foram os restos da sinagoga, local de reuniões religiosas dos judeus, do 1º século. Durante os anos de 1905 até 1926, seus restos foram preservados e restaurados por especialistas alemães e franciscanos. Até então, todas as construções apontavam para uma construção do 3º ou 4º século. No entanto, em 1968, as pesquisas posteriores revelaram os restos de uma estrutura. E em 1981, um largo piso de basalto foi encontrado repleto de cerâmicas (potes, vasos, copos, etc.) do 1º século, a época de Cristo. Sem dúvida, esses eram os escombros daquela sinagoga frequentada por Jesus, como mencionado nas Escrituras Sagradas!

cafarnaum2
Mais importante do que as informações arqueológicas é o que tudo isso representa. Foi nessa mesma sinagoga que Jesus declarou: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente” (João 6:51). Mesmo com a poeira acumulada ao longo dos séculos em Cafarnaum, ainda somos capazes de ouvir o convite do Mestre querendo saciar nossa fome.

Fonte: http://www.arqueologiabiblica.blogspot.com/

 

 

Arqueólogos Descobrem Mosaico Cristão De 1500 Anos Em Israel

mosaico

Arqueólogos Descobrem Mosaico Cristão De 1500 Anos Em Israel

Arqueólogos israelenses desenterraram um mosaico de 1500 anos no chão do que, na época, foi uma igreja bizantina. O achado está na vila de Aluma, no sul de Israel, e começou a ser escavado há cerca de três meses.

O local foi descoberto durante uma escavação para uma obra. A antiga basílica tem 22 por 12 metros de área. Além do mosaico foram encontradas as bases de colunas de mármore que davam sustentação ao edifício.

Os desenhos do mosaico incluem vários animais, como zebra, girafa, flamingo, leopardo e coelho. Segundo o jornal israelense “Haaretz”, um dos desenhos representava também um ser humano, mas foi cuidadosamente destruído.

De acordo com Daniel Varga, o pesquisador que lidera a escavação, isso provavelmente se deve à ação de devotos que, na época do Império Bizantino, se opunham à representação de seres humanos dentro das igrejas.

Arqueólogos-descobre-Mosaico-cristão-de-1500-anos-em-Israel (1)

Não foi encontrada nenhuma inscrição que indicasse como se chamava o local na época em que a igreja estava de pé. Os arqueólogos acreditam que ela servia a diversas comunidades ao longo da estrada entre Ascalão e Jerusalém.

Com informações: G1/Amigo de Cristo

***************