Arquivo de etiquetas: Fé

ImageProxy

Eleitorado evangélico cresce e pode decidir eleição

ImageProxyEleitorado evangélico cresce e pode decidir eleição

Segundo analistas, o grande poder de comunicação das lideranças evangélicas mobiliza este segmento.
O eleitorado evangélico é crescente no país e como representa um dos segmentos mais coesos da sociedade, tem o potencial de decidir a eleição presidencial deste ano.
Essa é a avaliação de analistas que ponderam também que os valores religiosos não são as principais preocupações dos eleitores.
Para eles, posições contrárias à homossexualidade ou ao aborto não subtraem ou somam votos de uma candidatura, mas ganham destaque na disputa, como o episódio da revisão do capítulo sobre direitos para homossexuais do programa de governo de Marina Silva (PSB), que é evangélica.
O grande poder de comunicação das lideranças evangélicas mobiliza este segmento, assim como um sentimento de solidariedade com candidatos que sigam a mesma orientação religiosa.
“Esse segmento da população tem uma orientação de solidariedade com outros evangélicos, quer por referência moral, quer por disciplina de organização”, disse a socióloga e especialista em análise de pesquisas de opinião Fátima Pacheco Jordão.
Ela lembrou que as várias vertentes evangélicas existentes no país possuem meios de comunicação de massa, como emissoras próprias e espaços alugados em canais de TV.
“Eles estão se tornando players, agentes importantes no cenário político. Já são, aliás. E do jeito que a coisa anda, é possível que nós tenhamos pela primeira vez uma presidente evangélica.”
Marina, que é membro da Assembleia de Deus, é a principal destinatária dos votos dos evangélicos. Segundo a última pesquisa do Datafolha, ela cresceu 17 pontos entre os evangélicos pentecostais e outros 17 pontos entre os não-pentecostais.
De acordo com o levantamento, entre os pentecostais, grupo no qual a igreja frequentada pela ex-senadora está, Marina tem 41 por cento das intenções de voto, contra 30 por cento da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e 11 por cento do tucano Aécio Neves.
Entre os não-pentecostais, a candidata do PSB lidera com 44 por cento, contra 29 por cento da petista e 13 por cento do tucano.
Marina também teve bom crescimento entre os católicos, que representam a maioria da população, 11 pontos, mas segue atrás de Dilma neste segmento.
No total do eleitorado, o Datafolha apontou empate em 34 por cento entre as duas principais candidatas. Aécio tem 15 por cento.
Segundo dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os evangélicos representam 22,2 por cento da população. Atualmente, estimativas de analistas colocam esse percentual em até 30 por cento do eleitorado.
“As pesquisas mostram que Marina Silva tem um desempenho no eleitorado evangélico muito melhor do que o que ela tem entre o eleitorado católico. Se o eleitorado brasileiro fosse só de evangélicos, ela ganharia com mais facilidade”, disse o cientista político Rubens Figueiredo, diretor-executivo da Associação Brasileira de Consultores Políticos (ABCOP).
Para Jordão, entretanto, o apoio evangélico não é o principal fator que explica a ascensão de Marina, que se tornou a principal estrela do cenário eleitoral ao assumir a cabeça de chapa do PSB após a morte de Eduardo Campos, em agosto.
“A Marina é muito maior do que o poder de persuasão das igrejas. Ela representa uma coisa maior do que isso”, avaliou a socióloga. “Ela não será nem beneficiada nem punida pelas posições de ordem religiosa. Ela será atacada por isso.”

Princípios Negociáveis
Nas últimas eleições, vários candidatos têm buscado o apoio de lideranças evangélicas. Na campanha deste ano, por exemplo, Marina levou Campos a um encontro com pastores quando o ex-governador era o candidato do PSB.
Aécio também realizou encontros com evangélicos e Dilma foi a um encontro de mulheres evangélicas e fez um discurso no qual citou trechos da Bíblia.
Em 2010, a questão do aborto ganhou destaque na eleição presidencial, ainda que, como afirma Jordão, o tema tenha sido usado mais como ferramenta política do que pensando no interesse do eleitorado.
No pleito deste ano, além de Marina, o presidenciável pastor Everaldo (PSC) também é evangélico da Assembleia de Deus. A Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), no entanto, ainda não definiu qual dos dois candidatos vai apoiar para presidente.
“A probabilidade de apoiar qualquer um dos dois é maior que a de apoiar qualquer outro candidato”, disse à Reuters o pastor Lélis Marinho, presidente do Conselho Político da CGADB.
Segundo ele, o apoio ao candidato do PSC estava praticamente acertado, mas a entrada de Marina na disputa mudou o panorama e, agora, não está descartado um apoio a ela já no primeiro turno. Uma decisão deve ser tomada ainda nesta semana, disse Marinho.
No sábado passado, menos de 24 horas depois de lançar o programa de governo, a campanha de Marina divulgou uma errata alterando trechos sobre as políticas para a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais).
A mudança, que segundo a candidata se deu para corrigir uma falha de editoração, eliminou os compromissos com o apoio a uma lei que criminaliza a homofobia e com mudanças na legislação para aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, entre outros pontos. Marinho classificou a mudança no programa marineiro como uma “abertura altamente positiva”.
“Nós queremos ter liberdade de falar aquilo que nós entendemos e que, inclusive, está na Bíblia Sagrada. Ela condena a prática (homossexual)”, disse o pastor.
“Não abrimos mão daquilo que nós consideramos princípios… Agora, nós respeitamos a todos. Não é porque eu defendo um princípio que eu acho que todo mundo é obrigado a defender esse princípio. Mas eu não quero ser incomodado naquilo que eu defendo.”
Não por acaso, Marinho, do Conselho Político da CGADB, disse que o fato de Marina e pastor Everaldo serem evangélicos “já os credenciam” para receber apoio dos fiéis.

Exame/Notícias Cristãs

marina-silva

Marina Silva evangélica: conheça as posturas da candidata e as opiniões sobre ela das pessoas à sua volta

marina-silvaMarina Silva evangélica: conheça as posturas da candidata e as opiniões sobre ela das pessoas à sua volta

Marina Silva tem sido criticada por setores da sociedade que simpatizam com as exigências da militância homossexual e que entendem que as mudanças que a presidenciável exibiu em seu programa de governo são resultado de sua fé evangélica.

Porém, a própria candidata fala abertamente sobre sua fé e explica que não se aproveita de sua condição de missionária da Assembleia de Deus do Plano Piloto, em Brasília, para alavancar sua carreira política.

“Não faço de palanques púlpitos, nem de púlpitos, palanques. Minhas decisões políticas são elaboradas, discutidas e implementadas nos espaços da institucionalidade da política […] Nunca instrumentalizei minha crença religiosa para um fim político”, disse à Folha de S. Paulo.

No entanto, Marina reforça que sua fé em Deus norteia seus passos: “A vida é uma oração, um processo constante e intenso de relacionamento com Deus”, disse a candidata do PSB, que frisou ainda que não há nenhuma doutrinação cristã que ponha em xeque a cidadania de quem professa a Jesus como Salvador: “Para os cristãos de qualquer corrente teológica, a Bíblia é a base de sua fé. O exercício da fé é um direito de ordem pessoal, assegurado pela Constituição do Brasil. Apenas aqueles que se pautam pela intolerância religiosa encaram esse direito como elemento que conspira contra o Estado laico e o Estado de Direito”.

Assim como outros presidentes que ocuparam o cargo no Planalto, Marina diz que se eleita, continua sendo mais uma das cidadãs brasileiras protegida pelo direito constitucional de fé e crença: “O presidente tem direito de vivenciar espaços de sua vida num ambiente restrito à sua pessoalidade sem a obrigatoriedade de compartilhar essa experiência com a chamada opinião pública”, pontuou.

A parceria com Eduardo Campos

A decisão tomada por Marina Silva de integrar a chapa que Eduardo Campos liderada no PSB foi tomada após muita oração, dizem seus assessores.

Na madrugada do dia 04 de outubro de 2013, quando precisava decidir a qual partido se filiaria para poder concorrer nas eleições deste ano Marina recorreu à Bíblia, pedindo para que Deus falasse com ela através de um versículo e assim, a ajudasse a tomar a decisão correta.

“Ela, para tomar uma decisão, santo Deus, demora, porque, além de consultar a terra, ela tem que consultar o céu. Tem de ouvir todo mundo, aí amadurece [a ideia] Ela nunca [misturou fé e política], não faz parte da bancada evangélica”, afirmou a pastora Valnice Milhomens, da Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, amiga de oração há mais de uma década de Marina Silva.

O próprio Eduardo Campos já havia confirmado numa entrevista à Folha que Marina havia dito a ele que a escolha de filiar-se ao PSB e juntar-se como vice na sua candidatura tinha sido inspirada na Bíblia Sagrada.

A conversão

Marina foi criada no catolicismo e em 1997, estava doente e consultou um médico que, durante a conversa, a colocou numa ligação com o pastor André Salles, à época da Assembleia de Deus.

“Achava que aquilo era uma coisa fora do prumo para um médico. Aí o pastor André falou para mim: ‘Olha, eu tenho o dom de revelação do Espírito Santo’”, afirmou Marina Silva. A declaração pode ser vista num vídeo em que a candidata fala de sua conversão.

Desde então, Marina que quase se tornou freira, é convertida ao cristianismo evangélico, e nas oportunidades que tem para falar de sua fé, explica de forma incisiva que suas ideias sobre política não são pautadas pelos interesses políticos de líderes religiosos.

Fanatismo?

O reverendo Caio Fábio possui um longo relacionamento de amizade com Marina e numa entrevista à Folha afirmou que a presidenciável não possui “nenhum resquício de fanatismo” religioso.

“Seus dogmas são pessoais. A fala dela é a do bom senso”, descreveu Caio Fábio. “É uma coisa idiota alguém pensar que o Brasil pode se tornar um Irã, um califado evangélico, um país evangélico taleban. Isso é idiotice, loucura e insanidade”, acrescentou o líder do movimento Caminho da Graça.

As críticas feitas a Marina Silva por líderes evangélicos por conta de suas posturas políticas são na verdade, queixas de quem gostaria de ver alguém com tanto capital eleitoral hasteando as bandeiras da bancada evangélica, diz Caio: “Eles querem dela um grito de ruptura, que ela proponha um movimento evangélicos contra isso ou aquilo’. Aí ela vira persona non grata’ por ser uma pessoa infinitamente superior à mentalidade desses trogloditas”.

Direitos civis a homossexuais

Numa entrevista concedida ontem, 01 de setembro, Marina ressaltou que o Supremo Tribunal Federal (STF) assegurou aos homossexuais o direito à união civil, e que respeita a autoridade da Justiça.

“Num estado laico devem ser respeitado todos os brasileiros, nos seus direitos públicos e privados. Essa é uma conquista da sociedade brasileira e que qualquer governante deve defender”, afirmou.

Corações Rochosos

Corações Rochosos

Corações RochososCorações Rochosos

Mensagem ministrada pelo Pr. Edson Poujeaux, na Igreja Batista Novo Horizonte, em 31.08.2014

Jesus disse em Mateus 13.9 – “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”.  

   Ou seja: Prepare seu ouvido! Você tem que estar sintonizado a fim de ouvir Deus falar. É como sintonizar uma estação de rádio. Se você liga o rádio e o som não está claro, você tem muito ruído e chiado, então você vai ajustando até achar o ponto certo e de repente o som fica claro como cristal.

    Nada é mais importante do que você entender que Deus deseja falar com você e que realmente você pode ouvi-Lo se você sintonizá-Lo.

download sermoes

 

fazenda-liberty-bridge

Casal cristão é multado pela Justiça por se negar a alugar fazenda para casamento gay

fazenda-liberty-bridgeCasal cristão é multado pela Justiça por se negar a alugar fazenda para casamento gay

A busca dos ativistas gays por estabelecerem suas bandeiras tem usado o mote dos direitos civis para ir contra tudo e todos que, por conta de princípios de fé, discordam de suas práticas. Um casal cristão nos Estados Unidos foi multado por se recusarem a alugar sua fazenda para uma cerimônia de casamento gay.

Cynthia e Robert Gifford foram multados por um juiz do estado norte-americano de Nova York por se recusarem a alugar sua fazenda para duas mulheres que pretendiam se casar no local. A negativa, feita por conta de sua postura cristã, foi considerada uma “violação da Lei de Direitos Humanos do estado” de Nova York.

Na sentença, o magistrado acrescentou à multa uma exigência ao casa: afixar um cartaz anti-discriminação na propriedade, para que todos que forem ao local vejam o anúncio.

O casal, que vive na fazenda chamada “Liberty Ridge”, tradicionalmente loca o espaço para casamentos, e também lucra com visitas de turistas, que diariamente visitam o local para inúmeras atividades, como festas, recepções, colheitas, labirintos de milho e até mesmo um festival de outono.

A propriedade, de 100 hectares (equivalente a 1 milhão de metros quadrados), fica localizada a 20 quilômetros ao norte da cidade de Albany.

Segundo informações do Christian Post, o incidente começou em 2012, quando o casal respeitosamente se recusou a alugar o espaço para o casamento gay. Diante do imbróglio, os Gifford explicaram sua postura e ofereceram uma compensação, permitindo que a festa de recepção dos convidados fosse realizada no local.

No entanto, as noivas não aceitaram e moveram uma ação contra o casal, pedindo indenização por “angústia mental” e pelos transtornos na busca por um novo local para a organização da cerimônia.

Em sua defesa, o casal cristão argumentou que a fazenda é uma “propriedade privada”, onde eles moram. Mas, na sentença, o juiz definiu que o celeiro da fazenda abriga atividades comerciais (locação para casamentos), e portanto, o casal não poderia se recusar a receber uma cerimônia de casamento gay.

E então? Qual a sua opinião sobre a decisão da justiça americana? Deixe seu comentário abaixo…

Fonte: Gospel+

“Evangélica” concorre ao título de Miss Bumbum:

“Evangélica” concorre ao título de Miss Bumbum: ‘Julgarão como pecado’

missEvangélica” concorre ao título de Miss Bumbum: ‘Julgarão como pecado’

 

Rebeka Francis, que divide apartamento com Andressa Urach em São Paulo, teve o muro de seu prédio pichado com ofensa: ‘Quiseram me humilhar’.

Rebeka Francis, a candidata de Rondônia ao título de Miss Bumbum 2014, vem sofrendo com uma pichação ofensiva no muro do prédio onde mora, em São Paulo.

Recentemente, a moça – que divide apartamento com a amiga Andressa Urach (vice miss bumbum 2012) – se deparou com a frase ‘Miss Bumbum do Capeta’ em letras garrafais na entrada do prédio.
Inicialmente foi especulado que a mensagem seria para Urach, a mais famosa participante do concurso, mas isso foi logo desmentido pela própria Rebeka, que segue a religião evangélica.

“Aquilo foi pra mim, pois há dias tinham uns perfis fakes em minhas redes sociais falando sobre minha religião. Como é algo que realmente me ofende, eles acharam meu ponto fraco e quiseram me humilhar. As pessoas são maldosas e acabam não tendo noção de seus atos”, disse a Miss Bumbum Rondônia. 

Rebeka contou ao EGO que sempre sonhou participar de um concurso de beleza, mas que a sua família, que segue a mesma religião, não apoia. “Mas eles aceitaram”, garantiu ela, antes de completar: “Quando entrei no concurso, foi para ir até o fim. Posso sensualizar, sim, sem problema nenhum, mas uma coisa é o concurso, outra é a minha religião. Jamais vou sensualizar em uma igreja”. 

miss1

Em São Paulo, a candidata ao Miss Bumbum 2014 tem frequentado a Igreja Universal com a amiga Andressa Urach, a quem é só elogios.

“Conheço uma Andressa que poucas pessoas conhecem, uma pessoa batalhadora, amiga, sincera e também temente a Deus. Sinto que Deus está fazendo a obra na vida dela e me sinto muito abençoada por estar participando disso”, declarou. 

Preconceito e ensaio nu


Rebeka sabe que sua opção pode não ser bem aceita pela comunidade evangélica. A candidata, porém, está dedicada a seguir seu sonho. “Não estou me vendendo, nem nada parecido. Sou empresária, estudante e participante de um concurso, mas as pessoas com certeza vão me julgar como pecadora. Quem não tem pecado que atire a primeira pedra. Sei que Deus sabe meu coração e meus sonhos, o que me importa é ir buscar a palavra e alimento para meu espírito”, afirmou. 

Ela ainda confessou que ficou tímida no começo por ter que ficar tanto tempo de biquíni, mas que, mesmo com um visual mais discreto, não teria como esconder seus ‘atributos’. “Acredito que dá para ser sensual com roupas mais fechadas também, depende da pessoa. Quando você tem um corpo escultural, qualquer roupa sendo justa deixa as curvas à mostra, mesmo estando toda vestida”, opinou. Já quanto a um possível ensaio nu no futuro, Rebeka ainda está em dúvida: “Não sei se faria, por respeito a minha família, acho que não”.

EGO/Notícias Cristãs

tatame2

De mendigo a campeão mundial: veja a trajetória do “Pastor do Tatame”

tatame1De mendigo a campeão mundial: veja a trajetória do “Pastor do Tatame”

 

Roberto Nogueira, de 34 anos, é pastor há seis anos e luta jiu-jitsu há 21 anos. Atleta já morou nas ruas por conta do uso de drogas e hoje dá aulas para crianças carentes.

O que poderia unir um pastor evangélico a um esporte tido por muitos como violento?

Na vida do carioca Roberto Nogueira, de 34 anos, o jiu-jitsu e a igreja evangélica andam lado a lado. Pastor há seis anos e atleta há 13, Roberto divide o seu tempo entre a arte marcial e os compromissos religiosos.

A “vida dupla” também traz recompensas em dobro. Além de evangelizar as pessoas, Roberto também vem acumulando vitórias dentro do tatame.

Nesta segunda-feira, ele comemora um mês da sua mais recente conquista: o título mundial da modalidade na categoria absoluto (sem limite de peso), disputado no dia 18 de julho em Teresópolis.

Além das batalhas no esporte, Roberto já superou um problema com drogas na adolescência, que o fez, inclusive, ir morar na rua. 
Tatuado, lutador de jiu-jitsu e com uma linguagem bem jovem, Roberto foge dos padrões que se imagina em um pastor evangélico.

Porém, para ele isso não é problema. Segundo o atleta, alguns até se espantam quando ficam sabendo das duas atividades, mas ele defende que “Deus não quer ver uma roupa, uma tatuagem, ele quer ver o coração das pessoas”.

- A questão da roupa, da tatuagem, do piercing, do skate, do surf, do reggae, do rock, se for para Deus, não tem problema. Hoje eu vivo para esses jovens, então não adiantar eu querer colocar uma juventude dessa dentro de uma caixa de fósforo, não adianta eu querer colocar um Deus, que criou céu, terra e mar, que criou todas as coisas, dentro de uma caixa de fósforo.

As minhas tatuagens, eu uso para me aproximar desses caras. Essa é minha visão hoje. É fazer uma igreja contextualizada, onde eu vou poder olhar para o jovem e ele vai poder olhar para mim e vai poder acreditar que ele pode ser evangelizado da maneira que ele quer – disse.

As minhas tatuagens, eu uso para me aproximar desses caras. Essa é minha visão hoje. É fazer uma igreja contextualizada, onde eu vou poder olhar para o jovem e ele vai poder olhar para mim e vai poder acreditar que ele pode ser evangelizado da maneira que ele quer” .

O fato de pregar para jovens faz com que Roberto use métodos diferentes para atrair a atenção deles. Ele diz que precisa usar uma linguagem mais próxima da realidade para conseguir atingir o seu objetivo, além de demonstrar através de atitudes o que foi discutido.

- Eu não prego com a bíblia, eu não prego só para ficar falando. Hoje as pessoas estão muito cansadas daquele evangelho de falar, e na hora de viver as pessoas não vivem. Hoje quando você fala que é evangélico, as pessoas tomam um susto. Ficam até com medo. Então eu creio que hoje as pessoas têm que pregar com atitude, com amor. Estender as mãos e ir até os necessitados – relatou. 

tatame2

A competição
No mundial, Roberto teve ao todo sete lutas até chegar ao título. Mais de 1.200 atletas participaram da competição. Segundo ele, um dos principais obstáculos, além do cansaço, foi o clima da serra carioca.

- A gente saiu daqui desse calor gostoso da Paraíba, mas o campeonato foi na serra, em Teresópolis. Estava uns 10 graus, muito frio. A competição era para ter sido feita em dois dias, só que terminou sendo só em um dia só. Minha primeira luta estava marcada para começar às 15h, mas eu só lutei às 17h.

Já minha última luta foi às 23h. Durante esse tempo eu fiz sete lutas. Foi muito desgastante. Quem pratica arte marcial sabe que sete lutas numa competição é algo muito pesado e foram atletas muito duros, de todos os pesos – afirmou.

Roberto disse que a luta mais difícil foi a da semifinal. Segundo ele, o adversário estava descansado e foi bastante duro. Ele relatou ainda que, em um determinado momento, cogitou bater e desistir da luta, mas tentou uma última alternativa e conseguiu sair com a vitória. 

- Para mim, a fase mais difícil foi a semifinal. Depois de cinco lutas eu estava muito cansado e entrei para lutar com um cara que estava de “baia”, que é uma expressão que nós usamos quando o lutador está descansado, porque não teve luta na chave dele.

Ele me deu uma chave de joelho e entrou muito justo. Estava pronto para bater e quando olhei eu vi o rosto da minha esposa, dos meus amigos daqui. Aí eu pensei: não vou bater.

Quando eu fui girar para sair, me deu cãibras na outra perna, a perna ficou dura. Pensei novamente em bater e a galera começou a gritar. Foi quando eu pensei em tentar um último movimento. Coloquei minhas mãos nas costas dele e empurrei.

Meu joelho saiu. Ai eu falei: agora eu não bato mais não, querido. Fui para cima com sangue nos olhos e dei um estrangulamento nele, consegui finalizar a luta e sair de lá morto de cansado. Tive que tirar gás de onde não tinha para fazer a final – explicou. 

tatame3

Próximos passos
Após o título mundial, Roberto já traçou o seu principal objetivo para o ano: disputar um campeonato na Califórnia. Além disto, ele pretende participar de competições no Nordeste. 

- Vou lutar um campeonato que vai ter em Fortaleza em outubro, mas a minha visão agora está em um campeonato que vai ter na Califórnia em novembro. Estou buscando ainda uns patrocinadores. Eu já consegui uma hospedagem lá com uns amigos e eles cederam a casa e a alimentação. Hoje eu só preciso das passagens para representar a Paraíba nesse campeonato em novembro.

A verdadeira vitória da vida de Roberto 
Quem hoje vê um Roberto feliz não imagina a sua história. Hoje ele é casado, pai de dois filhos e leva uma vida estável. Mas o atleta-pastor já passou por diversas situações adversas. No início da adolescência ele começou a usar drogas e rapidamente chegou ao “fundo do poço”, como ele mesmo diz. O auge da decadência foi quando ele virou morador de rua, por conta das drogas. Roberto conta que o jiu-jitsu e a sua fé foram pontos chaves na sua recuperação.

- Eu comecei a usar droga muito cedo, então eu posso dizer que, da minha época, eu usei todos os tipos de drogas possíveis. Eu comecei com a maconha, que é a porta. Cheirei cola, clorofórmio, benzina, éter, usei ácido, cheirei cocaína, tomei chá de cogumelo. Então pode-se dizer que eu usei todos os tipos de droga e cheguei no fundo do poço. Morei na rua, fui mendigo, tive uma caminhada bem no fundo do poço mesmo, discriminado pela sociedade, minha família não acreditava mais em mim.

Então eu posso dizer que o jiu-jitsu foi uma das portas para eu me recuperar. Mas eu ainda fiquei nas drogas até os 18 anos. O que me fez sair das drogas mesmo foi quando eu comecei a caminhar com Cristo e mudei a minha filosofia de vida. 

No projeto faltam quimonos e placas de tatames para conseguir atender a todos os alunos (Foto: Rammom Monte / GloboEsporte.com/pb)

Morando há dois anos em João Pessoa, Roberto participa de um projeto social, chamado Projeto Resgate, há aproximadamente seis meses na Comunidade Vila Feliz, localizada no bairro do Jacaré, em Cabedelo, que fica na Região Metropolitana de João Pessoa.

O pastor-atleta dá aulas de jiu-jitsu duas vezes por semana para aproximadamente 60 crianças carentes. Ele acredita que o projeto pode afastar muitas destas crianças do mundo das drogas, inclusive usando a própria história de vida como exemplo. 

- Eu não escondo nada. Eu mostro a eles as coisas que me levaram a esse mundo das drogas, a esse mundo perdido por tanto tempo, e uso meu exemplo para que eles aprendam a lição. Eles veem em mim essa possibilidade de dar a volta por cima, sair da rua, ter uma casa, uma família, um respeito como homem.

Muitas dessas crianças não têm nenhum carinho dos seus pais ou das suas mães. Muitos aqui são de de famílias desestruturadas. Pais que bebem, que se drogam. Mas aqui eles encontram o carinho, o abraço, a atenção. Isso eles nunca mais vão esquecer, são crianças que estão sendo marcadas por esse amor e por esse carinho – relatou emocionado. 

- Eu estou de olho nesses talentos. Hoje eu tenho esse projeto social e ainda dou aulas também em dois colégios da cidade. Estou sempre de olho aberto para novos campeões. Ainda mais dentro de uma comunidade dessa, a galera é raçuda, os moleques têm “sangue nos olhos”. A minha intenção é pincelar esses talentos para levar para a academia, para dar uma atenção maior e representar João Pessoa e a Paraíba em campeonatos brasileiros e mundiais.

Um dos jovens participantes do projeto, Rafael David, de 13 anos, falou sobre a importância da iniciativa. Segundo ele, isso ajuda a tirar a criançada das ruas. O garoto treina há seis meses e diz que se espelha no professor. 

- Eu gosto, acho legal. É um passatempo, porque a gente não fica em casa e o professor fica ajudando muito a gente. Deus abençoou nosso professor, e quero que me abençoe também ou um dos meus amigos para ser também campeão mundial igual a ele. Ele é um exemplo – falou o menino.

Globoesporte/Notícias Cristãs

bebes-Reprodução-Daily-Mail

Médicos aconselharam aborto, mas mulher dá à luz quatro filhos

bebes-Reprodução-Daily-MailMédicos aconselharam aborto, mas mulher dá à luz quatro filhos

Sarah Ward, de 29 anos, e Benn Smith, 31, formavam um casal pacato da região de Crayford, Londres, e estavam há um ano tentando engravidar. Para surpresa dos dois, num intervalo de nove meses o casal teve nada menos do que quatro filhos.

Isso porque Sarah teve Freddie em 2013, e exatamente nove meses depois, em março de 2014, o garotinho recebeu a companhia dos irmãos trigêmeos Stanley, Reggie e Daisy.

“Me sinto mais em um berçário do que em casa”, disse Sarah, uma ex-cuidadora. “Eu fiquei espantada quando descobri que estava grávida tão cedo de novo. Quando descobrimos que seriam trigêmeos, eu e meu marido ficamos em choque”, comenta Sarah.

Todos os filhos foram concebidos de forma natural. Pelo curto intervalo de tempo entre uma gestação e outra, os médicos aconselharam o casal a abortar uma criança na segunda gravidez para que as duas tivessem mais chances de sobreviver. Sarah e Benn ignoraram a indicação.

Por precaução, no entanto, os bebês receberam cuidado total no hospital após o parto, e só puderam ir para casa no mês de julho.

A ex-cuidadora e o marido, que é carteiro em Londres, trocam 175 fraldas e fazem 80 madeiras por semana.

Fonte: UOL/Verdade Gospel

ImageProxy

Bíblia ‘indestrutível’, capaz de ‘andar sobre a água’ é vendida por editora dos Estados Unidos

forever-bible-e1408028255433Bíblia ‘indestrutível’, capaz de ‘andar sobre a água’ é vendida por editora dos Estados Unidos

 

O livro sagrado é supostamente resistente à água, poeira e ao ‘clima de todos os continentes’.

Uma editora dos EUA passou a vender uma Bíblia “Indestrutível”, que seria supostamente capaz de suportar danos do tempo e até mesmo “andar sobre a água”. 

A Forever Publishing afirma que se beneficiou dos avanços da nanotecnologia para produzir “A Bíblia Para Sempre” (“The Forever Bible”, em tradução livre). 

Fundador da editora, Jared Casey explica que as páginas da Bíblia são feitas de fibras sintéticas e materiais inorgânicos, que misturados formam um papel “altamente durável”. 

“É 24 vezes mais forte que o papel de celulose”, diz Casey, que garante que o livro sagrado é impermeável, além de resistir a danos de sujeira ou de viagens pesadas. 

Em fase de pré-venda e em busca de financiamento para a impressão das bíblias, a editora garante que obteve grande interesse, desde quando se iniciaram as encomendas, há cerca de duas semanas, com mais de mil pedidos.

forever-bible1-

Para ajudar a vender o produto, a editora também cadastrou a Bíblia no Kickstarter, um site de projetos de financiamento coletivo para novas ideias, onde já arrecadou cerca de 36 mil dólares com mais de 650 apoiadores. 

Em seu perfil no Kickstarter, a descrição do projeto aponta que a Bíblia Indestrutível vem para se encaixar no perfil moderno das pessoas que gostam de viajar bastante ou praticar atividades esportivas com frequência. 

“A Bíblia nos chama a viver de forma divertida, energética, vidas intensas. Somos capazes de imprimir uma Bíblia com tecnologia que permite que o livro viva com a gente de maneira nova, dentro de todos os climas e em todos os continentes”, explica a página. 
Apesar do forte apoio financeiro, muitos usuários do Kickstarter criticam a entrada do projeto, por não se tratar de um produto legitimamente novo.forever-bible-

A prova disso seria o fato de que já há outras Bíblias à prova d’água no mercado, produzidas pela editora Bardin & Marsee. 

Outros comentários também consideram o projeto duvidoso, com muitas questões que a editora “se recusa a responder”, dando a incerteza se a Bíblia será mesmo entregue ou se sua procedência é verdadeira.

Fonte: Notícias Cristãs/

monte-da-cordinha

Monte vira local de peregrinação de evangélicos à busca de curas e milagres

monte-da-cordinhaMonte vira local de peregrinação de evangélicos à busca de curas e milagres

A tradição evangélica pentecostal de ir ao monte orar ganhou destaque essa semana com o caso do “Monte da Cordinha”, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, onde fiéis vão ao local nas madrugadas em busca de curas.

Localizado à beira da rodovia Cândido Portinari, o monte ficou conhecido por esse nome devido a uma corda amarrada às árvores que improvisa um corrimão e ajuda os fiéis que vão ao local “encontrar Deus” a escalar o terreno íngreme.

Ao todo, existem 12 clareiras abertas ao longo do monte. Nestes espaços, bancos improvisados com pedras, madeira e bambu acolhem os fiéis que se organizam para orar, ler a Bíblia Sagrada e conversar sobre a fé cristã.

O jornal Folha de S. Paulo publicou uma reportagem sobre essa tradição evangélica pentecostal e destacou que muitos fiéis levam sacos de dormir e passam dias e noites no local orando por curas e milagres.

“Quando fui, tinham medo que eu pudesse cair e despencar de lá, mas fui com um propósito e cheguei”, contou Francine de Arruda da Silva, 38 anos, enfermeira que há dez anos convivia com o diagnóstico de síndrome do pânico.

Tomando medicação controlada, Francine vivia contrariada com sua rotina, pois os remédios a deixavam com tontura: “Não queria ficar viciada em remédio. Então, resolvi ir ao monte pedir pela minha saúde e desci curada”, testemunha a fiel.

Um dos pastores que costumam reunir grupos para as vigílias no monte é Givaldo Lima. À reportagem da Folha, o pastor afirmou que o “Monte da Cordinha é abençoado”. A fama do local tem atraído cada vez mais fiéis de diversas denominações pentecostais.

O professor Edin Sued Abu Manssur, que leciona Sociologia da Teologia na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, afirmou que a prática religiosa de ir orar nos montes “é comum entre os pentecostais e tem raízes bíblicas”, e afirmou que esses locais não são raros: “Há vários locais desse tipo na região do ABC paulista, por exemplo”, descreveu.

Fonte: gospel+

a palavra que convence

A Palavra que Convence

a palavra que convenceA Palavra que Convence

Autor: Paulo Barbosa – Min. para Refletirdownload reflexões1